Tal qual a construção de uma pirâmide, a jornada da vida humana começa na base, onde muitos residem, mas poucos se elevam em direção ao cume. Todos os níveis são importantes: sem uma base sólida, a pirâmide não existe. À medida em que uma pessoa sobe nessa pirâmide, ela se torna mais importante e sua responsabilidade aumenta. Lá no alto existe a Luz e, à medida em que ela fica mais perto da Luz, mais ela vê e entende o mecanismo todo da pirâmide da vida. Sua responsabilidade de levar essa Luz aos pontos  escuros mais abaixo aumenta à medida em que ela sobe. Esse é um dever para com a espécie humana. Se você está mais acima em termos de Conhecimento e Poder, inclusive econômico, você terá condições de fazer mais para um número maior de pessoas que estão na base. Essa estrutura precisa da base mas, uma base bem cuidada é mais sólida e a pirâmide tem maior resistência. Em termos econômicos, fica claro que uma pessoa que tem muito, pode fazer muito por aqueles que nada tem. Uma pessoa abastada pode construir um hospital e ajudar a salvar centenas de vidas.

O dinheiro em si não é nem bom nem mau, pois ele não tem sentimentos. A decisão de como usá-lo, essa é a grande diferença. No final da vida, o rico e o pobre, passarão pela mesma porta, sem carregar nada. O que ficará para ser lembrado serão seus feitos e quanto você ajudou os outros seres humanos. O que você fez para a humanidade? Se você levou um pouco da Luz que você encontrou, você fez sua parte. Se você a escondeu, você em nada ajudou. Da mesma forma funciona com o Conhecimento, o Poder e com toda a engrenagem. Se você começar a entender toda a sabedoria que existe em uma simples pirâmide, você vai começar  a evoluir. Entenderá que a sua escalada em direção ao cume, onde está a Luz, vai abrindo sua visão degrau a degrau e você não mais vai querer voltar para baixo. Vai também entender que ajudando quem está embaixo a subir, vai formando uma massa crítica importante para que a pirâmide cresca mais ainda para cima. Tudo aquilo que te prende ou procura realçar as virtudes de estar em baixo, vai contra a evolução da espécie humana, vai contra a sabedoria da Pirâmide, vai contra a busca da Luz.

Os povos antigos que passaram pela Terra, nos deixaram algumas pirâmides para nos ajudar a entender todo esse mecanismo; nos deixaram vários símbolos, mostrando uma filosofia de vida e de crescimento, mas a maioria dos seres humanos se perdeu olhando para coisas sem interesse e não sabem mais o significado de muita coisa que está na sua frente diariamente. Pior ainda: alguns os desvirtuaram para propósitos egoístas e passaram a dizer absurdos contra uma sabedoria de crescimento. Tornam os humanos mais ignorantes, submissos e condenados a viver no escuro das superstições, dos medos, da servidão e fanatismo. Estes não conseguem ver a Luz e acham que no alto da Pirâmide só existem demônios. Na verdade, estes são os maiores inimigos do crescimento do Homem. São seres atormentados por medos imaginários que lhes foram incutidos de uma forma egoísta, por aqueles que evitam a Luz , o Conhecimento e a Verdade para todos. São os seres que tentam puxar para baixo os que estão acima, ao invés de tentar subir ao mesmo nível.

About Author

Célio Pezza é escritor e colunista de diversos jornais e revistas no Brasil. Seus romances misturam ficção com realidade e trazem fortes mensagens por trás de cada história. Seu livro As Sete Portas foi traduzido para o inglês e editado no Canadá, EUA e Inglaterra. Sua mais recente obra, A Tumba do Apóstolo, foi lançada em 2014.