Enxames de terremotos estão acontecendo na área do super-vulcão em YELLOWSTONE

Os sismógrafos de monitoramento de terremotos em toda a área do supervulcão em Yellowstone foram deliberadamente colocados off-line, longe da vista do público. Este foi um ato deliberado confirmado e vai ficar assim  para que o público não seja capaz de ver o enorme aumento da atividade sísmica na caldeira do vulcão. 

Ser capaz de ver o que está acontecendo em torno de Yellowstone é de grande interesse para muitas pessoas, porque se houver um surto de atividade de terremotos, pois que poderia ser – mas não necessariamente – um sinal de erupção eminente do supervulcão.

Desde que Yellowstone é o único “supervulcão” no continente norte-americano, e é muito geologicamente ativo, se uma erupção fosse realmente acontecer, os dois terços ocidentais dos Estados Unidos poderia potencialmente ser atingido com cinzas vulcânicas e uma grave ruptura da vida como a conhecemos.

Então, por que a informação esta off-line para o público? Ninguém está fornecendo respostas. Ainda mais peculiar, os sismógrafos financiados pelo setor privado da Universidade de Utah. . .também estão off-line para escrutínio do público.  Mas agora temos uma RESPOSTA:

As imagens de sismogramas que apareceram na SuperStation95 sempre vêm da Universidade de Utah, da University of Utah Seismograph Stations – UUSS. Em algum momento na noite de 04 de abril de 2016, eles de repente cortaram o acesso a essas imagens. Ninguém mais é capaz de arquivá-las ou apresentá-las na forma eficiente que temos vindo a conhecer e usar.

Pelo que podemos dizer até agora sobre essas alterações, as imagens sismográficas já se tornaram apenas “imagem seismographic.” Cada seismograma agora mostra apenas e exatamente as últimas 24 horas da sua vida, como se eles não quisessem mais que qualquer pessoa pudesse olhar para sua história até dois dias depois.

Os nomes de arquivo não tem mesmo nada neles mais, mas apenas o ID da estação. A única maneira para que todos possam compensar esse fato é baixar manualmente a imagem de cada estação uma vez por dia e, em seguida, colocá-las nos arquivos. Isso significa que eles nunca mais se apresentariam ao vivo novamente. Você iria ter que usar seu site para obter imagens ao vivo. Eles não poderiam ter inventado uma maneira melhor para quebrar os sites de terceiros se fosse isso que eles tentaram.

Depois de bisbilhotar com várias pessoas envolvidas no Centro Sismológico da Universidade de Utah, uma pessoa em suas instalações “tranquilamente” nos enviou um e-mail com uma única imagem gráfica, o que nos deu uma pausa.

Na imagem recebida e mostrada abaixo, a linha de colorido verde representa a fronteira do Yellowstone National Park. A (pouco visível) linha em amarelo representa a boca do super-vulcão, conhecido como Caldera. Os pontos vermelhos na imagem abaixo mostram todos os terremotos que aconteceram recentemente em Yellowstone, o super-vulcão   É por isso que os sismógrafos públicos foram subitamente indisponibilizados para o público em geral:

Nós não somos sismólogos, mas parece (para nós) como se algo estivesse acontecendo em Yellowstone. Estamos buscando profissionais para interpretar o que estamos vendo e vamos atualizar esta história, quando essa informação se tornar disponível.

Enquanto isso, como leigos sem treinamento, os pontos vermelhos na imagem acima nos dizem que alguma coisa “não esta bem”, o que parece estar ocorrendo em Yellowstone .

OS FATOS BÁSICOS SOBRE YELLOWSTONE

Fundada em 1 de Março de 1872, o Yellowstone National Park é o primeiro parque nacional dos Estados Unidos da América. O parque foi criado pelo presidente Ulysses S. Grant.

O Yellowstone National Park foi estabelecido 20 anos antes do que Montana, Idaho e o Wyoming se tornarem estados. A área do Yellowstone National Park é de 63 milhas (101, 367 Km) de comprimento por 54 milhas (86,886 Km) de largura (8.807,3732 km quadrados). 

ellowstone National Park é maior do que os estados de Rhode Island e Delaware combinados.

O SUPERVULCÃO

Muito abaixo da terra em Yellowstone National Park, existe algo chamado de “Hot Spot” (ponto quente). É um local onde o núcleo derretido de magma no interior da terra esta mais perto da superfície do que em outros locais no planeta.

Na medida em que a grande placa norte-americana continental se desloca ao longo dos anos, diferentes partes da superfície estão logo acima do gigantesco “ponto quente”

s geólogos foram capazes de identificar esses locais por meio da análise do solo, onde encontraram materiais relacionados com atividades vulcânicas e rocha derretida enterradas sob várias camadas de sujeira.

ERUPÇÕES

De tempos em tempos, o “hot-spot” estoura através da superfície com uma erupção vulcânica da caldeira gigantesca. Estas são ocorrências extremamente raras, que acontecem – em média – a cada 600.000 anos ou mais. A partir de hoje, os geólogos afirmam que já se passaram cerca de 640.000 anos desde a última grande erupção, então por alguns padrões, a próxima PODE ESTAR já um pouco atrasada.

Vulcões em erupção não trazem nada de novo, mas Yellowstone não é um vulcão comum típico; o local é um supervulcão. Há apenas trinta (30) supervulcões na Terra e Yellowstone é aquele único situado em terra. Todos os demais estão abaixo dos oceanos pelo mundo. A imagem abaixo explica a diferença absolutamente aterrorizante entre um vulcão “típico” e o de Yellowstone .

“SUSTO” EM JUNHO DE 2015

O Yellowstone National Park foi apressadamente evacuado em junho de 2015 devido a preocupações de que o super vulcão poderia entrar em erupção mais cedo do que o esperado. Os investigadores no local afirmaram que nos últimos 640.000 anos a Caldera do Yellowstone tinha exibido um aumento súbito da atividade que indicaria que o vulcão poderia entrar em erupção em menos de duas semanas. Eles apontaram que uma erupção do vulcão poderia muito bem jogar todos os Estados Unidos em um inverno vulcânico com duração de até 200 longos anos, a cinza obstruindo a passagem da luz do sol, e o fluxo piroclástico danificando irremediavelmente o ecossistema circundante.

Também em 2015, várias estradas através de Yellowstone foram fechadas após o pavimento de asfalto começar a derreter e borbulhar devido ao aumento de temperaturas extremas abaixo da superfície da terra. Ninguém ainda foi capaz de identificar o que desencadeou esta súbita onda de ação vulcânica. Funcionários de monitoramento do vulcão estavam principalmente preocupados com manter os caçadores de emoções e curiosos fora do parque, bem como desocupar áreas circundantes com segurança para evitar possíveis acidentes.
Naquele momento, o vulcanologista Richard Dunn, deu o seguinte relatório no que diz respeito à atividade alarmante do vulcão. “Isso é algo que nunca poderia ter sido previsto com precisão antes de acontecer. Este fluxo imprevisto de atividade vulcânica é bastante preocupante, e voa em face de todos os nossos estudos anteriores sobre este vulcão em particular. A nossa principal preocupação neste momento é receber as pessoas com segurança”. 

NÃO ENTREM EM PÂNICO; apenas estejam cientes

É vital que você entender que não há aviso oficial sobre qualquer ERUPÇÃO OU MESMO QUALQUER PROBLEMA EM YELLOWSTONE e você não deve tratar este artigo como QUALQUER TIPO DE AVISO.    

Por favor, não saia por ai despreparado, a chamar as autoridades sobre este relatório, porque não há absolutamente nenhuma necessidade de se fazer isso; se eles sentirem que há qualquer coisa que o público precisa saber, eles vão nos alertar.  Estamos simplesmente relatando o status OFFLINE dos sismógrafos públicos e agora, confirmando que a mudança foi deliberada.

Uma das melhores simulações do potencial eruptivo do Yellowstone Supervulcão é a explosão dele mostrada no filme “2012”, que pode ser visto no vídeo abaixo:

Tradução, edição e imagens:  Thoth3126@protonmail.ch

Por USReporter – Fonte: https://www.superstation95.com

About Author

Criador do Site Verdade Mundial, fotógrafo por amor e profissão. Um inquieto da sociedade! Acredito que podemos mudar o pensamento das massas com a informação. Temos as ferramentas e a vontade de ver um Mundo melhor e livre. Estamos nessa luta há dez anos e em frente!