Vamos abordar um dos assuntos mais falados, debatidos, estudados e controversos da ufologia: a possibilidade do chamado “acasalamento espacial”, que ocorre quando seres humanos geram filhos com seres alienígenas; situação que já até aparece na atualização da Escala Hynek, aquela dos contatos imediatos. Muitos são os casos de indivíduos (principalmente homens) que dizem terem sido abduzidos para o que chamaram de “experiências sexuais”.

De acordo com a Escala Hynek original de contatos imediatos, temos a seguinte ordem dos acontecimentos:

Contato de primeiro grau – Observação de um ou mais objetos voadores não-identificados, como discos voadores, luzes estranhas, objetos voadores de formato estranho que podem não ter tecnologia humana;

Contato de segundo grau – Observação de um Ovni que causa efeitos físicos bem perceptíveis, tais como: calor ou radiação, danos ao terreno por onde o objeto passou, possíveis círculos nas plantações, paralisia em alguma parte do corpo de humanos ou animais, estado de choque, interferência em motores e aparelhos elétricos e perda de memória;

Contato de terceiro grau – Observação de seres associados ao objeto voador não-identificado. Hynek não entra em detalhes em que seres seriam esses, mas podem ser aliens, ET’s, animais diferentes etc. As abduções estão neste grau da escala; no entanto, o autor se manteve reticente neste caso: ele não acreditava nos depoimentos e nos relatórios, mas se viu cientificamente obrigado a colocá-los em sua escala por haver vários relatos.

Extensões da escala de Hynek…
Contato de quarto grau – Um ser humano é abduzido por seres de um Ovni. Hynek não acreditava nesta possibilidade e desacreditava dos relatos, considerados absurdos. Alguns poucos ufólogos creem que a tomada da consciência também entra nesta categoria;

Contato de quinto grau – Contatos mais conscientes entre seres humanos e alienígenas, através da comunicação consciente entre ambos, como o caso de pessoas que dizem ter tido experiências médicas dentro de naves espaciais;

Contato de sexto grau – Seriam os incidentes em que aliens e seres humanos saem feridos ou mortos. É um pouco repetitiva, uma vez que o contato de segundo grau já fala da experiência física do ser humano (calor, feridas etc.);

Contato de sétimo grau – É o ápice do encontro entre o homem e os aliens, quando há o acasalamento de ambos causando possíveis raças híbridas, como depoimentos de homens que dizem ter feito sexo com venusianas em naves espaciais. É um tipo de contato imediato muito próximo à teoria dos deuses astronautas e dos colonizadores espaciais.

Essa extensão não é aceita por muitos ufólogos, pois elas mantêm a proposta de Hynek muito distante do desejado. Hynek não acreditava que aliens humanoides desciam à Terra para copular.

Voltando ao assunto principal do post…

Agora que já sabemos um pouco sobre a escala, podemos debater o assunto principal da postagem de hoje: o contato imediato de sétimo grau. Será que realmente os homens que declararam tais abduções realmente se proliferaram nas estrelas? Muitos acreditam que sim, e vão até mais longe em seus pensamentos e teorias. Assim pensam os teóricos dos deuses astronautas.

Segundo a teoria dos deuses astronautas, uma série de alienígenas, há milhares de anos, veio até a Terra e fez experiências genéticas e cruzamentos entre suas raças (superiores intelectualmente) e os hominídeos que habitavam nosso planeta (inferiores intelectualmente). A isso se explicaria a evolução das espécies, em especial a do ser humano, que foi extremamente acelerada e que não encontra o famoso “elo perdido” entre o Homem e o macaco. Desta maneira, foi através de encontros frequentes com seus “pais estrelares” (confundidos com deuses) que o Homo sapiens avançou tecnologicamente tão rápido em tão pouco tempo na história.

Muitos teóricos dos deuses astronautas utilizam-se de hieróglifos egípcios, escritas cuneiformes mesopotâmicas, lendas sumérias, contos hinduístas e até mesmo passagens bíblicas (como o disco voador no livro de Ezequiel e o anjo que se encontra com Daniel) para falar desses encontros e acasalamentos espaciais. Para os teóricos em questão, os seres humanos são uma raça híbrida entre seres intergalácticos com antigos hominídeos que viviam na Terra e acabaram sendo escravizados às vontades dos astronautas, confundidos como vontades de deuses e demais entidades deificadas.

Atualmente o acasalamento espacial é uma questão muito debatida no meio ufológico (chegou a ser mostrado algumas vezes este tema na série “Arquivo X”, principalmente quando a agente Dana Scully teria supostamente engravidado através de um experimento em um objeto voador não-identificado). Diversos homens afirmam categoricamente que foram abduzidos por naves “estranhas” para, justamente, serem explorados sexualmente por alienígenas (sêmen coletado) ou praticarem sexo com mulheres de outras galáxias (comumente conhecidas como “venusianas”), causando grande pavor e stress pós-traumático nestes indivíduos.

No Brasil encontramos documentados pelo menos dois importantes casos ufológicos em que homens alegaram terem sido abduzidos e terem cometido o ato do acasalamento espacial. Em um destes casos, todos já citados em posts anteriores neste mesmo blog, o abduzido falou que anos depois voltou a ser capturado por uma nave e conhecido o seu “filho das estrelas” com uma mulher de aparência estranha, alien, de longos cabelos loiros, que forçou a fazer sexo muitos anos antes.

Biologicamente é interessante ressaltar que o aparelho reprodutor alienígena é semelhante ao terráqueo, e que também há todo um processo de sedução e atração física com auge na excitação para que haja o acasalamento em si, diferentemente dos outros seres vivos da Terra, quando há um período conhecido como “reprodutor” ou “período do cio”. Este ponto em especial vem encontrar o rebate dos céticos nesta questão, que alegam ser pura fantasia tais relatos. Para os céticos que rebatem essas histórias, a mulher alienígena fica grávida como uma humana, há uma relação sexual como a humana e o DNA é tão parecido que existe o cruzamento de gametas formando um novo ser vivente, o que não ocorre na natureza (pois é impossível fazer o cruzamento de um cachorro com um coelho, por exemplo; ou de um elefante com uma girafa; ou de um escorpião com uma formiga).

Na realidade, a comparação é interessante e faz com que pensemos de maneira interessante nos casos relatados. O próprio criador da escala de avistamentos, Hynek, pouco acreditava na possibilidade de abduções alienígenas, muito menos no cruzamento espacial entre seres humanos e aliens. [Fato&Farsa]

About Author

Criador do Site Verdade Mundial, fotógrafo por amor e profissão. Um inquieto da sociedade! Acredito que podemos mudar o pensamento das massas com a informação. Temos as ferramentas e a vontade de ver um Mundo melhor e livre. Estamos nessa luta há dez anos e em frente!