Durante seu discurso de aceitação do Oscar 2014 de melhor ator, Matthew McConaughey lembrou que uma mulher perguntou quando ele era adolescente:

“Quem é seu herói?”.

Ele respondeu: “Você sabe quem é? Sou eu daqui 10 anos”.

McConaughey, uma das pessoas mais influentes de 2014 segundo a revista Time, descreveu como ele precisava de um modelo para inspiração e motivação, e descobriu isso em seu próprio futuro. Um novo estudo sobre a forma como as pessoas poderosas encontram inspiração mostra que McConaughey não está sozinho.

“Pessoas poderosas buscam inspiração em suas próprias experiências, e não na dos outros”, afirma Gerben van Kleef, pesquisador principal do estudo e professor de psicologia social da Universidade de Amsterdã, na Holanda. “Em contraste, as pessoas com menos poder são mais capazes de se inspirar nos outros”.

Pessoas poderosas são muitas vezes más ouvintes, mas tendem a ficar animadas quando falam sobre suas próprias experiências, diz van Kleef. Ele e seus colegas decidiram descobrir o porquê, e testar se pessoas poderosas – indivíduos que podem influenciar os outros – são inspirados por eles mesmos.

Os pesquisadores realizaram quatro experimentos para determinar onde as pessoas poderosas encontram inspiração. Em cada um, entre 82 e 239 estudantes de graduação da Universidade de Amsterdã e da Universidade da Califórnia responderam inquéritos sobre o quão poderosos se sentiam, classificando-se em perguntas como: “Eu posso levar os outros a fazer o que eu quero”, e “Eu acho que eu tenho uma grande quantidade de energia”.

Em um experimento, os alunos que se sentiram mais poderosos relataram que tiveram mais inspiração de si mesmos do que de outros durante as conversas. Em outro, os alunos foram emparelhados, e tiveram que compartilhar e, em seguida, ouvir uma experiência inspiradora, classificando quão inspirados se sentiram durante toda a conversa.

Os alunos que se sentiam mais poderosos tinham sentimentos iniciais mais elevados de felicidade, esperança, capacitação e orgulho do que os estudantes menos poderosos. Além disso, os mais poderosos relataram se sentir mais inspirados por suas próprias histórias do que por histórias de seus parceiros em comparação com as pessoas menos poderosas.

Não está claro por que as pessoas poderosas se inspiram mais através de si mesmas, mas os pesquisadores oferecem três teorias.

“Indivíduos poderosos têm uma tendência de inflar sua própria importância, enquanto depreciam os outros e priorizam-se sobre os outros nas interações sociais”, diz van Kleef. “Nós pensamos que estas tendências podem se estender para as maneiras pelas quais as pessoas se inspiram”.

Pessoas poderosas podem também ver-se como superiores às outras, supõe ele. “Nós presumimos que as pessoas poderosas têm mais dificuldade em apreciar a grandeza de uma outra pessoa”, diz van Kleef.

Além disso, muitas vezes as pessoas gostam de falar sobre si mesmas, mas tendem a não exagerar por causa das pressões sociais. Mas as pessoas poderosas são menos suscetíveis a pressões sociais, o que pode tornar mais fácil para elas “contar publicamente a grandeza de suas próprias experiências”, segundo o pesquisador.

O estudo também pode indicar que as pessoas poderosas são, em média, um pouco mais narcisistas do que as outras. Mas esta é uma questão de o quê veio antes. “Indivíduos narcisistas podem ter um forte desejo de alcançar posições de poder, e as pessoas que ocupam posições de poder ao longo do tempo podem adotar tendências um pouco mais narcisistas”, compara van Kleef. [Live Science]

About Author

Criador do Site Verdade Mundial, fotógrafo por amor e profissão. Um inquieto da sociedade! Acredito que podemos mudar o pensamento das massas com a informação. Temos as ferramentas e a vontade de ver um Mundo melhor e livre. Estamos nessa luta há dez anos e em frente!