O Professor Mário Sergio Cortella em seu vídeo “Qual a postura ideal do Professor”? nos leva como educadores e alunos a refletirmos sobre o ato de educar, falando sobre a humildade pedagógica, relatando o método do educador PAULO FREIRE e seus ensinamentos didáticos, como toda a sua maravilhosa experiência como homem e profissional, como este grande homem influenciou a educação brasileira, Professor Mario Cortella foi seu orientador em seu Doutorado, citou também que Paulo Freire tem o maior título de Doutorado no país, sendo reconhecido mundialmente com 36 títulos, e 5 pós morte. Mas, assim, mesmo Paulo era absolutamente humilde, embora, não possamos confundir com subserviente, pequenez, daí, Paulo Freire, até ser exilado, se fez homem de uma grandiosidade extrema.

PAULO FREIRE, sem dúvida era um homem tão grande culturalmente, mas, ao mesmo tempo, de uma humildade como ser humano, reconhecia a sua pequenez e muito tinha a crescer, e transcender com suas experiências na área da educação. Porque adulto culto, gente grande de sabedoria verdadeira, tem muito a crescer e reconheceu isto em seu percurso como educador. Teve a cabeça aberta as mudanças de seu tempo, com criticidade autêntica.

Destacando-se Paulo Freire como um educador que muito nos deixou exemplos e também metodologias educacionais, vemos que há duas virtudes que podem e devem permear o nosso trabalho didático embasados no trabalho dele, um, é a insatisfação positiva que pode nos levar a inúmeras descobertas, e também a humildade pedagógica, sendo que esta última é bem diferenciada de subserviência. É a humildade o mais belo ensinamento que aprendemos com a pedagogia de Paulo Freire, de sermos seres inconclusos, ou seja, seres que sempre tem muito o que aprender na dinâmica da vida, e termos consciência que aprendemos com o outro, buscando constantemente a beleza de nossa prática educacional, na formação continuada.

Todo o método de Paulo Freire é centrado na criticidade, como também na formação humanista, e principalmente no relacionamento saudável, recusando o egoísmo, acolhendo e formando pessoas, docentes reflexivos, educadores devem ser seres corajosos, pessoas que não aceitem a estagnação, que aceitem e procurem quebrar paradigmas em seu percurso didático e educacional.

Educadores devem procurar não ter um agir autoritário, arrogante, isto está centrado em paradigmas ultrapassados, práticas pedagógicas arcaicas.

MARIO SÉRGIO CORTELLA, realmente nos faz refletir de forma crítica sobre questionamento do “fazer sempre a mesma coisa esperando resultados diferenciados”, devemos nos transportar para uma prática realmente engajada na mudança de metodologias, conectadas com o contexto atual, com a nossa prática profissional, social.

Das escolhas na vida pessoal e profissional, o ato de ser educador e procurar se espelhar e se embasar na didática de PAULO FREIRE, tê-lo como mestre de conduta didática, de profissão, ler os seus livros, os seus ensinamentos inesgotáveis, de poder partilhar em cada livro toda a sua sabedoria como educador nos enriquece como professores, como alunos, e acima, de tudo, como seres humanos.

FONTE

About Author

Trabalha na área de Controle de Qualidade em uma empresa Suíça. A espiritualidade fez com que Marluce despertasse espiritualmente. Sem um certo nível de consciência espiritual é impossível perceber a magia da vida.