Pesquisadores japoneses desenvolveram um truque para implantar falsas visões nos cérebros das pessoas, alterando a forma como eles experimentam o mundo e, potencialmente, até mesmo a maneira como eles pensam. Descrevendo a nova técnica na revista Current Biology, os cientistas revelam como eles foram capazes de conseguir esse efeito sem se envolver diretamente com os pensamentos de seus participantes, em vez disso os levariam a deformar involuntariamente seu próprio senso de percepção.

Em uma conversa com á Stat, o pesquisador-chefe Takeo Watanabe explicou que este exercício de lavagem cerebral simples poderia um dia levar a novos tratamentos para distúrbios cognitivos tais como a depressão e o autismo.

Provocando nas pessoas uma especie de redefinição em seus próprios cérebros. Assim, ele espera ajudar os pacientes a reforçar certas conexões saudáveis e apagar outras menos desejáveis como traumas e medos.

pic_Nhung-thay-doi-ky-la-sau-phau-thuat_3_1421118377
Com um primeiro passo já dado nessa jornada, a equipe procurou implantar distorções visuais simples nas mentes dos sujeitos, e assim convencê-los a ver as linhas pretas como sendo vermelhas. Para fazer isso, eles pediram para se concentrarem nas linhas enquanto estariam sendo conectados a uma máquina de FMRI que mediriam sua atividade cerebral.

Em nenhum momento durante todo o experimento os participantes foram instruídos a visualizar a cor vermelha. Em vez disso, fora dito que eles “tentassem regular de alguma forma a sua atividade cerebral”, a fim de fazer eles olharem para as linhas pretas e tentassem ver um círculo cinza.

Quando isso acontecia, as máquinas de ressonância magnética observavam a atividade nas áreas visuais primárias e secundárias do cérebro dos participantes, e com esses dados eles poderiam manipular o tamanho do círculo cinza que até então apareceria para o participante. Aumentando e diminuindo várias vezes o tamanho do circulo.

No dia seguinte depois de completar esta tarefa, foram mostrados aos voluntários uma série de padrões de linhas em cores variadas pedindo para descreverem quais as cores eles viram.

Surpreendentemente, aqueles que tinham sido mais bem sucedidos durante a primeira parte do experimento eram mais propensos a perceber essas linhas como sendo todas da cor vermelha, mesmo quando elas não estavam presentes.

E mais assustadoramente, foi constatar que esse resultado ainda persistiu por cinco meses mesmo após o termino da experiencia.

fonte: http://www.iflscience.com/brain/research…es-brains/

About Author

Criador do Site Verdade Mundial, fotógrafo por amor e profissão. Um inquieto da sociedade! Acredito que podemos mudar o pensamento das massas com a informação. Temos as ferramentas e a vontade de ver um Mundo melhor e livre. Estamos nessa luta há dez anos e em frente!