Ao analisar a Proposta de Emenda à Constituição PEC 241 – 16, que congela os investimentos públicos (ao mesmo tempo em que torra o dinheiro com a mídia hegemônica e entrega nosso patrimônio aos estrangeiros) e os salários dos servidores por 20 anos, o professor da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Leandro Karnal diz que até as gerações futuras sentirão os efeitos nefastos das medidas.

“Acho que salvar a economia é muito importante, mas nós temos que salvar com os passageiros e não apenas com o barco”, afirma Karnal. Ele lembra também o que disse Mario Sérgio Cortella de que a “educação está fora por um contingenciamento da Constituição”.

O professor explica ainda a diferença entre atividades meio e fim. “Educação e saúde são atividades fim do Estado, portanto, não devem ser comprometidas com as políticas de contenção de gastos.”
“Se você comprometer atividade fim do Estado, você está comprometendo toda a próxima geração”, afirma o historiador.
Leandro Karnal compara a proposta de Michel Temer para superar a crise com o sacrifício da classe trabalhadora ao Mito de Pirro (metáfora que descreve uma vitória tão desgastada que se torna inútil).

Para Karnal, a estratégia econômica de Temer seria como a Vitória de Pirro na mitologia grega, “ou seja, alguém que vence a guerra, mas vence sozinho porque o seu exército foi todo dizimado”. Por isso, para ele, cortar investimentos em educação e saúde levará o Brasil à bancarrota total por décadas.

FONTE

About Author

Reikiana, praticante e apaixonada por Yoga, a estudante de Design de Moda pela UCS, Manoela desenvolveu um grande interesse na conexão espiritual entre o passado, presente e o futuro da humanidade, seus caminhos e mudanças ao longo dos séculos. Suas pesquisas para o Verdade Mundial vem sendo amplamente visualizadas nas áreas da sociedade, história e religião.