Coreia do Norte, uma real ameaça ao mundo?

0

Quando se fala em Coreia do Norte, é impossível não associarmos a Kim Jong-un e a uma possível guerra nuclear. Mas até onde esse país comunista e isolado do restante do mundo pode chegar?

O país com a fama de ser o mais fechado do mundo é atualmente governado pelo presidente Kim Jong-un, o líder com hábitos pra lá de estranhos é ovacionado pela população, ele assumiu o controle do país após a morte de seu pai Kim Jong-il, o qual lá é quase um deus (se não o é). Historicamente a Coreia do Norte preserva seu ódio contra os Estados Unidos da América, e conseqüentemente mantém uma estrita rincha com seus países vizinhos, a Coreia do Sul e Japão, com quem está constantemente fazendo provocações e duelos de forças tanto militares quanto tecnológicas, sempre através de ameaças.

O país que atualmente passa fome (3,5 milhões de norte-coreanos morreram em conseqüência da fome entre 1990 e 2000) investe anualmente bilhões para a construção de armas de grande poder destrutivo, estou falando de 25% do PIB com gastos militares o que equivale a R$ 85 bilhões, além de estar freqüentemente desenvolvendo tecnologia nuclear e espacial, seu maior e mais audacioso programa acredita-se ser o desenvolvimento de um míssil de longo alcance, e isso causa um enorme desconforto não somente a seus inimigos declarados, mas a todo o mundo.

Arsenal

A Coreia do Norte tem nada mais nada menos do que o terceiro maior exército do mundo, constituído por mais de 900.000 homens bem equipados (5% da população), ele também possui uma enorme quantidade de equipamentos que inclui 4.500 tanques, 8.000 peças de artilharia, 3.500 carros blindados e 3.500 carros de combate, 10.000 peças de artilharia pesada, 26 submarinos, aviões bombardeiros, de transporte e de ataque, navios para ataque e patrulha, além de armas anti-tanques e de alto poder destrutivo. Recentemente surgiram informações de que o país estaria produzindo submarinos capazes de lançar foguetes, mas o feito ainda não foi confirmado pelas organizações internacionais.

O grande ponto de tensão está localizado na fronteira com a Coreia do Sul, chamada de área “desmilitarizada”, onde está concentrada atualmente grande parte de seu exército sempre prontos para começar uma guerra, especialistas dizem que isso pode ocorrer a qualquer momento, já que a Coreia do Norte para atacar qualquer outro país começaria pelo país vizinho, para somente assim utilizando suas bases projetar ataques fora do continente.

Em resposta as ameaças dos Estados Unidos o país acelerou seu projeto de construção de armas nucleares, que é o grande temor mundial mesmo sem que se saiba o seu real poder destrutivo ou de lançamento. As relações com a ONU e como restante do mundo foi conturbada depois da realização de testes nucleares nos anos de 2006, 2009 e 2013, todos com sucesso.

Até onde vão?

Todavia é difícil prever quão seria grave a situação se a Coreia do Norte colocasse seu maquiavélico plano de destruição contra seus inimigos em pratica, e isso não tem dia e nem hora para acontecer. Mesmo com seu alto poder militar eles não iriam muito longe, isso porque a Coreia do Sul tem o apoio dos Estados Unidos, Japão e países aliados, mesmo assim o número de vidas cobradas pelo início do conflito seria imensurável devido a grande quantidade de combatentes que seriam interpostos nas batalhas. O grande temor, e de fato com razão, seria um ataque nuclear inesperado, já que não se sabe quantas ogivas nucleares o país poderia produzir, e qual seu raio de alcance. Lembrando que são armas de destruição em massa e poderiam facilmente dizimar uma região do planeta.

Um ponto que pode causar certo alivio ao mundo é as limitações geográficas da Coreia do Norte, para ter acesso ao restante do mundo necessitariam de um grande apoio, algo do qual não desfrutam no momento, além do fato de que estão cercados pelo Japão, Coreia do Sul e China (que venhamos não é muito confiável).

Resta-nos esperar que tudo não passedas típicas ameaças e das aparições que são de  fato engraçadas do presidente Kim Jong-un. Afinal, tudo o que menos precisamos nesse momento de tantas atribulações é de uma guerra.

About Author

Médico Veterinário; Professor; Acadêmico de Medicina. Realiza pesquisas nas áreas da Ciência, Espiritualidade, Ufologia e cotidiano. Tem como objetivo o desenvolvimento de novas teorias e a disseminação do conhecimento para interesse comum.