Costuma-se dizer que o avestruz, quando se vê em perigo, afunda a sua cabeça na terra, na ilusão de que se ele não vê nada, também não será visto. Da mesma forma, acontece com a cúpula do PT que insiste no discurso sem nexo de que a crise é de 2008, que estamos passando por uma “marolinha” e que as instituições democráticas estão firmes. Lula, quando do escândalo do Mensalão, não sabia de nada, não viu nada, e chegou a comentar durante uma entrevista, que o Mensalão teve 80% de decisão política e 20% de decisão jurídica, quando sabemos ser 100% de ordem jurídica. Para os avestruzes do PT, o Mensalão e o Petrolão nunca existiram e são invenções da mídia golpista. Nas últimas manifestações nas ruas do dia 16 de agosto, as palavras de ordem eram impeachment para Dilma, prisão para Lula e a saída do governo PT do poder.

O centro de tudo foi o combate à corrupção.  A isso o PT chama de golpe, mas, como bem falou o senador Ronaldo Caiado, o PT roubou até a esperança do povo e não é possível conviver com essa situação que escandaliza o País. Tivemos nessa manifestação até a participação maciça de cidades do Nordeste, o que mostrou que todo o país está cansado de ser duramente penalizado por um governo corrupto e incompetente. Um dia depois, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, sugeriu que Dilma renuncie e lembrou que a percepção popular é de que o governo atual, embora legal, é ilegítimo. Para ele, Lula também contamina as condições de governabilidade de Dilma e cita o balão de Lula vestido de presidiário usado pelos manifestantes. FHC completa, dizendo que falta base moral ao governo, corroído pelas falcatruas do lulopetismo.

Depois das manifestações, o governo, como o avestruz, escondeu a cabeça, não fez nenhum comentário e fingiu que nada aconteceu. Os tempos de crises são salutares para mudanças, mas é chegada a hora de mudar e retornar ao crescimento. Só precisamos de uma liderança que diga à Dilma, assim como Ulysses Guimarães disse à Collor: “Você pensa que é presidente, mas já não é mais”. Isso não é golpe. Isso não é contra a democracia. Isso é lembrar que o Brasil não quer nenhum tipo de governo totalitário socialista populista com suas bandeiras vermelhas e seus desmandos. Isso é dar um basta na corrupção que nos envergonha perante o mundo livre. Isso é lembrar ao mundo todo que as cores da nossa bandeira e de nossas ruas é e sempre será verde-amarela.

About Author

Célio Pezza é escritor e colunista de diversos jornais e revistas no Brasil. Seus romances misturam ficção com realidade e trazem fortes mensagens por trás de cada história. Seu livro As Sete Portas foi traduzido para o inglês e editado no Canadá, EUA e Inglaterra. Sua mais recente obra, A Tumba do Apóstolo, foi lançada em 2014.