Você acredita mesmo que só existe vida na Terra? Então você precisa ler isso.

0

Para falar da vida na Terra, é preciso falar de vida fora da Terra. Falar da vida na Terra sem citar os extraterrestres, é a mesma coisa que falar de futebol e não citar o Brasil. Vamos iniciar a luta contra a mente. Se você sente medo ao ouvir a palavra extraterrestre, ou sente qualquer tipo de sentimento diferente de uma pura naturalidade, saiba que você foi programado para sentir isso, e, reconhecer isso, é a parte um do processo.

Observem: temos mais de 100 bilhões de planetas só na nossa galáxia, e ela, é apenas uma dentre outras 200 bilhões, e tudo isso, é o que a nossa ciência conseguiu “enxergar”. Quanto mais a tecnologia humana avança, mais conseguimos visualizar, e, consequentemente, maior esses números vão ficando.

Não seria muito pouco provável que Deus, o Todo, povoaria apenas um planeta? Um único pequeno e azul? Qual o sentido nisso? Aliás, qual é o problema de existir vida em qualquer outro planeta do universo? Qual é o fundamento do seu sentimento em relação aos seres de fora? É fruto de contato direto, de estudo, do que? Será que você não comprou uma ideia que não é, verdadeiramente, sua?

E é tudo uma questão de probabilidade. É óbvio que existe a possibilidade de existir vida somente na Terra, mas a probabilidade de isso ser verdade é de tamanha relevância que, no mínimo, deveríamos dedicar tempo suficiente em nossas vidas para pensarmos sobre isso, a ponto de quando nos defrontarmos com o tema vida fora da Terra, não ser algo de nenhuma estranheza, e, muito menos, medo. Não estou pedindo para você acreditar na existência de seres de fora, estou pedindo para você não acreditar na não-existência dos seres de fora. Não acredite que exista, nem acredite que não exista, apenas observe. E mais, se observe, veja qual seu sentimento em relação a esse tema.

Mas deixa eu já te dar a “letra” do assunto: sabe o porquê das pessoas sentirem medo, sabe o motivo das pessoas não se sentirem confortáveis ao falarem sobre isso? Muito simples: os seres que comandam a Terra não são humanos terrestres, são seres de outra raça, e, para eles, é interessante que você não acredite na existência deles. Simples assim.

Todo ser que existe, independentemente da raça que pertença, do planeta que habite, da dimensão que se encontra, de qualquer coisa, é composto pelo dueto ego/Self. Quando o ser atinge a autoconsciência, através do livre arbítrio, tem a opção de manter sua conexão com seu Self, e evoluir sem limites rumo as dimensões superiores, vibrando no amor. Ou pode, por opção, negar o amor, dando ouvidos ao ego, e, assim, promover aquilo que convencionamos aqui na Terra chamar de mal.

E entendam: na verdade, o mal não existe. O que existe é a negação do amor, e isso, tem data para terminar. O que quero dizer é que não importa o quanto um ser possa negar o amor, tampouco importa quanto tempo ele permanecerá negando, no final, em última instância, só o amor existe, e, por mais que se possa passar milhares e milhares de encarnações praticando todo tipo de mal, uma hora ele vai ter que acordar. Não existe saída, não existe opção, somente o amor existe, uma hora, ele vai ter que se dar conta disso.

Acontece que para muitos seres, esse momento parece estar longe de chegar. Então para nossa região do universo, pra esse cantinho que a Terra ocupa no espaço, o “mal” é representado por duas raças que são: os draco-reptilianos.  E é isso mesmo que você leu, draco, de dragões, e reptilianos, de répteis.

Sinto mentes se debatendo nesse momento…Não sucumba a ela, vamos observar! Queridos trabalhadores de Luz, a momentos atrás eu estava vos lembrando do tamanho da nossa galáxia, da infinidade que é nosso universo. Agora, peço que coloquem vossas mentes a observarem o poder criativo ilimitado do Todo. Ele é onipresente, onisciente e onipotente.

Vocês acham mesmo que, com toda essa potencialidade, Ele criaria seres todos exatamente iguais? Todos com o mesmo formato: cabeça, tronco e membros? Todos evoluindo pelos mesmos animais? Todos com as mesmas características? Todos precisando dos mesmos parâmetros (água, Luz, oxigênio) para viver?

Não é por que o “normal”, o conhecido para você, seja que todos os seres tenham o mesmo padrão de corpo, que para ter vida, todos precisam das mesmas coisas, que isso seja a realidade última. Não é possível compreender que, esse achismo, vem do que você teve conhecimento na vida, e isso, pode vir a não ser tudo que existe?

E mente, minha cara, observe: nós somos compostos por sete corpos. Tudo que pensamos, fica no nosso corpo mental, tudo que sentimos, no nosso corpo emocional. O corpo físico apenas interpreta as informações. Você realmente acha que, para o Todo, existe alguma dificuldade em implantar as informações num corpo físico em formato humanoide, ou num corpo físico em formato reptiliano? É pedir demais que se compreenda que isso é uma mera questão tecnológica?

Não se espante com o desconhecido, não se envolva, apenas observe. Para as mentes que gritaram: é mentira o que esse cara tá falando, se houvessem outras raças no meio da gente, nós já saberíamos. Pois é mente amiga, é exatamente esse o ponto. Existe um grande plano, quase perfeito, para encobrir essa informação, e o motivo, é bem simples.

Pensem: se os reptilianos estivessem entre nós em seu estado normal, com seu corpo físico reptiliano, nós nos acostumaríamos com a presença de uma outra raça entre nós. E quem se acostuma com uma, se acostuma com várias, e dentre as incontáveis existentes, existem as positivas, que nos ajudam em nossa evolução. E como impedir nossa evolução é a missão dos lagartos, eles criaram o plano quase perfeito de dizer que estamos sozinhos na Terra, e o pior, que estamos sozinhos no universo. Digo quase perfeito, pois, cá estou eu, alguém que acordou e que quer ver você fazendo o mesmo.

E vamos nos aprofundar nos detalhes. Essas raças estão presentes na Terra antes mesmo da gente chegar por aqui, eles são, literalmente, velhos de guerra no quesito terceira dimensão. E sabe o por que deles serem velhos de guerra na terceira dimensão? Simples, por que eles não querem evoluir. Lembram? Quanto maior a dimensão, mais rápida é a frequência dos átomos que a compõe, e, como a única forma de aumentar a frequência é o amor, mais amor ela será.

É aí que tá, os reptilianos optaram por negar o amor, e assim, vêm fazendo a milhares e milhares de anos. Acontece que eles não deixaram de evoluir nesse período, e isso precisa ser muito bem entendido. A evolução se dá em três pilares: ético, moral e tecnológico. Um ser evoluído, um ser que está na quinta dimensão, por exemplo, é um ser de alto grau evolutivo nos três quesitos. Mas observem: isso não impede de um ser atingir um alto grau tecnológico, sem corresponder na ética e moral.

O que quero dizer é que esses seres são altamente tecnológicos, e de forma “invisível”, comandam a Terra da forma que bem entendem. E para as mentes que apontaram para a teoria da conspiração, entendam: vocês estão programados exatamente para isso. Falaremos disso mais abaixo, por hora, apenas observe, não se envolva com sua pré-programação. E tudo é uma questão de entender a mente, pois, esses seres, são como nós, pensam e sentem.

Acontece que eles são o arquétipo do ego, e o ego, é o arquétipo da individualização. E entendam: o Todo utilizou o arquétipo do ego em nós, crias Dele, para que houvesse o crescimento, para que houvesse a troca, pois, se fossemos todos exatamente iguais, não haveria crescimento. Então o ego, é o que delimita o pedacinho do Todo que nós “ocupamos”.

Porém os draco-reptilianos, ao atingirem a autoconsciência, entraram na onda do ego, e, para eles, só existe, literalmente, o próprio rabo. Não se esqueçam: todo ser que existe, é feito do Todo, logo, todo ser que existe, tem as mesmas propriedades do Todo. O que quero dizer é: Deus, o Todo, é onipotente, nós, pedacinhos Dele, também somos. E os reptilianos? Também são, pois, são tão filhos do Todo quanto nós. Isso quer dizer que: se você quiser negar o amor, você pode, e eles, fazem isso com todas as forças. Agora entendam: assim como nós buscamos a felicidade, buscamos vibrar no amor, esses seres, gostam de energias de baixa vibração, eles se alimentam disso.

Eu sei que é difícil aceitar isso, mas não se envolva com a situação. É uma questão de livre arbítrio, e tudo que ser quer, se pode.  Então vamos entender a mente deles. Eles são conhecidos no universo como “piratas do espaço”, e a razão é simples. Eles só se importam com eles mesmos, então a estratégia é desembarcar num planeta, dominar todos os seres que lá estiverem, sugar todos os recursos disponíveis, promover a maior destruição possível, e, quando esse planeta não se tornar mais habitável, partir para um próximo com a mesma missão. E tudo isso, por que eles vivem o ego.

Somente quando se vive o ego, somente quando se acredita realmente na separação, é que se torna possível a prática do mal. Uma vez que se tem consciência que fazemos parte de um mesmo Todo, fica impossível praticar o mal a um irmão, pois, se sabe que, ao fazer para ele, estará fazendo a você mesmo. Assim que chegamos na Terra, os reptilianos iniciaram sua corrida para nos dominar. E como conhecimento é poder, eles conseguiram o que queriam de forma, literalmente, fácil.

Imaginem se há 100 anos alguém aparecesse na Terra com um smartphone. Como toda tecnologia, suficientemente avançada, é confundida com magia, esse alguém teria grandes chances de ter uma nova religião, até hoje, em seu nome. E foi exatamente isso que aconteceu com a gente, confundimos esses seres com Deuses.

E a tática de dominação deles foi simples: passagem de “conhecimento” em troca do modo de viver, e assim, é até hoje. Como disse anteriormente, para o plano deles se manter, foi necessário que eles se desenvolvessem tecnologicamente a ponto de estarem entre nós, sem estarem visíveis por nós.

Então durante esses milhares de anos que estamos dividindo casa, eles conseguiram evoluir a ponto de estarem entre nós da forma que, hoje, todos nós, temos genes reptilianos em nosso DNA. Além de estarem em nós, existe um punhado de reptilianos encarnados na Terra, e muitos, por efeito da roda cármica, nem sabem que são. E fruto da evolução tecnológica, estão presentes através da holografia.

Vocês já pararam para pensar para aonde vão parar a quantidade absurda de pessoas que desaparecem todos os dias? Já passou pela sua cabeça que, muitas delas, vão parar em laboratórios reptilianos, e, como fazemos com nossos irmãos menores, os animais, são objeto de estudos? Para chegar nesse ponto, geneticamente falando, para nos manter como gados, eles precisam conhecer, nos mínimos detalhes, nosso funcionamento. Tanto do nosso corpo físico, quanto da nossa mente.

E eles fizeram a lição de casa direitinho, pois, nos conhecem como a palma da mão. E de posse de todo esse conhecimento, criaram uma sociedade a ser vivida de uma forma que os alimente, e, o alimento deles, são as energias de baixa vibração.Esses sentimentos não existem na natureza, não existem no Todo, Ele, é puro amor. Então precisa de um ser, um ego, para polarizar a negatividade e gerar: medo, culpa, raiva, inveja, etc. O mal em si não existe, ele é a negação do amor. E é aí que entramos na história, nós somos a fonte de energia de baixa vibração deles.

Agora se liguem na sacada: nosso cérebro tem três “partes”, uma que temos em comum com os répteis, uma em comum com os mamíferos, e uma terceira que nos torna seres únicos, que representa a nossa espécie. Acontece que eles descobriram que, na parte em comum com os répteis, “rodam” dois softwares nossos. Um responsável pela automação, que faz com que nosso coração bata sem que tenhamos que mandar, que a respiração aconteça sem termos que atuar nisso, e outro, responsável pela autopreservação, que está ligado a manutenção da espécie.

E foram nesses dois softwares nossos que eles atuaram com maestria. Na parte da automação, é onde eles registram toda a lavagem cerebral que sofremos. Através de mensagens subliminares, ficamos programados para reagir de uma forma prévia ao recebermos alguma informação. O que quero dizer é que a reação de medo de muitas pessoas ao ouvirem a palavra extraterrestres, é fruto de uma programação muito bem-feita.

Para vocês terem uma ideia, eles são capazes de criar reações pré-programadas que são disparadas por palavras chave. Façam esse teste, prepare o terreno e solte um: “mecânica quântica” no meio de uma roda de conversa, continua batendo um papo e observe a reação das pessoas, veja se não vai ter gente que se sentirá incomodada na hora, e quando eu digo incomodada, é ao ponto de sair do local, é perceptível. E tudo isso, porque essa informação foi gravada no sistema automático da pessoa. Genial ou não?

E isso se aplica a tudo, o caso dos extraterrestres e a mecânica quântica, são apenas dois exemplos. Já na autopreservação, eles deram outro show. Em condições ideais de vida, ela se resumiria a nossa necessidade de comer, beber água e dormir. Mas pensem: quando a gente usa a autopreservação? Quando nos sentimos ameaçados, e quando nos sentimos ameaçados, além de sentirmos medo, nós reagimos à ameaça para nos defendermos. Eis aí a mina de medo e ódio que sustenta os reptilianos, a sensação de ameaça o tempo todo.

Como nós vivemos hoje? Olha como nossas casas são, cheias de grades, com alarmes espalhados por todos os lados, se for isso e dentro de um condomínio fechado com segurança 24 horas, melhor ainda. Ah, se der para colocar um carro blindado no pacote também, eu agradeço. E para fazer uma guerra, basta ameaçar um cérebro reptiliano, afinal, a melhor defesa é o ataque, não é? Um ser negativo é um ser que é puro ego, e o ego, quer tudo para ele, então é obvio que a sociedade criada seria nesse formato piramidal. Dessa forma, eles detêm todo o poder e conhecimento nas mãos deles. Controle total.

Então os manda chuvas da Terra estão centralizados em poucas famílias que possuem tudo que é necessário para controlar o planeta. Eles são donos dos principais bancos do mundo, eles são donos da mídia, eles são donos das maiores empresas do ramo alimentício, do ramo de energia, eles estão por trás de tudo.

Eu sei que muita gente acha isso teoria da conspiração, que é viagem, que teria que ser uma coisa muito bem feita para ninguém perceber. Pois é, é muito bem-feita, vide o que eles fazem conosco, mas dá para perceber claramente, basta querer.Existe um macro modelo de atuação deles que foi intitulado por David Icke de: problema – reação – solução.

Olhem como isso é genial. Vamos recapitular: do que os reptilianos se alimentam? De medo, dor, sofrimento. Certo? Então vamos ao exemplo um: guerras. Para se fazer uma guerra, precisa-se de um motivo, um problema. E existem várias formas de se criar um problema. Um exemplo é através da mídia, que eles mesmos controlam. Basta soltar a notícia que um país está escondendo armas nucleares.

Pronto! Temos uma população com medo, o medo de ser atacado pelas armas nucleares dos irmãos vizinhos. É obvio que ninguém vai se preocupar em pesquisar se isso é verdade ou não, a televisão falou que tem, então tem. E se tem, a população quer uma resposta dos governantes do país (reação), não podemos viver com essa ameaça! Aí entra a solução. E qual é? Guerra ao terror! Resultado: morte, medo, ódio e um monte de reptilianos felizes da vida com a farta refeição. E arma nuclear que é bom? Nada.

Problema: um novo vírus, tipo H1N1, logicamente, criado em laboratório.

Reação: meu Deus! Governantes, façam alguma coisa!

Solução: vacina. E na vacina? Mais problemas. Genial! Agora sejam honestos e olhem para a vida na Terra. Temos quase 1 bilhão de pessoas passando fome, e o planeta, correndo a passos largos rumo a destruição. É engraçado que todo mundo já utilizou a expressão: “isso é desumano”. Agora eu pergunto, o quanto você parou, de verdade, para pensar se, realmente, é humano ou não?É tão gritante que, mesmo dormindo há milhares de anos, mesmo ainda cego, dentro de você, sua porção humana, sua porção de amor, não te deixa esquecer o que é ser humano.

Sabe essa sensação que o mundo está ao contrário? Essa sensação de estar remando contra a maré que vocês tanto me falam? Estão entendendo? E isso precisa ficar claro: o mundo não está ao contrário, ele está, exatamente, da forma como deveria estar. O problema, é que ele vem sendo pensado para ser negativo. Eles nos moldaram para acreditar em uma série de valores que nada se aproximam dos valores Crísticos.

Nós acreditamos no ego, nós acreditamos na posse. E isso chega a um nível doentio, do ponto, de termos que pagar para viver em nosso próprio planeta. Vocês já pararam para pensar nisso com sinceridade? É realmente sério que isso não te incomoda nenhum pouco?

Aprendemos desde pequenos a competir, assim que damos nossos primeiros suspiros na vida, já ganhamos um time para torcer e, com esse “presente”, uma quantidade generosa de ódio, raiva, inveja, entre outros sentimentos de baixa vibração. Tudo isso, transvestido de competição “saudável”.E entendam: a culpa não é do futebol, o esporte, nada tem a ver com isso. O problema se concentra nas mãos daqueles que alimentam o ódio pelos próprios irmãos. Nós acreditamos em um modelo de vida baseado na competição. Nós competimos nos esportes, competimos no trabalho, competimos nos relacionamentos, competimos o tempo todo.

John Nash, prêmio Nobel de 94 provou, matematicamente, que a cooperação é a forma mais efetiva de se viver, e não a competição. E nem precisaria da matemática para chegarmos a essa conclusão, pois, em última instância, somos Ele, o Todo, e Ele, é puro amor, e, onde há amor, há cooperação e jamais competição. É preciso que todos entendam isso: nós não vivemos uma sociedade humana, nós vivemos uma sociedade reptiliana, com valores e preceitos negativos, baseados na negação ao amor.

Essa é a nossa história, e não a contada em nossas escolas.

E não use essa informação para ficar com medo, use-a para estar acordado. Estamos na reta final da transição planetária, é hora de lembrarmos quem somos, de onde viemos, e para onde estamos indo. Cabe a nós sairmos dessa situação e, o primeiro passo, é reconhecer a realidade. Eles usaram nosso ego, nos tornando arrogantes a ponto de acreditar que estamos sozinhos no universo. E é essa arrogância que não nos permite enxergar que estamos sendo sabotados há milhares de anos.

Eles criaram as infinitas religiões baseadas em um Deus externo, um Deus que pune, um Deus que manda matar em seu nome. Nosso ego não nos permite perceber o quão tolo estamos sendo. Então quando eu falo do controle da mente, estou falando de estar ciente da programação que sofremos e, a partir dessa consciência, vigiar a mente o tempo todo. Fomos programados para agir como agimos, no entanto, a programação pode ser desfeita. São necessários 12 ms para a informação do cérebro reptiliano chegar até a amigdala e se tornar uma ação. Já para a informação chegar ao neocórtex, são necessários 24 ms.

Isso quer dizer que, se deixarmos no “automático”, o que tomaremos como ação, será o produto das ordens do cérebro reptiliano. Se respirarmos um pouquinho, se deixarmos nossa consciência tomar a frente da situação, é possível nos livrarmos de toda programação. É preciso vigiar a mente o tempo inteiro. É preciso questionar a origem dos nossos sentimentos o tempo inteiro. É preciso meditar, é preciso observar a origem das nossas crenças.

A melhor forma de nos afastarmos das influências dos seres negativos, é vibrando o amor. Eles só se aproximam de quem está vibrando baixo, que é a faixa de frequência que eles gostam. É preciso que paremos de optar pelo sofrimento. Estamos estruturados numa sociedade onde o sofrimento é visto como necessário. Lute hoje (sofra), vença amanhã.

Esse é um pensamento anti-Deus, pois, no Todo, não existe sofrimento, apenas amor incondicional. Nunca escolha o sofrimento, nunca acredite no não-amor. Queridos trabalhadores de Luz, é tempo de acordarmos. Peço que não acreditem em nada do que foi dito nesse texto, pelo contrário, duvidem de tudo, e façam suas próprias pesquisas. Vão a fundo até que não reste uma única dúvida sequer, e, aí sim, tirem suas próprias conclusões.

Para nossos irmãos reptilianos que optaram por negar o amor, muita Luz para vocês. O despertar é inevitável. Na Terra da quinta dimensão estaremos livres do “mal”, pois na quinta dimensão, não cabe, vibracionalmente falando, qualquer sentimento diferente do amor. E para chegar na quinta dimensão, é preciso vibrá-la agora, segundo após segundo, dia após dia.

FONTE

About Author

Reikiana, praticante e apaixonada por Yoga, a estudante de Design de Moda pela UCS, Manoela desenvolveu um grande interesse na conexão espiritual entre o passado, presente e o futuro da humanidade, seus caminhos e mudanças ao longo dos séculos. Suas pesquisas para o Verdade Mundial vem sendo amplamente visualizadas nas áreas da sociedade, história e religião.