O dia é 20 de Julho de 1969, um domingo que ficaria para a história da humanidade, dois astronautas pousam na Lua e ficam exatos 2 horas e 10 minutos no satélite natural antes de retornarem a Terra. O célebre momento foi transmitido ao vivo para todo o mundo, e foi acompanhado por bilhões de pessoas.

Esse momento histórico foi um avanço descomunal para a Ciência, marcava um ponto importantíssimo na corrida espacial, todos comemoravam pelo feito alcançado, e a imaginação para o futuro era literalmente infinita. Após esse feito, a humanidade e principalmente os países detentores da tecnologia de ponta vem se desenvolvendo freneticamente para alcançarem um audacioso objetivo: Ganhar o espaço.

Sempre vimos, seja nas telas do cinema ou em projetos futuristas, o desejo do homem em colonizar planetas do sistema solar, isso veio sempre associado a um certo fanatismo pela esperança de encontrar vida em outros planetas. Recentemente tivemos uma onda de descobertas pelo espaço, planetas parecidos com a terra foram aparecendo, e a expectativa fica cada vez maior com a descoberta de substancias iguais que as da Terra no solo de Marte pela sonda Opportunity.

Bingo!… Estamos perto de fazer viagens intergalácticas a novas comunidades e novos planetas, mas será que nós a humanidade, temos o direito e o merecimento de tamanha audácia?

Ao primeiro momento, o homem tem o interesse em colonizar outros planetas principalmente por dois grandes motivos, o primeiro é o desenvolvimento tecnológico, o segundo e mais importante é fugir de um planeta que está virando uma bomba relógio, e que, segundo especialistas em alguns séculos não poderá mais ser habitado.

A pergunta que não quer calar: Como o homem quer colonizar outro planeta, sendo que ele não consegue cuidar nem do seu próprio?

Obviamente esse assunto gera discussões infinitas, o tema principal desse post é promover uma reflexão conjunta de qual é o grau de nossa evolução e se estamos de fato aptos para a exploração profunda do universo.

Anualmente são gastos trilhões de dólares em pesquisas e desenvolvimento de tecnologias para “tentar” responder a grandes dúvidas como: Existe vida lá fora? Somos visitados por extraterrestres? O Big Bang existiu? Há água em marte?

O desenvolvimento tecnológico é de fato importantíssimo para a humanidade, ele abre portas para inúmeros avanços e nos dá resultados maravilhosos, vemos como exemplos a tomografia computadorizada, o controle remoto, marca-passos cardíacos, termômetros sem mercúrio, teflon e uma gama de produtos que utilizamos no dia-a-dia que existem graças as pesquisar espaciais.

Planeta Terra

Nos últimos 500 anos o homem foi capaz de dizimar 322 espécies de animais, um número bastante alto comparado ao número de vidas que ele conseguiu salvar na natureza, quase nenhuma. O desmatamento abarca cifras exorbitantes, a poluição cresce porcentagens dignas de um arranha-céu, a água cada vez mais sendo maltratada com a poluição e descuido dos mananciais, sem falar no ecossistema marinho, um dos mais devastados nesse ultimo século, e olha que nem chegamos a desbravá-lo completamente. A ganância humana movida pelo dinheiro é algo inexplicável até mesmo pela própria ciência.

Estima-se que em 2100 a população humana chegará a 27 bilhões, é um número impensável e insustentável desde qualquer ponto de vista. Nos últimos 300 anos foi destruído todo um resultado que a natureza demorou milhares e milhares de anos para construir, e isso se da de uma forma muito simples, destruindo e não repondo. Resumimos tudo isso de uma maneira muito simples, é como se fosse um ciclo, tem um começo e automaticamente terá um fim, a humanidade está usufruindo de tudo o que pode, mas em nenhum momento está repondo ou criando uma proteção no seu próprio meio de vida, não é muito difícil assimilarmos qual vai ser o final de tudo isso, não?

Albert Einstein disse a seguinte frase: “Não sei como será a terceira guerra mundial, mas sei como será a quarta: com pedras e paus”. Essa frase denota profundamente o que nos espera, tudo que não tem controle um dia se funde, e é esse nosso futuro se não acordemos logo.

Para finalizar, suponhamos que o homem por fim consiga colonizar um novo planeta, e ai? Será que o planeta Terra servira de exemplo, ou os mesmos erros se repetirão de forma ainda pior. Terá ele a consciência de manter o que foi perfeitamente desenhando e disponibilizado a ele, e devido a sua ganância e ignorância jogou tudo na sarjeta?

About Author

Médico Veterinário; Professor; Acadêmico de Medicina. Realiza pesquisas nas áreas da Ciência, Espiritualidade, Ufologia e cotidiano. Tem como objetivo o desenvolvimento de novas teorias e a disseminação do conhecimento para interesse comum.