As Operações de Falsa Bandeira mais comummente conhecidas consistem numa agência do governo a encenar um ataque terrorista, segundo o qual uma entidade não envolvida é culpada pelo massacre.
Como pelo menos dois milênios provam, operações clandestinas, com doses saudáveis de propaganda e de ignorância é uma grande receita para a Guerra. De Nero ao 11 de Setembro de 2001, via Pearl Harbor e ao incidente do Golfo de Tonkin… Joe Crubaugh fornece “os maiores sucessos de sempre” de operações clandestinas, em que um cenário repete-se: como o mundo continua a cair sempre na mesma mentira.

Roma, na noite de 19 de Julho de 64 depois de Cristo. O grande incêndio irrompeu sobre os telhados de lojas perto do local de entretenimento massivo e corridas de carruagem chamados Circus Maximus.

As chamas, forjadas por um vento forte, rapidamente engoliram áreas da cidade densamente povoadas. Após o incêndio não controlado por cinco dias, quatro dos 14 distritos romanos foram queimados totalmente, e mais sete foram severamente danificados. Não era segredo que Nero queria construir uma série de palácios que ele planejou nomear “Nerópolis”.

Mas, a localização foi planeada dentro da cidade e para que pudesse construir Nerópolis, um terço de Roma teria de ser demolida. O senado rejeitou a ideia. Então, por coincidência, o fogo limpou a própria zona imobiliária onde se tencionava construir Nerópolis.

Apesar do benefício óbvio, ainda se considera a probabilidade de que não tenha sido Nero a iniciar o fogo. Cerca de uma centena de pequenos incêndios irromperam regularmente em Roma todos os dias.

Além disso, o incêndio destruiu o próprio palácio de Nero e parece que Nero fez tudo o que podia para acabar com o fogo. Relatos da altura afirmam que quando Nero ouviu falar sobre o incêndio, correu de volta a partir de Antium para organizar um esforço de relevo, utilizando o seu próprio dinheiro.

Ele abriu os palácios para deixar entrar os desabrigados e abasteceu os sobreviventes com alimentos. Nero também concebeu um novo plano de desenvolvimento urbano que faria Roma menos vulnerável ao fogo.

Mas, embora tenha estabelecido regras para garantir uma reconstrução segura, também deu a si mesmo uma grande extensão da propriedade da cidade com a intenção de lá construir o seu novo palácio.

As pessoas sabiam dos planos de Nero para Nerópolis, e todos os seus esforços para ajudar a cidade não conseguiram contrariar os rumores desenfreados de que ele ajudou a iniciar o incêndio.

Quando a sua popularidade caiu, o governo de Nero percebeu a necessidade de empregar a Falsa Bandeira 101: Quando alguma coisa qualquer coisa de ruim acontece consigo, mesmo que seja acidental, apontar o dedo ao seu inimigo.

Felizmente, havia um novo culto de religioso bastante apropriado. O culto era impopular porque os seus seguidores recusaram adorar o imperador, denunciavam as posses, realizavam reuniões secretas e estavam sempre a falar sobre a destruição de Roma e do fim do mundo.

Mais felizmente para Nero, dois dos maiores líderes do culto, Pedro e Paulo, estavam atualmente na cidade. Nero espalhou a palavra que os cristãos tinham começado o grande incêndio. Os cidadãos de Roma “compraram” a sua mentira.

Pedro foi crucificado e Paulo decapitado. Centenas de outras pessoas do jovem culto foram lançadas aos leões ou untados com alcatrão e incendiados para se tornarem lâmpadas de rua humanas.

Leia mais: http://forum.antinovaordemmundial.com/Topico-10-opera%C3%A7%C3%B5es-de-falsa-bandeira-que-moldaram-o-nosso-mundo#ixzz3kS1qdLNK

About Author

Criador do Site Verdade Mundial, fotógrafo por amor e profissão. Um inquieto da sociedade! Acredito que podemos mudar o pensamento das massas com a informação. Temos as ferramentas e a vontade de ver um Mundo melhor e livre. Estamos nessa luta há dez anos e em frente!