A agência FEMA tranquilamente constrói novas instalações conforme o colapso da América Latina acelera a imigração para os EUA.
Os veículos da FEMA (Federal Emergency Management Agency) foram vistos fora de um novo abrigo estrangeiro ilegal em McAllen, Texas, levantando preocupações de que a FEMA está usando o colapso da fronteira para determinar a forma de construir e gerir os centros de detenção para os americanos durante uma crise declarada pelo governo.
Ambos FEMA e a Patrulha da Fronteira estavam presentes durante a construção de um novo abrigo de 55.000 metros quadrados, o qual é esperado que abrigue até 1.000 crianças imigrantes a apenas três quilômetros ao norte da fronteira, e subcontratados estavam se movendo rapidamente para erguer cercas de privacidade para manter a controversa instalação fora da vista do público.

Situado em um complexo de produção a menos de um quilômetro da estação da Patrulha de Fronteira de McAllen, o armazém renovado apresenta bancos, colchonetes, lavanderia, uma área de lazer, um refeitório e unidades de isolamento.

 

O abrigo é dividido em quatro seções, o qual cada seção contendo celas de detenção para 252 detentos guardados por elevadas torres de observação.
 
Mas o fato de que a FEMA está cada vez mais envolvida em centros de detenção para imigrantes ilegais está definitivamente aumentando os temores de que o projeto destes abrigos serão usados ​​para construir centros de habitação para os cidadãos durante a agitação civil ou uma crise econômica.
 
A FEMA já tem desenvolvido uma rede de campos de detenção de emergência nos Estados Unidos nos últimos anos.
 
Em um documento de 2011, intitulado “Project Overview and Anticipated Project Requirements” da Kellogg, Brown & Root (KBR) Services, um empreiteiro da FEMA, procurou subcontratados para fornecer serviços de acampamento temporário, “como parte de seus contratos de serviços de emergência atuais e futuros para a Agência Federal de Gestão de Emergência (FEMA).”

Os subempreiteiros procuraram inclusive empresas de barreiras para barricadas temporárias, serviços de lavandaria, assistência médica e empresas de abastecimento que poderiam fornecer refeições para até 1.000 pessoas.

Dois anos antes, o Congresso aprovou a Lei Nacional de Centros de Emergência (HR 645), a qual determinou o estabelecimento de “centros nacionais de emergência” em instalações militares para fornecer “alojamento temporário, assistência médica e assistência humanitária às pessoas e famílias deslocadas devido a uma emergência ou grandes desastres”.

Mas a legislação também foi escrita para “satisfazer outras necessidades apropriadas, conforme determinadas pelo secretário de Segurança Interna”, um mandato amplo, o qual muitos temiam que poderia levar à detenção forçada dos norte-americanos durante uma crise declarada pelo governo.

Estes temores são válidos considerando como o KBR começou sua parceria com a FEMA no planejamento de abrigos para potenciais imigrantes ilegais, que agora foram implementados em todo o país, e uma vez que a demanda em relaçãofema1 ao dólar americano está enfraquecendo em todo o mundo, existe um risco real de uma colapso econômico doméstico ao qual a FEMA irá responder encurralando os manifestantes no interior de instalações de detenção similares a esta que está sendo construída em McAllen, no Texas.

About Author

Criador do Site Verdade Mundial, fotógrafo por amor e profissão. Um inquieto da sociedade! Acredito que podemos mudar o pensamento das massas com a informação. Temos as ferramentas e a vontade de ver um Mundo melhor e livre. Estamos nessa luta há dez anos e em frente!