Vale-da-MorteLocalizado na Califórnia (EUA), o Vale da Morte é uma depressão no norte deserto de Monjave. É ali que geralmente são registradas as temperaturas mais altas do continente americano, ultrapassando os 50ºC. Além disso, o Vale da Morte é o ponto mais baixo dos Estados Unidos, estando 86 metros abaixo do nível do mar.

Mas mesmo com todas essas incomuns características, o Vale da Morte chama a atenção por causa de um estranho fenômeno, que continua intrigando muitos pesquisadores até hoje: as pedras que se movem sozinhas – e por onde passam, deixam um rastro no solo arenoso.

Ninguém nunca viu essas pedras se mexerem, mas além das trilhas deixadas pelo seu movimento, elas mudam de posição ao longo do tempo.

As pedras variam muito de tamanho e peso, podendo atingir mais de 300 kg. Elas apresentam movimentos variados, e podem alcançar uma distância de centenas de metros. Para aumentar o mistério, algumas poucas pedras permanecem completamente imóveis.

Não há nenhuma evidência de que humanos tenham empurrado as pedras (senão haveria pegadas ou alguém já teria visto). Desde meados do século passado, diversos estudos já foram realizados e inúmeras hipóteses já foram levantadas: campos magnéticos, ação dos ventos, correntes de água, atividade sísmica, entre outras.

Embora essa não seja uma resposta definitiva para o mistério no Vale da Morte, a maioria dos pesquisadores acredita que durante o inverno forma-se gelo ao redor das rochas e no solo, permitindo-lhes deslizar sobre a superfície do deserto. Contudo, durante o verão (as altas temperaturas já teriam derretido todo o gelo) as pedras continuam apresentando o mesmo comportamento. Além disso, se elas deslizassem por uma superfície congelada, não deixaria marcas tão visíveis no solo.

Galeria com fotos você encontra aqui!

About Author

Criador do Site Verdade Mundial, fotógrafo por amor e profissão. Um inquieto da sociedade! Acredito que podemos mudar o pensamento das massas com a informação. Temos as ferramentas e a vontade de ver um Mundo melhor e livre. Estamos nessa luta há dez anos e em frente!