“Trump”

1

A eleição americana deste ano não foi só uma simples eleição que temos a cada quatro anos. Ela foi uma encruzilhada na história dos Estados Unidos. Existe uma estrutura de poder global que é responsável pelas decisões econômicas e políticas que roubaram o país e colocaram o dinheiro nas mãos de grandes corporações e especuladores. Sua arma mais poderosa é a mídia corporativa e corrupta. A eleição americana foi uma vitória do povo contra esse sistema corrupto e mentiroso; foi uma vitória sobre esse plano macabro para controlar o mundo dessa Nova Ordem Mundial, que a mídia mostra como uma grande bobagem. As etapas para esse controle são em primeiro lugar, controlar a riqueza; em seguida criar conflitos (vide guerras do Vietnã, intervenção no Iraque e muitas outras), reduzir a população e decretar a lei marcial, onde acabam as garantias individuais.

Hillary Clinton é amiga íntima do magnata George Soros, bilionário que fez fortuna com manipulações de moedas e grande financiador de partidos de esquerda. A família Clinton está no centro dessa máquina de poder corrupto nos Estados Unidos e faz de tudo para garantir a continuidade desse sistema. Dentro desse círculo estão grandes banqueiros, donos da mídia e grandes empresas. Esses poderosos fazem parte do Clube Bilderberg e se reúnem de tempos em tempos, para discutir os rumos do mundo. Neste clube os convidados são escolhidos a dedo, como Peter Sutherland, diretor executivo da British Petroleum e da Goldman Sachs International, Paul Wolfowitz, ex-secretário de Defesa do governo Bush ex-presidente do Banco Mundial, Henry Kissinger, Bill Clinton, Tony Blair, David Rockfeller, Bill Gates, Javier Solana (Otan) e outros reis, políticos e bilionários. Tudo é válido para que eles fiquem cada vez mais poderosos e o povo pague a conta. Eles mentem e iludem. Aliás, aqui no Brasil já tivemos uma mostra desse comunismo corrupto internacional que tudo faz pelo poder e o povo já começou a entender como as coisas funcionam. Essa é a verdade sobre a eleição americana. Donald Trump é um conservador republicano que se rebelou contra essa estrutura de poder global que colocou o mundo na situação em que se encontra. Ele quer varrer essa mídia mentirosa que dá o suporte e tornar a américa grande novamente. Por isso ele foi tão combatido pela mídia.

Ele disse em um de seus discursos que sua briga maior era contra a NBC, CBS, ABC, CNN, N.Y. Times, Washington Post e outros gigantes da mídia, que dão suporte a esse grupo comunista de arrogantes do qual fazem parte muitos jornalistas, intelectuais e artistas, que vivem em um mundo diferente do nosso. É o grupo dos que evitam falar sobre Trump e que só conversam entre eles, com uma visão limitada e cheia de frases prontas. A eleição de Trump trouxe esperanças não só para os Estados Unidos, mas para todo o mundo que não suporta mais essa ordem política corrupta que manda na nossa vida. Trump diz que os Estados Unidos precisam de Lei e Ordem. Alguém duvida que isso não faz falta também no Brasil e no resto do mundo? Chega de mentiras e manipulações. Espero que Trump assuma e governe com liberdade, para começar a varrer toda essa porcaria do mundo, enquanto é tempo. O povo acordou e viu como foi e continua sendo enganado pela mídia.

About Author

Célio Pezza é escritor e colunista de diversos jornais e revistas no Brasil. Seus romances misturam ficção com realidade e trazem fortes mensagens por trás de cada história. Seu livro As Sete Portas foi traduzido para o inglês e editado no Canadá, EUA e Inglaterra. Sua mais recente obra, A Tumba do Apóstolo, foi lançada em 2014.

  • Murillo francisco Cason

    Claro. Trump é um amor de pessoa. Ele não é a personificação de cada palavra escrita no texto.
    Os EUA estavam sim em uma encruzilhada porque tanto um como o outro candidato que entrasse significaria a aceleração dos planos de dominação mundial, guerras e tudo o mais. Trump e Hillary são uma moeda com os dois lados iguais. Não importa de que lado caia a moeda, iria dar a coroa da tirania de qualquer jeito. Trump é um satã escancarado, já a Hillary ficava tentando esconder a ponta do rabinho…