-Por favor, dê-me sua permissão para ir ao Himalaia. Espero em solidão imperturbável ininterrupta comunhão divina.

Eu realmente dirigi essas palavras ingratas a meu Mestre Sri Yukteswar. Acometido por uma das ilusões imprevisíveis que ocasionalmente assaltam o discípulo, eu sentia crescente impaciência com os deveres do eremitério e os estudos da faculdade. Circunstância fracamente atenuante é que o pedido foi feito após seis meses de convivência com Sri Yukteswar. Eu ainda não tinha avaliado plenamente sua incomensurável estatura.

-Muitos montanheses vivem no Himalia, contudo não possuem a percepção de Deus. – A resposta de meu guru veio devagar e com simplicidade. – Procura-se melhor a sabedoria em um homem de consciência divina do que em uma montanha inerte.

Ignorando o claro sinal de meu mestre, de que ele, e não uma montanha, era meu instrutor, parti para a minha viagem.

Depois de horas a fio perdido em campos de arroz, no escaldante sol da Índia, Yogananda encontra um mestre.

” -Diga-me, onde pensa que Deus está?

– Ora, Ele está dentro de mim e de tudo. – Sem dúvida, eu parecia tão aturdido quanto me sentia.

-Permeando tudo, heim? – O santo riu. – Então por que jovem senhor, não fez reverência ao Infinito no símbolo de pedra, ontem , no templo de Tarakeswar? Seu orgulho motivou o castigo de ser posto em rumo falso por um transeunte que não se preocupava com refinadas distinções entre direita e esquerda. Hoje também, você teve um dia bem desagradável!

Concordei plenamente, maravilhado de que um olho onipresente estivesse oculto no corpo tão comum que tinha á minha frente. Uma força curativa emanava do Iogue; senti-me instantaneamente refrescado naquele campo escaldante.

O devoto tende a pensar que seu caminho para Deus é único- disse – A Yoga, que permite achar a divindade no interior do homem, é indubitavelmente a senda mais elevada, como Lahiri Mahasaya afirmou. Mas, ao descobrirmos o Senhor dentro de nós, logo O percebemos fora de nós. Os santuários de Tarakeswar e de outros lugares são, com justiça, venerados como centros nucleares de poder espiritual.

A atitude de censura do santo desapareceu; seus olhos tornaram-se suaves, compassivos. Deu uma palmadinha em meu ombro.

-Jovem iogue, vejo que está fugindo de seu mestre. Ele tem tudo o que você precisa; você deveria voltar para ele. – E acrescentou: – As montanhas não podem ser o seu guru.- O mesmo pensamento que Sri Yukteswar expressara dois dias antes.

Os mestres não estão sob a obrigação cósmica de viver apenas nas montanhas. – Meu companheiro examinou-me com olhos zombeteiros. – A cordilheira do Himalaia, na Índia e no Tibete, não tem o monopólio dos santos. O que alguém não se dá ao trabalho de procurar dentro de si não será descoberto ao transportar o corpo de lá para cá. Mas assim que o devoto se dispõe a ir até o fim do mundo atrás da iluminação espiritual, seu guru aparece, bem próximo.

Silenciosamente concordei, relembrando minha oração no eremitério de Benares, seguida pelo encontro com Sri Yukteswar numa rua repleta de gente.

-Você dispõe de um quarto pequeno onde possa fechar a porta e ficar sozinho?

-Sim.- Refleti como este santo descia do geral ao particular com velocidade desconcertante.

-Essa é a sua caverna. – O iogue lançou-me um olhar de iluminação que jamais esqueci. – Essa é a sua montanha sagrada. É ali que encontrará o reino de Deus.

Suas palavras simples baniram instantaneamente minha longa obsessão pelo Himalaia. Num abrasador campo de arroz despertei de meu sonho de montanhas e neves eternas.

Capítulo 13, O santo que não dorme

Para experimentar a meditação, não é necessário ir a uma caverna remota no Himalaia. A meditação é um mergulho profundo no momento presente. É trazer a mente, que está dispersa em todos os lugares, de volta a sua fonte. Na meditação, sua mente está alerta e todos os órgãos estão em profundo repouso. É um repouso nas tranquilas, calmas e serenas profundezas de seu Ser.

About Author

Reikiana, praticante e apaixonada por Yoga, a estudante de Design de Moda pela UCS, Manoela desenvolveu um grande interesse na conexão espiritual entre o passado, presente e o futuro da humanidade, seus caminhos e mudanças ao longo dos séculos. Suas pesquisas para o Verdade Mundial vem sendo amplamente visualizadas nas áreas da sociedade, história e religião.