O mês de Setembro tornou-se o mais festivo para os cristãos, pois a Igreja unificou a celebração dos três arcanjos mais famosos da história do catolicismo e das religiões: Miguel, Gabriel e Rafael, para o dia 29 de Setembro, data em que se comemorava apenas o primeiro. Esses três arcanjos, representam a alta hierarquia dos anjos-chefes, o selecto grupo dos sete espíritos puros que atendem ao torno de Deus e são seus “mensageiros dos “Decretos Divinos”, aqui na Terra.

Miguel, que significa “Ninguém é como Deus”, ou “Semelhança de Deus” é considerado o Príncipe guardião e guerreiro, Defensor do trono celeste e do povo de Deus. Fiel escudeiro do Pai Eterno, chefe supremo do exército celeste e dos anjos fiéis a Deus. Miguel é o arcanjo da justiça e do arrependimento, padroeiro da Igreja Católica. Costuma ser de grande ajuda no combate contra as forças maléficas. É citado três vezes na Sagrada Escritura. O seu culto é um dos mais antigos da Igreja.

Gabriel, o seu nome significa “Deus é meu protector” ou “Homem de Deus”. É o Arcanjo anunciador por excelência das revelações de Deus e é, talvez, aquele que esteve perto de Jesus na agonia entre as oliveiras. Padroeiro da Diplomacia, dos trabalhadores dos correios e dos operadores dos telefones. Comummente está associado a uma trombeta, indicando que é aquele que transmite a Voz de Deus, o portador das notícias. Além, da missão mais importante e jamais dada a uma criatura, que o Senhor lhe confiou: o anúncio da encarnação do Filho de Deus. Motivo que o fez ser venerado, inclusive no islamismo.

Rafael, cujo significado é “Deus te cura” ou “Cura de Deus” teve a função de acompanhar o jovem Tobias, personagem central do livro Tobit, no Antigo Testamento, em sua viagem, como seu segurança e guia. Guardião da saúde e da cura física e espiritual, é considerado também o chefe da ordem das virtudes. É o padroeiro dos cegos, médicos, sacerdotes e, também, dos viajantes, soldados e escuteiros.

Na festa dos arcanjos Miguel, Gabriel e Rafael, duas dimensões poderiam ser bem relembradas aos nossos dias esquecidos das coisas puras e verdadeiras, dos atos simples, dos gestos sinceros.

A primeira dimensão é a obediência: os anjos são obedientes.
O verbo obedecer vem do latim oboedire, que significa dar ouvidos a alguém, dar crédito, crer em alguém. E os anjos obedecem Àquele em que crêem. Não é servidão, mas é crédito total.

A segunda dimensão refere-se diretamente a nós: trata-se da proteção. Os anjos são nossos protetores, defensores, trazem-nos a mensagem viva de Deus. No caso dos arcanjos, sua intervenção é ainda mais efetiva: anunciam, lutam, salvam de perigos, curam.

 

About Author

Reikiana, praticante e apaixonada por Yoga, a estudante de Design de Moda pela UCS, Manoela desenvolveu um grande interesse na conexão espiritual entre o passado, presente e o futuro da humanidade, seus caminhos e mudanças ao longo dos séculos. Suas pesquisas para o Verdade Mundial vem sendo amplamente visualizadas nas áreas da sociedade, história e religião.