Este é Clifford Hoyt, um cara normal até os 31 anos, quando sofreu um acidente automobilístico grave e ficou em coma durante meses. Isso aconteceu em 1999.  Quando despertou, começou a apresentar distúrbios esquisitos. Eles pioraram bastante, a ponto de ele sofrer diariamente e precisar de internação! Clifford Hoyt diz que morreu e, no tempo em que ficou em coma, afirma com veemência ter visitado o inferno e que foi torturado por seres cruéis… Foi dessa maneira que ele foi encontrado no apartamento em que vivia, após sair do hospital. Estava nu e cheio de cortes quando ele acordou do coma e teve alta, seu comportamento mudou completamente. Ele não saía de casa. Vizinhos diziam que ele ouvia a mesma música sem parar. Uma série de detalhes chocou os médicos por serem muito aterradores…

Os médicos ofereceram tratamento psicológico para o que eles acharam ser um trauma severo, mas ele recusou. De fato, em testes de avaliação de sanidade, Clifford foi aprovado sem qualquer restrição. Mas em certo dia, o senhorio dele percebeu uma música estranhíssima que tocava madrugada adentro. Ele só conseguiu descobrir a origem quando entrou no apartamento, a imagem que viu foi essa e fez uma foto para avaliação posterior de prejuízos. Clifford estava deitado no chão, agarrado a uma barra de gelo e tocando a música sem parar.

Uma imagem bastante assustadora para qualquer um, e ao questionar sobre o motivo de assumir tal posição, Clifford foi direto: a música era para espantar os seres infernais e o gelo para baixar a temperatura que ficava alta com a presença deles. A história a partir daí toma uma série de narrativas esquisitas que envolvem manicômios, autoridades e exames nunca divulgados. Em uma das versões, é dito que Clifford foi levado por policiais para um hospital psiquiátrico e lá permaneceu certo tempo, até ser transferido para um hospital não identificado após o local onde ele ficava ser fechado. O tal hospital é o Forest Haven, em Maryland (Estados Unidos), que hoje não passa de um prédio mal assombrado. Na época, os médicos disseram que as visões demoníacas eram fruto de uma lesão cerebral grave causada pelo acidente. O distúrbio era considerado irreversível e o paciente deveria ser medicado continuamente para viver normalmente. Alguns suspeitam que ele morreu durante os tratamentos e apresentam a foto desse túmulo atrás do tal asilo mental.

tumulpo

Mas alguns contestam essa versão completamente…

Segundo essa segunda versão, Clifford nunca foi para um hospital psiquiátrico e viveu bastante tempo no apartamento dele. Até se mudar para uma casa no Alasca, onde era sempre frio e ele recebia um segundo médico por seus problemas constantes. Fora que no hospital nunca registrou uma entrada para algum “Clifford Hoyt”. Já outros argumentam que a história é completamente mentirosa, embora existam provas da veracidade dela.

Um artigo do Baltimore Sun dá conta de um Gary Clifford Hoyt acidentado em 5 de dezembro de 1999 na região descrita pela história. Ele tentou atravessar a rua e foi atropelado por um carro e “quase morreu”, segundo o artigo. Um registro em um hospital local dá conta do tratamento e posterior alta dele e depois disso tudo carece de registros oficiais. O fato é que a história é extremamente bizarra por si só. Um dos finais descritos por um usuário do Reddit afirma que ele mora em um iglu no Alasca com fones de ouvido.

A história bizarra de Clifford já foi homenageada pela banda Death by Raygun. O álbum da homenagem se chama The Clifford Hoyt Experience e é tão esquisito quanto a história original.

A história bizarra de Clifford já foi homenageada pela banda Death by Raygun. O álbum da homenagem se chama The Clifford Hoyt Experience e é tão esquisito quanto a história original.

 

FONTE: R7 | Dica da leitora Priscila Schneider Scheffer

About Author

Criador do Site Verdade Mundial, fotógrafo por amor e profissão. Um inquieto da sociedade! Acredito que podemos mudar o pensamento das massas com a informação. Temos as ferramentas e a vontade de ver um Mundo melhor e livre. Estamos nessa luta há dez anos e em frente!