No vídeo acima, o músico DJ Sadhu questiona o modelo heliocêntrico do nosso sistema solar e aponta uma alternativa, o modelo “helicêntrico”, em que o sol se desloca pela galáxia enquanto é seguido pelos planetas em uma espécie de “hélice”. Preocupado com a repercussão que o vídeo ganhou na internet, o astrônomo Phil Plait decidiu desbancar a teoria apresentada por Sadhu.

“É um vídeo muito bonito, com música cativante e gráficos bem feitos. Contudo, tem um problema: está errado. E não apenas de modo superficial; está profundamente errado, baseado em uma premissa muito errada”, escreve Plait em seu blog. “Por quê? A base da afirmação é a de que os planetas não estão orbitando o sol de forma heliocêntrica, mas sim em um vórtex ao longo da galáxia”.

De acordo com Plait, simplesmente dizer que o sistema heliocêntrico está errado é quase tão absurdo quanto afirmar que a gravidade não existe. Embora não esteja livre de falhas, diz, o sistema faz mais sentido do que seu antecessor, o geocêntrico (no qual o sol e os demais planetas orbitariam em torno da Terra).

No vídeo, Sadhu fala que os planetas se movem como se estivessem em um vórtex; Plait faz uma ressalva, dizendo que o correto seria dizer “hélice”. “São movimentos físicos com propriedades diferentes – você pode ter movimento em hélice sem que as partículas contidas no sistema interajam, como no sistema solar, mas em um vórtex as partículas interagem por meio de impulso e fricção”. Em um segundo vídeo, o próprio Sadhu passa a falar em hélice no lugar de vórtex.

Carrossel galáctico

No novo modelo proposto, o sol “lideraria” os planetas, estando sempre à frente de todos, o que contraria incontáveis observações. “Às vezes, os planetas estão realmente à frente do sol enquanto orbitamos na Via Láctea, e às vezes eles estão atrás dele (dependendo de onde estão em suas órbitas ao redor do sol)”, explica Plait. “Isso é claramente verdadeiro para qualquer um que observe os planetas no céu; eles podem ser normalmente vistos na parte do céu à frente da Terra e do sol em direção à nossa órbita pela galáxia”.

Embora possa parecer estranho à primeira vista, o deslocamento do sol de fato ocorre – mas de uma maneira diferente da que é representada no vídeo. Enquanto orbita pela Via Láctea, o sol é “puxado para baixo” pelo plano central da galáxia e, depois, “puxado para cima”, devido a atração gravitacional. Contudo, esse tipo de movimentação não ocorre no eixo horizontal em relação ao centro da galáxia (Plait compara a ideia a um carrossel em que os brinquedos não apenas se movem ao redor do centro e de cima para baixo, mas da esquerda para a direita).

Guru Astronômico

Sadhu conta que criou o vídeo com base em ideias do pesquisador Pallathadka Keshava Bhat expostas no artigo “Helical Helix: Solar System a Dynamic Process (sic)” (“Hélice Helicoidal: Sistema Solar um Processo Dinâmico”).

Depois de ler o artigo, Plait conta que encontrou diversas falhas, a começar pela ideia de que os planetas “seguem” o sol em um movimento helicoidal: “Se isso fosse verdade, nós nunca veríamos os planetas superiores (aqueles que estão mais distantes do sol do que nós: Marte, Júpiter e outros) indo para o lado distante do sol. E nós vemos, o tempo todo”.

“Além disso”, continua Plait, “nós temos diversas sondas espaciais que visitaram outros planetas, e muitas delas ainda estão em órbita. Se o heliocentrismo estivesse errado, como Bhat descreve, então as sondas jamais teriam chegado a esses planetas. Os cálculos usados para enviá-las estariam errados”.

Em suma, Plait coloca em xeque diversas ideias propostas por Bhat (e, portanto, por Sadhu), concluindo que a visão do pesquisador “parece legal, ou atraente (…). Mas ‘como as coisas deveriam ser’ e ‘como elas são’ nem sempre correspondem”.[Fonte]

About Author

Trabalha na área de Controle de Qualidade em uma empresa Suíça. A espiritualidade fez com que Marluce despertasse espiritualmente. Sem um certo nível de consciência espiritual é impossível perceber a magia da vida.