Terremoto sacode nordeste do Japão

TÓQUIO – Um terremoto de 6,2 graus na escala aberta de Richter sacudiu neste domingo, 20, o nordeste do Japão sem que se tenha informado de vítimas nem danos materiais, informou a Agência Meteorológica japonesa, que não emitiu alerta de tsunami.

O tremor aconteceu às 16h20 (horário local, 4h20 de Brasília) e teve seu epicentro no Oceano Pacífico frente ao litoral da província de Iwate, uma das assoladas pelo devastador terremoto e tsunami que em março do ano passado causou mais de 19 mil mortos.

O terremoto foi sentido sobretudo nas províncias de Iwate e Miyagi, onde em alguns pontos alcançou 3 graus na escala fechada japonesa de 7, que se centra mais nas zonas afetadas que na intensidade do tremor.

Além disso, foi sentido com menor intensidade em outras nove províncias, entre elas Hokkaido e Aomori (norte).

Oito minutos depois houve nessa mesma região uma réplica de 5,7 graus Richter que afetou principalmente Iwate.

O nordeste do Japão foi sacudido no dia 11 de março de 2011 por um terremoto de 9 graus Richter, com epicentro no Pacífico em frente ao litoral de Miyagi, desencadeando um devastador tsunami que, além de milhares de mortos e desaparecidos, causou em Fukushima o pior acidente nuclear desde o de Chernobyl.

Réplica de terremoto de magnitude 5,1 atinge norte da Itália neste domingo

Réplica provocou novos desmoronamentos de prédios e feriu pelo menos uma pessoa, segundo a Defesa Civil

 

ROMA – Uma réplica de 5,1 graus de magnitude na escala Richter atingiu neste domingo, 20, a região de Emília-Romanha (norte da Itália) às 15h18 locais (10h18 de Brasília), provocou novos desmoronamentos de prédios e feriu pelo menos uma pessoa, segundo a Defesa Civil.

O ferido é um bombeiro que caiu do quarto andar de um prédio na cidade de Finale Emilia, na província de Modena, onde foi derrubada parte da Torre do Relógio, uma construção do século XIV, anunciou a rede de televisão italiana "SkyTG24".

6 mortes – O terremoto de magnitude 5,9 graus na escala Richter que atingiu o norte da Itália na madrugada deste domingo, 20, tirou a vida de pelo menos seis pessoas e causou ferimentos em cerca de 50, além de numerosos danos materiais, disse o responsável de Defesa Civil da região Demetro Egli.

A população italiana, que não havia se recomposto ainda da comoção causada pelo atentado a bomba num colégio na cidade de Brindisi (sul do país), amanheceu com a notícia de um terremoto às 4h03 locais (23h03 de sábado de Brasília) na região de Emilia Romagna (norte da Itália), sentido também em outras como Toscana, Vêneto, Lombardia, Trentino-Alto Adige e Friuli Venezia Giulia.

Na fábrica da cidade de Bondeno, na província de Ferrara, região de Emilia Romagna, morreu um trabalhador marroquino de 29 anos, que terminaria seu turno às 5h locais (meia-noite de Brasília). Foi vítima de uma viga que caiu em sua cabeça – outros operários não ficaram feridos.

Na fábrica de cerâmica da cidade de Sant’Agostino, Nicola Cavicchi – que tinha decidido substituir um colega neste domingo – e Leonardo Ansaloni morreram quando trabalhavam no departamento de cocção, esmagados pelo telhado, segundo explicou o representante sindical Victor Battagia.

A alemã Gabi Ehsemann, de 37 anos, que se encontrava na Itália por motivos profissionais, morreu em San Pietro in Casale, Bolonha, provavelmente por causa de uma crise de pânico diante do terremoto, informou o Comando Provincial dos Carabineiros de Bolonha.

Crise de pânico também foi o motivo da morte de uma mulher de mais de 100 anos da cidade de Sant’Agostino, informam fontes médicas.

Um operário da empresa de fundição Tecopress, no distrito de Dosso, em Sant’Agostino, apareceu morto entre as ruínas do teto da fábrica que desabou.

Os dados provisórios de Defesa Civil apontam cerca de 50 feridos em toda a região nordeste da Itália.

Uma hora depois do terremoto, sentido em todo o nordeste da Itália, houve uma réplica de 4,9 graus no norte da província de Modena às 5h03 locais (0h03 de Brasília), que provocou desmoronamentos de algumas fábricas em Bondeno.

A Defesa Civil informou ainda que o sismo derrubou a igreja de San Felice sul Panaro, na província de Modena.

Na cidade de Mirandola, província de Ferrara, os pacientes em estado grave de saúde foram transferidos do hospital local, assim como os idosos de uma casa de repouso.

Além disso, foram detectados graves danos materiais em Ferrara, onde se reportaram à polícia e proteção civil desmoronamentos de numerosas casas e prédios históricos.

O terremoto de 5,9 graus foi revisado pelo Serviço Geológico dos EUA (USGS), que estabeleceu uma magnitude de 6 graus e profundidade de 5,1 quilômetros, em vez dos 10,1 quilômetros que anunciou previamente.

O terremoto, que teve seu hipocentro cinco quilômetros ao leste da cidade de San Felice sul Panaro, segundo o Instituto Nacional de Geofísica e Vulcanologia da Itália, foi precedido por outros dois tremores, um de 4,1 graus às 1h13 local (20h13 de sábado de Brasília) e outro de 2,2 graus à 1h43 local (20h43 de sábado de Brasília).

Em várias cidades, muitas pessoas saíram às ruas em pânico ao sentirem o tremor, que durou cerca de 20 segundos.

Os italianos reviveram o terremoto dos Abruzos (centro da Itália), que em 6 de abril de 2009 – com magnitude de 5,8 graus na escala Richter – provocou a morte de 308 pessoas, 1,6 mil feridos e milhares de refugiados e devastou povoados da região e do centro histórico de L’Aquila.

No início da manhã, o tráfego ferroviário foi restabelecido nas principais linhas da região atingida pelo terremoto, "após os reconhecimentos técnicos previstos nos protocolos de segurança para verificar a integridade das infraestruturas", destacam as autoridades ferroviárias.

Tremor de magnitude 4 atinge Montes Claros, no norte de Minas Gerais

19 de Maio de 2012

Um tremor de terra atingiu a cidade de Montes Claros, no norte de Minas Gerais, por volta das 10h40 deste sábado, 19. De acordo com a Polícia Federal da cidade, o índice exato do tremor ainda não foi divulgado, mas a intensidade deve estar por volta dos 4 pontos de magnitude.

O Corpo de Bombeiros de Montes Claros informou que não houve nenhum desmoronamento ou feridos com o sismo, mas há ocorrências de vistorias em edificações que apresentaram rachaduras após o fenômeno natural.

Cerca de 40 solicitações para vistorias em edificações que sofreram algum tipo de rachadura foram registradas pelo Corpo de Bombeiros de Montes Claros.

Dentre as principais ocorrências de rachaduras, estão a Universidade Estadual de Montes Claros e o Shopping Popular, no centro da cidade. Essas edificações estão sendo vistoriadas pelas equipes de bombeiros e a Defesa Civil do município.

Foram registradas rachaduras em residências dos seguintes bairros: Vila Atlântida, Nova Morada, São José, Vilage,  Bela Paisagem, Vila Áurea, Todos os Santos, Santos Reis, Renascença, Maracanã, Vila São Francisco de Assis, além da região central da cidade.

 

Fonte
Fotos: Terremoto Itália

About Author

Criador do Site Verdade Mundial, fotógrafo por amor e profissão. Um inquieto da sociedade! Acredito que podemos mudar o pensamento das massas com a informação. Temos as ferramentas e a vontade de ver um Mundo melhor e livre. Estamos nessa luta há dez anos e em frente!