“É engraçado como nós fomos condicionados a ser arrogantes e prepotentes sem a mínima consciência disso. A “fé” cega está nos extremos: A religião doutrina os crentes e a ciência doutrina os céticos. Uma guerra sem acordo.

O científico cético afirma que só pode acreditar naquilo que a “ciência” pode provar. O religioso, coitado, acredita naquilo que lhe convém de acordo com sua necessidade de acreditar em algo conveniente. Ambos, presas fáceis de quem as criou (religião e ciência).

Está óbvio que nem um nem outro tem uma visão holística sobre tudo o que nos cerca. Tem gente que gosta de misturar tudo e “mistificar” os termos sem conhecê-los. Holismo vem de Holos em grego, que significa: “inteiro ou todo”. Portanto, uma visão holística é uma visão que procura abranger o todo SEM excluir nada. Uma mente aberta não significa crer em tudo que vê ou ouve. Significa apenas estar aberto ao NOVO. Ou seja, não descartar as possibilidades as quais “fogem” da nossa superficial compreensão “instantânea” das coisas. Isso te torna apto a aceitar novas possibilidades e romper crenças e padrões. Resumindo: Isso te torna FLEXÍVEL!

Quando um religioso fervoroso se depara com alguma evidencia de algo diferente ao que crê, seus argumentos são baseados em sua fé, ou seja, naquilo que aprendeu de sua doutrina religiosa.

Já um científico cético ao se deparar com alguma evidencia que se “choca” com sua crença, muitas vezes, ele as “joga pra debaixo do tapete”, simplesmente porque “aquilo” é inconveniente aos padrões da sua ciência ortodoxa. Ou seja, não muda muito da religião. Em outras ocasiões, eles NEGAM fervorosamente, o que se caracteriza como uma fuga.

Pra quem segue uma dessas “doutrinas” (religião ou ciência ortodoxa), romper um de seus padrões, se torna algo “DOLOROSO”.

A ciência ortodoxa estabeleceu limites ao mundo “físico”, e ponto final.

A religião estabeleceu que o que não pode ser explicado, só pode ser algo de “deus”. Quer dizer, eles se auto-limitam, dando a impossibilidade de eles próprios aprenderem com aquilo, transformando-o em algo inalcançável.

Podemos então perceber que de fato ambos possuem uma visão BLOQUEADA, limitada.

A ciência deveria agir de acordo com o que seu nome significa: “CONHECIMENTO” e, para se adquirir conhecimento, não podemos criar barreiras que nos impeçam de conhecer algo novo.

A religião apenas deveria aceitar a ciência como um aliado e assim poder ampliar o conhecimento e consequentemente romper suas barreiras.

INFORMAÇÃO É APENAS INFORMAÇÃO! O incessante mau-hábito de julgar, no qual fomos condicionados, nos leva a nossas “crenças e descrenças”, ou seja, à nossa plena “AUTO-CONFUSÃO“.

Negar o evidente, estando diante dele, é negar sua própria natureza, de um SER apto a CONHECER sem nenhuma imposição de limites.

Rompa suas barreiras e apenas permita-se OBSERVAR com mais atenção aquilo que “foge” à sua compreensão. Procure mais de uma resposta e não aceite qualquer uma também. Assim você não estará negando sua natureza conhecedora e desvendadora.

Estamos REPLETOS de evidencias misturadas com “desinformação” o que gera uma grande confusão àqueles polarizados pelas religiões e/ou pela doutrina científica.

Se você se permitir pesquisar “os porquês” de tudo ser tão confuso, você chegará a um ponto em que não poderá negar que esta confusão é proposital. Você perceberá que o sistema é confuso porque ele foi feito para ser confuso. Porque, assim é fácil manipular opiniões polarizadas e estabelecer os limites das crenças. Assim é fácil tornar a maioria das pessoas DEPENDENTES de um sistema complexo e desagregador de crenças.

Se você é incapaz de entender o que estou dizendo, recomendo que comece logo a prestar mais atenção ao que você se propôs como crença. Se você se nega a tentar entender o que quero dizer, sinto muito. Permaneça então em seu mundo fechado e continue acreditando naquilo que lhe convém. Tapar o sol com a peneira só vai te manter no mesmo lugar.

Rodrigo Morais

About Author

Reikiana, praticante e apaixonada por Yoga, a estudante de Design de Moda pela UCS, Manoela desenvolveu um grande interesse na conexão espiritual entre o passado, presente e o futuro da humanidade, seus caminhos e mudanças ao longo dos séculos. Suas pesquisas para o Verdade Mundial vem sendo amplamente visualizadas nas áreas da sociedade, história e religião.