Gás Metano está vazando em fissuras nos rios da Austrália! Veja o incrível vídeo

1

Bem, Jeremy Buckingham é um membro do parlamento australiano que recebeu notícias de moradores que um rio estava cheio de bolhas feitas em consequência dos gás metano.

O rio fica a 300 quilômetros da cidade de Brisbane. E tudo o que ele precisou para o experimento foi um acendedor de churrasco.

Pronto, Jeremy consegui fazer o rio pegar fogo! O objetivo do homem era fazer uma crítica social contra uma indústria de extração de gás que se instalou na região.

De acordo com a lógica de Jeremy, um procedimento chamado fraturamento hidráulico, isto é, a perfuração de poços verticais para a retirada de combustíveis líquidos e gasosos do subsolo, é o responsável pela contaminação da água.

Tal água que poderia ser usada para consumo e até abrigar um ecossistema. O gás metano é tão prejudicial que ele pode até prejudicar o ar e ainda reter o calor.

Em resposta ao experimento de Jeremy, a Organização de Pesquisa e Comunidade Científica e Industrial disse que o fenômeno é natural, já que fissuras em pedras são normais, assim permitindo que o gás vaze para a água.

Assista ao documentário 

Terra do Gás (Gasland) 

About Author

Criador do Site Verdade Mundial, fotógrafo por amor e profissão. Um inquieto da sociedade! Acredito que podemos mudar o pensamento das massas com a informação. Temos as ferramentas e a vontade de ver um Mundo melhor e livre. Estamos nessa luta há dez anos e em frente!

  • Fernando

    Ainda me lembro do programa da HBO sobre flacking. Em depoimento o maior especialista em concretagem dos EUA falava: “2% dos poços perfurados vão apresentar vazamentos ao começarem a operar, no entanto ao longo do tempo este número vai crescendo e no fim de 10 anos a estimativa é que 40 a 50% dos postos terão rachaduras com possíveis vazamentos.” Na sanha por energia barata os EUA podem ter sacrificado boa parte de sua água potável, e eu achando tolice que neste seculo as guerras seriam motivadas por água. Não é só vazamento de metano, as substâncias injetadas para quebrar as rochas são cancerígenas e vazam poluindo os rios subterrâneos, isto sem contar registro de aumento de terremotos em áreas que não eram mais tectonicamente ativas.