Cientistas alertam que um gigantesco terremoto está se formando sob o sul da Ásia

0

Pesquisadores descobriram evidências de que um enorme terremoto pode estar se formando abaixo de Bangladesh, país mais densamente povoado do mundo.

Como há poucos dados históricos da região, os geólogos não podem prever exatamente quando irá ocorrer. No entanto, eles estimam que é bem provável que ocorra entre magnitudes de 8,2 e 9 na escala Richter, afetando pelo menos 140 milhões de pessoas, conforme informações publicadas pelo Science Alert.

“Não sabemos quanto tempo vai demorar para ele se formar, porque não temos informações de quanto tempo se passou desde o último [terremoto devastador na região]”, disse o pesquisador Michael Steckler da Universidade de Columbia. “Não podemos dizer se é iminente ou se levará mais 500 anos. Mas nós definitivamente podemos vê-lo se formando”.

A ameaça, recentemente identificada, é resultado de 12 anos de monitoramento da superfície da região, onde as placas tectônicas Indiana e Sonda se encontram. Embora os cientistas já soubessem da existência de uma tensão entre ambas, apenas assumiram que elas estivessem deslizando de um lado para o outro na horizontal – o que pode causar terremotos menores.

No entanto, após medir a atividade da superfície dessa região entre 2003 e 2013, a partir de satélites GPS, uma equipe internacional de pesquisadores demonstrou que Bangladesh realmente está assentada sobre uma enorme zona de subducção – o que significa que a placa Indiana está sendo empurrada para baixo da placa Sonda a uma taxa de 17 milímetros por ano.

Todos os terremotos mais devastadores já registrados acontecerem ao longo de zonas de subducção, incluindo o terremoto no Oceano Índico, em 2004, que matou 230.000 pessoas e em 2011, provocando um tsunami no Japão.

Os dados mostram que uma área de 250 quilômetros, correndo à direita sob a capital de Dhaka, está carregando essa tensão por pelo menos 400 anos. “Alguns de nós já suspeitávamos desse perigo, mas não tínhamos dados e modelos”, disse Steckler. “Agora temos e podemos estimar o tamanho”.

Os modelos preveem que, se toda essa pressão for liberada ao mesmo tempo – no pior cenário – poderia fazer o solo saltar horizontalmente cerca de 5 e 30 metros. E levando em conta a localização dessa zona de subducção, sob o maior delta do mundo – uma região lamacenta onde os rios Ganges e Brahmaputra encontram o mar – os pesquisadores acreditam que o terremoto poderia transformar toda essa área em areia movediça.

Segundo eles, não há necessidade de pânico, pois ainda são necessárias mais investigações para verificar esses modelos e replicar as previsões. No entanto, os resultados da pesquisa, publicada na revista Nature Geoscience, mostra o quão importante é para região em si estar preparada – até 1993, Bangladesh não tinha códigos de construção e, de acordo com um dos pesquisadores, Syed Humayun Akhter, geólogo da Universidade de Dhaka, o país não está preparado para um terremoto dessas proporções.

Os cientistas da região agora estão planejando, juntamente com uma equipe de planejamento da Universidade Estadual do Novo México, EUA, implantar 70 sismógrafos em toda Myanmar no próximo ano, a fim de obter mais dados sobre o que está acontecendo na região.

[ Science Alert ] [ Foto: Reprodução / Google Maps ]

FONTE

About Author

Estudante no curso Design de Moda pela UCS, Manoela desenvolveu um grande interesse na conexão espiritual entre o passado, presente e o futuro da humanidade, seus caminhos e mudanças ao longo dos séculos. Suas pesquisas para o Verdade Mundial vem sendo amplamente visualizadas nas áreas da sociedade, história e religião.