O café sem dúvida é um dos mais importantes produtos que a humanidade já conheceu e manipulou, teve e ainda tem seu fundamental papel na economia de muitos países sendo um dos produtos mais valiosos em termos comerciais, inclusive no Brasil que é o maior exportador do produto, já foi renda de incontáveis famílias e impulsionou até mesmo disputas, senão guerras. Consumido em larga escala a nível mundial o torna a segunda bebida mais consumida no mundo, perdendo apenas para a água, estando sempre presente no cotidiano.

Seu gosto, associado a seu aroma e os efeitos que causa faz dele o queridinho de cada dia, seja para despertar no café-da-manha, ou para aquela pausa durante a tarde, afinal quem não gosta daquele cafezinho?!

Más alguma vez você já se perguntou quais são os efeitos que o café causa no seu organismo, e quais são seus benefícios e malefícios?

O lado bom da moeda

Todos nós sabemos que o café é um estimulante por excelência, como excitatório ele aumenta a sensação de força, desperta a inteligência e intensifica as propriedades psíquicas, a cafeína estimula a produção de dopamina que consequentemente causa uma sensação de bem-estar inconfundível, além de aumentar o desejo de fazer exercícios, segundo uma pesquisa americana o aroma do café está entre os cinco cheiros capaz de fazer as pessoas se sentirem mais felizes. Além desses benefícios já conhecidos o café vem se mostrando eficaz na prevenção de doenças neurológicas como Alzheimer e Parkinson, também diminui a chance de câncer de pele e ataques cardíacos.

Os benefícios do café são inúmeros assim como o prazer em bebe-lo, más e os efeitos negativos que ele pode causar, será que existe um lado obscuro dessa intrigante bebida?

O lado oculto

Uma xicara de café contém entre 70 – 100 mg de cafeína que é o produto ativo do café, pode parecer pouco más essa quantidade é suficiente para causar seus efeitos no organismo, assim como acontece com qualquer substancia, o que diferencia o remédio do veneno é a dose, e não podemos esquecer que a cafeína é uma droga psicoativa, por isso devemos nos atentar na quantidade ingerida diariamente.

O café quando consumido em excesso causa inúmeras consequências que não são muito bem-vindas para o organismo, e com a continuação do hábito pode causar até mesmo dependência química. Já se sabe culturalmente que ele tem o poder de tirar o sono, pelo menos na maioria das pessoas, já que existe uma parcela de pessoas onde o café faz o efeito contrário, a insônia produzida pela cafeína vem acompanhada por outros efeitos negativos como:

– Dores de cabeça

– Palpitações cardíacas

– Aumento da pressão arterial

– Desidratação

– Indigestão

– Refluxo

– Tremores pelo corpo

– Ansiedade e Estresse

– Redução da Fertilidade em mulheres

– Prejudica a gestação

– Alteração na cor do esmalte dentário

O café também vem sendo diretamente relacionado como um causador e agravante da gastrite e úlceras, não somente estomacal, mas também em todo trato gastrointestinal, tendo que ser evitado por quem apresenta alguma doença desse tipo.

Segundo uma pesquisa da universidade de Bristol, a sensação de alerta que o café causa nada mais é do que uma ilusão, uma peça pregada pelo cérebro em resposta a cafeína que acaba em poucos minutos, o estudo mostrou também que logo após a passagem da excitação causada pela bebida, a energia do corpo declina severamente causando a necessidade de repouso.

Abstinência

Pode até parecer brincadeira, mas o vício em cafeína é mais comum do que se imagina, os fiéis bebedores de café sempre buscam a sensação de alerta que a bebida proporciona, porém, com o passar do tempo o organismo se torna dependente químico dessa substancia, e o corpo passa a precisar frequentemente dela para evitar os sintomas de abstinência. Assim como acontece com outras drogas, o excesso da cafeína costuma gerar alucinações, vertigens, confusões e até mesmo lapsos mentais, isso ocorre devido a inundação da cafeína em áreas sensoriais especificas do cérebro.

Qual a dose diária recomendada?

A dose diária de café depende muito de pessoa para pessoa, pois alguns são mais sensíveis a cafeína do que outros, um fator que tem grande influência sobre essa questão é o horário que deve ser tomado. A cafeína está diretamente ligada ao hormônio Cortisol, esse hormônio é naturalmente produzido pelo corpo, e ambos causam o mesmo efeito no organismo, o recomendado é evitar tomar o café justamente quando há um pico desse hormônio, o que acontece entre 08:00 – 09:00; 11:00 – 13:00 e depois das 18 horas, fora desses horários o aproveitamento se torna melhor e os efeitos negativos diminuem.

O corpo humano pode tolerar até 500 mg de cafeína diariamente, porém o recomendável é no máximo 200 mg. Doses acima de 200 mg já são capazes de causar ansiedade, nervosismo, tremores e predisposição a dependência.

A seguir temos uma tabela que mostra a concentração de cafeína em cada tipo de café:
Quantidade de Cafeína para cada tipo de Café
Produto Quantidade de Cafeína (mg)
Café instantâneo pronto (Xícara de 180 ml) 65
Café coado (Xícara de 180 ml) 97 a 124
Café descafeinado (Xícara de 180 ml) 4
Café expresso (Xícara de 180 ml) 200 a 250
Chá-mate (Xícara de 180 ml) 10 a 70

Um ótimo café a todos !

About Author

Médico Veterinário; Professor; Acadêmico de Medicina. Realiza pesquisas nas áreas da Ciência, Espiritualidade, Ufologia e cotidiano. Tem como objetivo o desenvolvimento de novas teorias e a disseminação do conhecimento para interesse comum.