Relembre o caso: Família inteira foi abduzida em MG

1

Convido os amigos a conhecerem o caso de uma família da cidade de Iturama – MG, a qual, há mais de 16 anos, teve todos os seus membros abduzidos por ETs, quando estavam dentro de um carro, em uma estrada rural do sul do Triângulo Mineiro, pelo menos é o que alega todos os membros desta família. Esta região é rica em fenômenos ufológicos.

Destaque para o depoimento da caçula da família, uma criança que tinha apenas 3 anos, quando sequestrada, e que tinha 4 anos quando deu o seu depoimento ao repórter do SBT. Não sei o que ganhariam inventando uma história dessas, mas sei bem o que perderiam (ou perderam), sei bem como é fácil chamá-los de loucos e esquecer todas as evidências do caso, por puro ceticismo. Muitos fazem isso sem a menor cerimônia, não é mesmo?

FONTE

O eletricista João Caiana, como é conhecido na cidade, relatou que no dia em que foi abduzido com a esposa estava acompanhado da filha, da neta e de uma amiga da família. Ele lembrou que saía de uma fazenda quando viu uma claridade assim que parou na porteira. “Parei para mostrar que não era um avião. A luz estava bem linear ao para-brisa do carro e quando parei, a luz já estava à esquerda. Continuei e quando percebi minha filha disse que eles estavam vindo atrás de nós”, lembrou.

O eletricista relembrou que os extraterrestres ficaram bem perto deles e só percebeu a abdução quando estava no ar. “Olhei e estavam bem em cima. Quando fui sair, minha esposa gritou e eles acenderam uma luz. Mandei fechar o vidro rápido. Ela olhou e viu que eles estavam perto da gente, um do meu lado e o outro dela. Firmei o volante do carro, mas quando olhei, vi a porteira de uma fazenda onde passaríamos e percebi que eu estava no ar”, afirmou.

O casal voltou ao local da abordagem alienígena, que fica a cerca de sete quilômetros da casa deles. “Trocou a temperatura. De calor intenso, passei a sentir muito frio”, relembrou o eletricista. “Eu não vi a terra, só a copa dos eucaliptos. Não tinha como estar no chão e ver a copa”, relembrou a professora.

Depois que foram levados ninguém se lembra de nada. Para descobrir o que ocorreu durante os 50 minutos que ficaram sequestrados, todos passaram por regressão com especialistas. “Na regressão consta uma cirurgia na cabeça da minha filha e uma coleta de sangue na perna esquerda da minha mulher. A minha neta teve um furo na coluna e no pé”, afirmou João.

O eletricista disse ainda que, quando fizeram o procedimento nele, a neta foi levada para uma sala separada. “Quando eles me cortaram, tiraram ela de perto, pois começou a chorar. Um ser menor a levou para um cômodo separado. Cortaram no meu lado direito do peito e abriram minha cabeça no meio”, disse.

Fotos mostram as marcas que apareceram depois que voltaram para a terra. Naquele dia, assim que recuperaram a consciência, todos foram direto para o hospital. “Para mim foi e continua sendo assustador. Até hoje nos lembramos do assunto. Deparar com aquela situação que só a gente pode transmitir o que passamos. É difícil falar e não ter a prova concreta. Fomos para médico, tomamos remédio. É muito doloroso”, disse Rosa.

A história foi destaque em jornais de várias cidades e até em revistas especializadas em ufologia. Depois de serem abduzidos, a vida deles nunca mais foi a mesma. As manchas que aparecem em várias fotos da família são a comprovação das visitas, que segundo o eletricista, ainda recebem. “Depois de um tempo, vi três na porta do meu quarto, os mesmos que estavam com a gente. Eu morri de medo, mas tinha que proteger a família”, concluiu João. G1

About Author

Criador do Site Verdade Mundial, fotógrafo por amor e profissão. Um inquieto da sociedade! Acredito que podemos mudar o pensamento das massas com a informação. Temos as ferramentas e a vontade de ver um Mundo melhor e livre. Estamos nessa luta há dez anos e em frente!

  • Erick

    1996. ET de Varginha.
    2004. Caso Iturama.