Não nascemos preconceituosos ou machistas, aprendemos a ser

3

“O que acontece quando pedimos para um menino bater em uma menina?” O jornalista italiano Luca Lavarone decidiu tirar a dúvida em frente às câmeras com meninos de seis a onze anos, em um vídeo intitulado “Slap her!” (Bata nela!).

Luca pergunta nome, idade e o que querem ser quando crescer. “Bombeiro”, “Jogador de Futebol”, “Padeiro”, “Policial”, “Pizzaoilo”, estão entre as respostas. Depois apresenta Martina, e segue fazendo perguntas. Até que Lavarone provoca com um pedido: “Bata nela”.
De acordo com o jornalista, o objetivo do experimento é descobrir a reação das crianças em relação à violência contra a mulher, entender como isso muda ao longo do amadurecimento e conscientizar.
As respostas dos meninos para os pedidos de “Bata nela!” foram unânimes (e surpreendentes), com justificativas variadas.

FONTE

About Author

Estudante no curso Design de Moda pela UCS, Manoela desenvolveu um grande interesse na conexão espiritual entre o passado, presente e o futuro da humanidade, seus caminhos e mudanças ao longo dos séculos. Suas pesquisas para o Verdade Mundial vem sendo amplamente visualizadas nas áreas da sociedade, história e religião.

3 Comentários

  1. Tb ninguém nasce sendo feminista, que prega o ódio aos homens e q, por definição, sequer conhece a própria história do feminismo, mas tá lá, idolatrando uma pedófila e nazista (Simone DeBeavoir) e dizendo q mulher é mais q peito e bunda, mas faz protesto mostrando peito e bunda…e mascara td isso com discurso de “luta por igualdade”.

    Encher lage e prestar serviço militar obrigatório nenhuma quer…