Aircraft-Carrier-07 Os EUA estão enviando um grupo de assalto anfíbio e dois mil fuzileiros navais para o Golfo Pérsico. Com mais um porta aviões na porta do Irã, os EUA ainda insistem que “é um envio regularmente programado”,

O “Grupo Iwo Jima de Prontidão Anfíbia” é composto do navio de assalto anfíbio USS Iwo Jima, navio anfíbio de transporte USS New York, e o navio USS Gunston Hall. Também é reforçado com um submarino atômico e um esquadrão de helicópteros da marinha.

O grupo, que é “uma força baseada no mar que pode ser adaptada a uma variedade de missões”, deixou o porto na terça-feira e está indo para o Golfo, a Marinha dos EUA diz.

Mais de 2.000 fuzileiros navais EUA estão a bordo do Iwo Jima, quando o grupo faz uma parada na Carolina do Norte.

Muitos dos marines são veteranos de combate terrestre no Iraque e no Afeganistão .

Os EUA já tem um grupo de anfíbios com uma unidade expedicionária da marinha na região do Golfo. O Makin Island Group Anfíbio Pronto foi implantado em janeiro, após ameaça do Irã em fechar o Estreito de Ormuz, uma rota crucial que permite a entrega de cerca de 20 por cento do petróleo mundial.

O Irã tem repetidamente reiterado esta ameaça durante os últimos seis, enquanto os EUA e seus parceiros da OTAN continuam a aumentar a sua presença naval na região.

Os EUA tem consciência de que o Irã tem recursos suficientes para minar o estreito dentro de um período relativamente curto de tempo. O General Michael Dempsey, presidente do Joint Chiefs of Staff EUA, disse anteriormente que os EUA devem estar preparados para reabrir o Estreito de Ormuz pela força.

Em março, os EUA enviaram mais quatro caça-minas para se juntar aos que já implantou por lá, trazendo o número total na região para oito.

Dois  grupos de batalha da Força Aérea, liderados pelo USS Carl Vinson e USS Abraham Lincoln, estão patrulhando as águas em torno do estreito. Mais um navio atômico, o USS Enterprise, é esperado para se juntar a eles no próximo mês.

Embora muitos funcionários norte-americanos, incluindo o presidente Obama, ainda insistem em usar a diplomacia e sanções, eles admitem que “todas as opções estão sobre a mesa” para forçar o Irã a abandonar seu programa nuclear.

Enquanto isso, Israel – o mais próximo aliado dos EUA na região – considera um Irã nuclear como “uma ameaça existencial”, que precisa ser resolvida o mais rapido possível. Na semana passada, o ministro da Defesa de Israel Ehud Barak, falou de um prazo de três meses para o Irã a desistir de suas ambições nucleares ou enfrentar um ataque.

Fonte

About Author

Criador do Site Verdade Mundial, fotógrafo por amor e profissão. Um inquieto da sociedade! Acredito que podemos mudar o pensamento das massas com a informação. Temos as ferramentas e a vontade de ver um Mundo melhor e livre. Estamos nessa luta há dez anos e em frente!