O professor Chris Exley afirma que o envenenamento por alumínio poderia causar a doença de Alzheimer

* O alumínio acumula-se no cérebro até o “limiar tóxico”, altura que o cérebro não pode suportar

* Isto trará sintomas precoces da doença de Alzheimer e tornará a condição pior

* O composto de metal agora é encontrado em quase tudo que comemos e bebemos

* Encontrado no chá, bolos, pão, vinho, cosméticos e medicamentos como a aspirina

* Estudo baseado em um estudo anterior, o qual encontrou a ligação entre o alumínio e o câncer

O alumínio encontrado em alimentos, cosméticos e medicamentos poderia estar envenenando nossos cérebros e causando a doença de Alzheimer, afirmou um pesquisador britânico.

O alumínio acumula-se no cérebro, eventualmente causando a contaminação que pode causar a doença de Alzheimer, afirmou o professor Christopher Exley, da Universidade de Keele.

O composto de metal é encontrado na maioria dos alimentos processados, chá, vinho, refrigerantes, cosméticos e medicamentos como a aspirina.

O professor Exley disse que o próprio fato dos estudos revelarem que os acúmulos de alumínio no cérebro devem servir como um alerta de que estamos sendo contaminados.

Ele disse: “A presença de alumínio no cérebro humano deve ser uma bandeira vermelha alertando a todos nós para os potenciais perigos da era do alumínio.

Todos nós estamos acumulando uma neurotoxina conhecida em nosso cérebro do nosso nascimento até a nossa morte.

Por que nós tratamos essa inevitabilidade com quase total complacência?

Seu mais recente estudo baseia-se em seu trabalho anterior, no qual sugere que há uma ligação entre o alumínio encontrado em desodorantes e o câncer.

O alumínio é o metal mais abundante na crosta terrestre, e é encontrado naturalmente em alimentos, porque as plantas o absorve da água e do solo.

Enquanto que há 50 anos atrás, nós podemos ter ingerido pequenas quantidades de alumínio à partir de legumes e de panelas nas quais foram preparados, hoje ele é adicionado a quase tudo o que consumimos.

O sulfato de alumínio é adicionado à água para torná-la mais clara, e é adicionado a bolos e biscoitos como um agente levedante.

Ele também é encontrado na maioria dos alimentos processados, corantes alimentares, chás, cacau, bebidas de malte, vinhos e refrigerantes.

Os cosméticos, talcos, pasta de dentes, protetor solar e antitranspirantes contêm alumínio, bem como drogas tais como a aspirina, antiácidos e vacinas.

O corpo excreta o alumínio, mas se for ingerido a mais do que o corpo pode excretar, ele é depositado no osso, cérebro, fígado, coração, baço e músculos.

O professor Exley afirma que o cérebro humano é tanto “um alvo quanto um depósito para o alumínio“, quando ele entra no corpo.

Em algum ponto, o alumínio acumulado no cérebro irá atingir um “limiar tóxico” e a área afetada do cérebro não será capaz de suportar, disse.

Se a mesma parte do cérebro está sofrendo de outras condições, portanto, reagir à presença de alumínio vai tornar a pior condição, acrescentou.

Ele concluiu que o alumínio poderia alimentar os sintomas precoces do Alzheimer, uma condição que afeta memória, e tornar a doença pior.

Ele disse: “Desta forma, o alumínio pode causar uma condição particular que é mais agressiva e talvez com sintomas mais precoces – tais ocorrências já foram mostradas na doença de Alzheimer relacionadas à exposição ambiental e ocupacional ao alumínio.

A redução da exposição ao alumínio e remoção do corpo poderia prevenir a doença de Alzheimer, e outros testes devem ser realizados para provar a ligação, concluiu.

Seu estudo foi publicado na revista Frontiers in Neurology.

About Author

Criador do Site Verdade Mundial, fotógrafo por amor e profissão. Um inquieto da sociedade! Acredito que podemos mudar o pensamento das massas com a informação. Temos as ferramentas e a vontade de ver um Mundo melhor e livre. Estamos nessa luta há dez anos e em frente!