Bem-vindos a esta viagem pela consciência!

Inicia a magia do auto descobrimento.

Passa a conhecer-te.

Retirado de “O SER HUMANO” por M.V.M. MELKIZEDEK

 

1. A TRAMA DA VIDA

Antes de vir ao mundo tu já existias. Que não te importe o que tenhas aprendido na escola ou nas revistas. Escuta-me bem…
Tu já existias.

E eras algo mais que um pensamento na mente de teus pais.Já eras tu. Antes que teus pais te conceberam, antes que teu corpo começara a se formar… Tu já eras.

Porém, ao nascer começaste um treinamento. Treinaram-te para ser outro ser humano similar aos que já viviam na Terra. Programaram-te para que pensasse e atuasse como todos os demais. Por isso perdeste muitas coisas de tuas recordações. Por isso dormiste para tudo aquilo de que não necessitavas nesta vida.

Mandaste ao arquivo morto, ao desvão do esquecimento, todas as lembranças que tinham a ver com tua existência espiritual. Pouco a pouco foste te identificando com a personagem que teus pais criaram para ti.

Na grande trama da vida tu chegaste a ser uma personagem dentro do livreto de teus pais. Tu chegaste como parte de uma a obra teatral que teus pais estavam escrevendo para eles e tomaste o lugar de uma personagem que eles te designaram. Ou, talvez, teus pais não te receberam e se retiraram rápido e cresceste sob o cuidado de outro alguém. Não importa, tu chegaste e começaste a atuar.

Para isso treinaram-te. E isso o aprendeste muito bem.

Tão bem que esqueceste que tu eras um ator, não uma personagem. Um ator pode tomar vários papéis em sua vida. Pode decidir se gosta de tal ou qual personagem, pode escolher em que obra atuar. Mas, uma personagem está presa pela vida à obra para a qual foi criada.

No mundo há muitas obras apresentando-se. De fato, a vida é um grande teatro, com múltiplos cenários. Cada Homem está seguindo sua própria obra. Porém, não tem opções… porque se crê personagem. Não se dá conta de que é um ator. E isto é uma tragédia.

Faz muito, muito tempo. Quando tu eras pequeno ou pequena, alguém te escolheu um nome. Puseram-te o como etiqueta. Ninguém te perguntou se gostavas, apenas o escolheram para ti. E desde então, alguém mais começou a delinear teu futuro, decidiram o que serias quando grande, como seria tua personagem.

E, assim, educaram-te… semeando sementes desse futuro que eles decidiram para ti. E nunca te perguntaram. E mesmo que o tivessem feito… não pudeste responder nada. Por isso agora vives uma vida na qual muitas vezes te sentes alheio. Desejas uma mudança. Uma liberdade que não tens desfrutado.

Por isso, agora que lês estas linhas, te digo.

Tu és um ator ou atriz. Tens a liberdade de mudar a personagem. Tens a liberdade de mudar a trama de tua obra teatral. Este manuscrito te ajudará a fazê-lo, se esta é tua vontade, se decides seguir interpretando o papel que já tens tomado, está bem. Esta é tua liberdade, porém, entendes que és um ator não uma personagem. Interpreta o papel que desejas, mas, faça-o com a liberdade do ator que busca desempenhar o melhor papel de sua vida. Atua como se fosses ganhar o Oscar da atuação… e nunca… nunca… permitas que o roteiro que tenha escolhido escravize teu caminhar pelo mundo.

É o ator que escolhe a personagem, não o inverso…

Continua no capítulo 2…

Curtiu? Compartilhe!

About Author

Criador do Site Verdade Mundial, fotógrafo por amor e profissão. Um inquieto da sociedade! Acredito que podemos mudar o pensamento das massas com a informação. Temos as ferramentas e a vontade de ver um Mundo melhor e livre. Estamos nessa luta há dez anos e em frente!