A origem extraterrestre de Cristo, sugerida em trechos da Bíblia, estaria sendo escondida para não destruir as antigas religiões do planeta

Está escrito na Bíblia:

Respondeu Jesus, e disse-lhes: Ainda que eu testifico de mim mesmo, o meu testemunho é verdadeiro, porque sei de onde vim, e para onde vou; mas vós não sabeis de onde venho, nem para onde vou. João 8:14

Vós conheceis-me, e sabeis de onde sou; e eu não vim de mim mesmo, mas aquele que me enviou é verdadeiro, o qual vós não conheceis. João 7:28

E dizia-lhes: Vós sois de baixo, eu sou de cima; vós sois deste mundo, eu não sou deste mundo. João 8:23

Respondeu Jesus: O meu reino não é deste mundo; se o meu reino fosse deste mundo, pelejariam os meus servos, para que eu não fosse entregue aos judeus; mas agora o meu reino não é daqui. João 18:36

O filólogo soviético Viaceslav Zaitsev, faz referência a um texto apócrifo escrito no século III, intitulado Narração dos Três Magos. Em sua versão bielo-russa, podemos ler que “um dia inteiro, sem perturbar o ar, pendeu a estrela sobre o Monte Wans”. O filólogo faz referências também a outros textos que descrevem o fenômeno que, ao contrário das representações atuais, não se parecia em nada com um cometa.

Devemos citar também que, na mesma época em que a Estrela de Belém foi vista, numerosos UFO estavam sendo registrados em Roma e outras regiões. Mas, ao inverso do que aconteceu com a Estrela de Belém, os avistamentos em Roma não foram associados a manifestações do mundo divino.Os registros históricos romanos citam aparições de sóis noturnos, luas, escudos voadores etc. Mas as ligações do Fenômeno UFO com Jesus Cristo começam aparentemente bem antes de seu nascimento. O pesquisador espanhol J.J. Benítez, por sua vez, faz menção a uma série de textos de caráter apócrifo. Nestes textos há informações que revelam que Maria, desde sua infância, já vinha sendo acompanhada pelos anjos. E que esses anjos ditavam, entre outras coisas, os alimentos que ela poderia ingerir [dentro de um processo de preparação de seu corpo para o dia que conceberia JesusCristo.

Entre as ilustrações antigas que reforçam esta ligação, temos uma tapeçaria medieval que representa várias cenas da vida da Virgem Maria. Nela podemos ver claramente um objeto voador em forma de disco, pairando no céu, atrás da mãe de Cristo.Sem dúvida, uma das passagens mais misteriosas do Novo Testamento é a concepção milagrosa de Jesus. A Bíblia revela que Cristo foi concebido a partir da descida do Espírito Santo sobre a Maria.

No início de nossas pesquisas, buscamos encontrar representações visuais que explicassem justamente aquelas passagens bíblicas mais misteriosas. Sempre tendo em mente que quanto mais antigas elas fossem, mais credibilidade poderia ser dada às mesmas. Pois nossas interpretações ufológicas de textos sagrados ganhariam mais força se estivessem apoiadas em tais representações.

Uma das mais impressionantes imagens – e ao mesmo tempo muito reveladora – é o quadro Anunciação, pintado pelo italiano Carlo Crivelli em 1486. Esta obra pertence hoje ao acervo da National Gallery, em Londres. Neste quadro, podemos observar na parte superior, um objeto de forma discoidal esverdeado, pairando no céu. Da parte inferior do disco voador sai um raio luminoso de cor amarela, que acaba por atingir a Maria. Associado a este raio, podemos ver o símbolo do Espírito Santo: uma pomba luminosa. Existe também a figura de uma mulher olhando o raio, valendo-se de uma das mãos, aparentemente, para proteger seus olhos da luminosidade do mesmo.Teria o corpo físico de Jesus sido concebido através de uma projeção esperma-luz proveniente de um UFO.

Defendemos, como alguns dos maiores físicos, a hipótese de que por trás da matéria existe uma realidade energético-espiritual que, em última análise, seria a responsável por sua própria organização neste universo. A entidade espiritual que ficou conhecida como Jesus, evidentemente, já existia antes de sua manifestação há dois mil anos. Ou seja, o que foi concebido a partir do raio proveniente do UFO seria simplesmente o corpo biológico no qual a própria entidade espiritual deveria encarnar. Acreditamos que o objetivo, na época, tenha sido a geração de um corpo físico sem as limitações que os nossos ainda apresentam, para que a entidade, ao encarnar, pudesse manifestar todos os poderes inerentes à sua evolução espiritual.

Temos também uma pintura renascentista intitulada Nossa Senhora e o Menino, onde podemos ver, além de Maria e seu filho, um objeto em forma de disco no canto superior direito da ilustração. Representações como essas reforçam em muito a interpretação ufológica. No próprio texto bíblico encontramos outra referência a um nascimento invulgar: o de João Batista, que foi concebido também misteriosamente. Isabel, sua mãe, apesar da avançada idade, e do fato de ser estéril, após ser visitada pelo anjo Gabriel – o mesmo que anunciou o nascimento de Cristo à Maria – ficou grávida e teve seu filho.
O próprio João Batista era, conforme podemos ler nos evangelhos e na concepção de Jesus, uma nova encarnação de Elias que, como já vimos, havia sido levado para o céu no interior de um objeto voador. Com relação a esse tipo de inseminação, um fato curioso aconteceu na Amazônia, anos atrás, em meio a uma grande onda de aparições, onde mulheres também estavam supostamente engravidando após terem sido atingidas por raios luminosos provenientes de UFO.Um outro ponto de vital importância nos evangelhos, para uma melhor compreensão da real natureza de Jesus, é, sem dúvida, o processo de ressurreição.

Em Mateus, capítulo 28, lemos: “No fim do sábado, ao entrar o primeiro dia da semana. Maria Madalena e a outra Maria foram ver o sepulcro. E Eis que houve um grande terremoto, pois um anjo do Senhor desceu do céu “O enviado do Senhor, segundo São Mateus, tinha o aspecto de relâmpago e sua roupa era branca como a neve. Quando o anjo sentou-se sobre a pedra do Santo Sepulcro, os guardas tremeram de pavor, ficando estáticos,”. Mas o anjo, dirigindo-se às mulheres, disse: “Não temais: porque sei que buscais a Jesus, que foi crucificado. EIe não está aqui ressuscitou, como havia dito”.
Este relato apresenta uma série de fenômenos comuns em aparições ufológicas. Não raras vezes, em meio a contatos próximos com os UFO, foram notados pequenos tremores de terra, gerados pelos campos eletromagnéticos que parecem envolver estas naves. É muito comum também os contatados ficarem paralisados, imóveis, quando se encontram em frente às próprias naves, ou mesmo quando têm contato com as tripulações dos objetos. A própria vestimenta do anjo se enquadra perfeitamente nas descrições relacionadas a vários contatos com extraterrestres. Já segundo o Evangelho de Lucas, seriam dois anjos, e não apenas um.

Podemos verificar este fato no capítulo 24, versículos 4 a 6: “(…) apareceram-lhes dois varões com vestes resplandecentes. Estando elas possuídas de temor, baixando os olhos para o chão, eles lhes falaram: Por que buscais entre os mortos ao que vive? Ele não está aqui, pois ressuscitou”.Mas na realidade, os textos bíblicos não descrevem o translado do filho de Deus para o céu, verificado supostamente após a ressurreição. Porém, existem pinturas antigas que retratam tal acontecimento.

A mais reveladora destas pode ser vista ainda hoje no Monastério de Detchani, em Kosovska Metchija, na antiga Iugoslávia. Nas paredes da igreja do Monastério podem ser vistas tanto cenas do Antigo como do Novo Testamento. Essas pinturas foram finalizadas no ano de 1350. Acreditamos que também tenham sido idealizadas a partir de ilustrações mais antigas ainda, utilizadas como base. Na pintura que representa a crucificação de Jesus, podemos ver o Messias crucificado. No céu podem ser observados dois objetos voadores, com seus respectivos pilotos. Já na representação da ressurreição, Cristo aparece dentro de um objeto não muito diferente daqueles vistos no momento de sua crucificação. Ao lado do objeto voador, existem vários anjos, cujos trajes lembram muito os utilizados por astronautas.

A ressurreição de Jesus Cristo, conservado até hoje na Academia Conciliar de Moscou. Nesta representação podemos observar o Messias no interior de um objeto muito semelhante a uma espaçonave. Há uma fumaça saindo pelos lados do aparelho que oculta os pés dos anjos que estão agrupados ao redor do objeto.

Após sua ressurreição e translado ao céu, como narra o Novo Testamento, Cristo apareceu várias vezes para seus apóstolos, assim como havia sido previsto. Houve inclusive a confirmação de sua presença física a partir da desconfiança de Tomé, e foi comprovado que seus discípulos não estavam tendo visões. Como foi narrado em Atos, durante sua última aparição, Jesus foi levado ao céu no interior de uma nuvem. Em meio ao processo de ascensão, segundo narra a Bíblia, apareceram dois varões com vestes resplandecentes que informaram aos discípulos que, da mesma maneira que Cristo estava sendo elevado ao céu, retornaria ao futuro – mas o que seria esta nuvem?

Talvez a resposta para a nuvem do tópico anterior esteja numa representação em relevo feita em uma peça de marfim, que faz parte do acervo do Victoria and Albert Museum, em Londres. Nesta peça, Jesus é levado ao céu no interior de um objeto com formato de ovo, que apresenta em sua parte inferior uma descarga propulsiva. Coisa que é de se estranhar, pois supostamente representava um acontecimento ligado ao mundo divino. Na Igreja de Saint-Sernin, localizada em Toulouse, França, encontramos um relevo do século 11, que também apresenta a figura do Messias no interior de um objeto ovóide, que é uma das formas mais comuns apresentadas pelos UFO da atualidade.

O próprio Cristo pode ter declarado sua origem extraterrestre. Podemos ler no capítulo 8, versículo 23, do Evangelho de João: “vós sois cá de baixo, e eu sou lá de cima; vós sois deste mundo, e eu deste mundo não sou”.Além das análises feitas no Novo Testamento e de obras de arte antigas, que parecem indicar uma profunda ligação entre Cristo e o Fenômeno UFO no passado, não podemos deixar de abordar alguns casos de contato da atualidade, que reforçam esta realidade.
Esses seres demonstraram de maneira objetiva uma profunda reverência ao nome de Cristo, que foi apresentado como nosso mestre maior. Alguns de nossos mestres do passado teriam origem extraterrestre e, por desejo próprio, teriam se incorporado à evolução espiritual da Terra, tendo como único objetivo servir à Humanidade. Este tipo de informação se enquadra perfeitamente dentro de algumas das informações contidas dentro do Alcorão, a bíblia do Islamismo, passadas para Maomé pelo anjo Gabriel. Segundo foi dito, e está registrado neste livro sagrado, “no futuro [uma referência possivelmente ao nosso próprio tempo], os homens discutiriam por causa das suas várias religiões, mas no final todos voltariam a eles [Aos extraterrestres que inspiraram as próprias religiões]”.

Pelo menos assim interpretam as escrituras os defensores da teoria de que Jesus chegou ao nosso planeta num disco voador, tomou a forma humana e espalhou conhecimento alienígena no Oriente Médio. As lideranças religiosas esconderiam a verdade para não destruir as religiões da Terra. Mas o complô ganhou um inimigo em 2003. Dom Fernando Pugliese, bispo da Igreja Católica Apostólica Brasileira, disse acreditar na origem extraterrena de Cristo. Pronto. Um religioso aceitava a tese do escritor Erich von Däniken no livro Eram os Deuses Astronautas? (Melhoramentos, 2000): as divindades vieram do espaço.

Formado em filosofia pela Universidade Gregoriana de Roma, na Itália, Dom Pugliese estuda mensagens ocultas na Bíblia. Ele tem sua própria interpretação para os ensinamentos cristãos. A estrela de Belém, que guiou os Reis Magos até a manjedoura de Jesus, seria uma nave espacial, porque se movia de forma inteligente, acompanhando a viagem dos nobres. A aparição da Virgem Maria na cidade de Fátima, em Portugal, seria uma manifestação ufológica, um holograma em forma feminina controlado a partir de uma nave. Jesus suava gotas de sangue por causa de características somáticas e psicossomáticas sobre o seu corpo humano. Embora nunca tenha visto um ser extraterrestre – apenas discos voadores –, Dom Pugliese acha que os anjos e arcanjos, assim como Cristo, têm origem extraterrestre. Segundo ele, as referências à vida extraterrestre estão no Antigo e no Novo Testamento, em mensagens cifradas.

Mais gente acredita que o maior símbolo do cristianismo tem algo a ver com seres extraterrestres. Se não, como explicar os milagres de curar doentes, multiplicar pães e peixes ou transformar água em vinho? Entre os crédulos está o francês Claude Vorilhon, ou simplesmente Raël, fundador do Movimento Raeliano. Autor do livro Extraterrestrials Took me to Their Planet (Extraterrestres Levaram-me ao seu Planeta, sem versão brasileira), Raël declarou em 1975 que se encontrou com Jesus, Buda, Moisés e Maomé no mundo de Elohim, o ser supremo. O criador da seita ufológica diz que todos os profetas que viveram na Terra foram enviados por Elohim. Logo, Cristo é um extraterrestre. Felizmente, segundo Raël, o filho de Deus foi clonado pelos alienígenas, que pegaram o DNA divino ainda na cruz. Assim estariam explicados os raios e tremores testemunhados na época, logo depois da morte de Cristo. Graças à clonagem, resultado de uma tecnologia de 25 mil anos, Jesus vive até hoje em outra dimensão do universo, de onde voltará na hora certa.

Alguns escritores do movimento batizado de Nova Era, como Brad Steiger e Randolph Winters, simpatizam com a paternidade extraterrestre de Cristo. No livro The Fellowship: Spiritual Contact between Humans and Outer Space Beings (A Irmandade: Contato Espiritual entre Humanos e Seres Espaciais, sem versão brasileira), Steiger conta histórias de pessoas que garantem conversar com seres extraterrestre. Uma delas explica que o Homem de Nazaré não era um deus, mas um mestre ascensionado que encarnou para assumir um padrão físico mais aceitável aos humanos. Jesus voltará, mas não no Juízo Final. Ele descerá à Terra numa espaçonave.

A natureza extraterrena de Cristo pode ser comprovada por outros sinais, argumentam os adeptos da teoria. O anjo Gabriel visto por Maria seria um astronauta do alto de uma nave espacial, escondida pela intensidade do brilho das luzes. Foi uma entidade extraterrestre quem anunciou a gravidez à Virgem, invocando o nome de Deus para justificar o seu experimento médico. Uma das mais impressionantes imagens e ao mesmo tempo muito reveladora é o quadro Anunciação, pintado pelo italiano Carlo Crivelli em 1486. Esta obra pertence hoje ao acervo da National Gallery, em Londres. Neste quadro, podemos observar na parte superior, um objeto de forma discoidal esverdeado, pairando no céu. Da parte inferior do disco voador sai um raio luminoso de cor amarela, que acaba por atingir a Maria. Associado a este raio, podemos ver o símbolo do Espírito Santo: uma pomba luminosa. Existe também a figura de uma mulher olhando o raio, valendo-se de uma das mãos, aparentemente, para proteger seus olhos da luminosidade do mesmo.Teria o corpo físico de Jesus sido concebido através de uma projeção esperma-luz proveniente de uma nave. Defendemos, como alguns dos maiores físicos, a hipótese de que por trás da matéria existe uma realidade energético-espiritual que, em última análise, seria a responsável por sua própria organização neste universo. A entidade espiritual que ficou conhecida como Jesus, evidentemente, já existia antes de sua manifestação há dois mil anos. Ou seja, o que foi concebido a partir do raio proveniente do UFO seria simplesmente o corpo biológico no qual a própria entidade espiritual deveria encarnar. Acreditamos que o objetivo, na época, tenha sido a geração de um corpo físico sem as limitações que os nossos ainda apresentam, para que a entidade, ao encarnar, pudesse manifestar todos os poderes inerentes à sua evolução espiritual.

Temos também uma pintura renascentista intitulada Nossa Senhora e o Menino, onde podemos ver, além de Maria e seu filho, um objeto em forma de disco no canto superior direito da ilustração. Representações como essas reforçam em muito a interpretação ufológica. No próprio texto bíblico encontramos outra referência a um nascimento invulgar: o de João Batista, que foi concebido também misteriosamente. Isabel, sua mãe, apesar da avançada idade, e do fato de ser estéril, após ser visitada pelo anjo Gabriel – o mesmo que anunciou o nascimento de Cristo à Maria – ficou grávida e teve seu filho. Como tantas mulheres da atualidade que, ao terem um contato direto com os extraterrestres, são fecundadas artificialmente, ficando grávidas.

O próprio João Batista era, conforme podemos ler nos evangelhos e na concepção de Jesus, uma nova encarnação de Elias que, como já vimos, havia sido levado para o céu no interior de um objeto voador. Com relação a esse tipo de inseminação, um fato curioso aconteceu na Amazônia, anos atrás, em meio a uma grande onda de aparições, onde mulheres também estavam supostamente engravidando após terem sido atingidas por raios luminosos provenientes de UFO. Um outro ponto de vital importância nos evangelhos, para uma melhor compreensão da real natureza de Jesus, é, sem dúvida, o processo de ressurreição.

Em Mateus, capítulo 28, lemos: “No fim do sábado, ao entrar o primeiro dia da semana. Maria Madalena e a outra Maria foram ver o sepulcro. E Eis que houve um grande terremoto, pois um anjo do Senhor desceu do céu “O enviado do Senhor, segundo São Mateus, tinha o aspecto de relâmpago e sua roupa era branca como a neve. Quando o anjo sentou-se sobre a pedra do Santo Sepulcro, os guardas tremeram de pavor, ficando estáticos, “. Mas o anjo, dirigindo-se às mulheres, disse: “Não temais: porque sei que buscais a Jesus. EIe não está aqui ressuscitou, como havia dito”

Não deixa de haver ainda uma dose de misticismo, oculta nesse pretenso racionalismo científico: Jesus era “o corpo biológico de uma entidade espiritual cósmica”. Todos esses argumentos são encontrados em sites e publicações ufológicas, desde as mais sérias até as de qualidade duvidosa. A maioria não tem dúvidas de que João Batista, o primo de Jesus, também era um extraterrestre, pois certas interpretações dos Evangelhos dizem que ele havia sido “levado para o céu no interior de um objeto voador”.

SERES DIVINOS

Os conspiradores esconderiam muito mais segredos. Toda a linhagem de personagens bíblicos, do Gênesis ao Apocalipse, seriam astronautas de outras galáxias, como defende Däniken. A lista é variada: os anjos que revelaram a Ló a destruição de Sodoma e Gomorra ou conduziram os judeus na fuga do Egito, o carro de fogo que levou o profeta Elias para o céu, as visões de Deus do profeta Ezequiel, a arca utilizada por Noé durante o dilúvio. Segundo seguidores da teoria extraterrestre, todas essas descrições correspondem perfeitamente a espaçonaves alienígenas. Para colocar mais lenha na fogueira, em 1995, o padre italiano Piero Coda propôs uma questão aos seus colegas de Vaticano. Ele queria saber se a morte de Cristo na cruz também salvou as criaturas de outros planetas. Embora não tenha citado um salvador extraterrestre, Coda acabou admitindo a hipótese de que Deus poderia ter criado a vida em outros lugares do universo.

Um documento apócrifo, escrito no segundo século antes de Cristo, costuma ser apresentado como mais uma prova do messias alienígena. O livro do profeta Enoque, bisavô de Noé, relata algumas passagens inspiradoras aos simpatizantes da teoria. Entre as quais, “200 anjos desceram e tiveram relações amorosas com as filhas da Terra, que deram nascimento a gigantes” os NEFILINS. Seria um dos mais antigos registros de casos de sexo entre humanos e seres extraterrestres, tema preferido da ufologia moderna.

As mensagens cifradas da Bíblia, repletas de figuras de linguagem, realmente dão margem a diversas interpretações.

Um outro caso de extrema importância, que mostra a ligação entre o Fenômeno UFO e a figura de Cristo, são as experiências de contato mantidas desde a infância pela norte-americana Betty Andreasson. Em um de seus contatos, revividos através de uma hipnose regressiva, a contatada foi levada para uma base subterrânea onde, além de receber o implante de uma pequena esfera, foi mostrado para ela o que passou a ser conhecido como o Museu do Tempo.

Betty pôde observar uma série de invólucros transparentes, no interior dos quais estavam várias figuras humanas, representantes das várias raças e culturas que já existiram na Terra.A contatada não foi capaz de dizer realmente se esteve diante de seres humanos, de alguma forma preservados, ou se aqueles receptáculos guardavam apenas modelos e reconstituições. Nesta mesma experiência ocorreu o encontro da contatada com o chamado Número Um. Depois de ter sido conduzida inicialmente pelos mesmos seres, ela encontrou criaturas de extrema beleza, de conformação claramente humana, que pareciam ser hierarquicamente superiores.

Depois de passar por um portal de luz, Betty ficou finalmente frente a frente com aquele ser, cuja identidade ainda é um mistério, pois mesmo através de hipnoses não foi conseguida. Por mais incrível que possa parecer, existem indicações de que esta entidade possa ser aquela que há dois mil anos foi conhecida como Jesus Cristo.

Fonte: Ufologia Paracientifíca

About Author

Criador do Site Verdade Mundial, fotógrafo por amor e profissão. Um inquieto da sociedade! Acredito que podemos mudar o pensamento das massas com a informação. Temos as ferramentas e a vontade de ver um Mundo melhor e livre. Estamos nessa luta há dez anos e em frente!