É na integração das nossas múltiplas inteligências que o nosso Eu Autêntico, o Eu Dhármico, VERDADEIRO, sobressalta. Quando eu sei no que acredito e vivo uma relação de fidelidade com os meus valores, eu estou atuando dentro da minha Inteligência Espiritual. A inteligência espiritual é a mais importante das nossas inteligências, porque nela eu me torno uma luz-guia para os outros, uma vez que recuso-me a coexistir em uma atitude mental não virtuosa.

  • O QI nos ajuda a lidar com as coisas;
  • O QE com pessoas;
  • Já o QS nos dá harmonia interior para tatear a vida lá fora.
Juntos produzem um estado em que os problemas do mundo são administrados com a desejada RESILIÊNCIA.
Capacidade de transcender o mundo físico e o materialhabilidade de experienciar estados elevados de consciência e viver com a intenção de santificar o dia a diausando informações espirituais para resolver problemas com atitude destemida, nos levam a esse estado de guerreiros da luz.
Essa é a Inteligência Espiritual.

Nossos antepassados tinham e viviam o conceito. Chegou o tempo de resgatarmos o estado natural de nossa alma para essa atitude de compassividade destemida para com tudo o que vibra e vive.

A Inteligência Espiritual nos provoca a habitar em um estado de consciência mais profundo para com o nosso relacionamento com os outros, enquanto um ser que habita este planeta com seus irmãos. É a forma que a ciência está buscando para chamar atenção para a nossa habilidade de agir com sabedoria e compaixão, balanceando tanto a nossa paz interna, quanto a externa – não importam as circunstâncias.

Para os cientistas sociais, a Inteligência Espiritual é uma dimensão superior da inteligência, que ativa as qualidades e capacidades do nosso Eu Autêntico – para não dizer aquela palavrinha que nós mais espiritualizados amamos:  Em outras palavras, a Inteligência Espiritual quer ativar a ALMA.

Quer preencher nossa existência com sabedoriacompaixãocompletudealegriaamorcriatividade, bem-aventurança paz. Ela nos traz um senso de significado interior profundo e de propósito para com a vida, combinado com melhorias que muito dignificam nossas aptidões para a vida e o trabalho, porque entrega o Ser ao Mistério, ou seja. Nos aproxima de…DEUS

Krishna, há 5.100 anos chamou isso de DHARMA.

QI é o Quociente de Inteligência, um fator que mede a inteligência das pessoas, em sua capacidade de lidar com formas, números, fatos e palavras. Mede a capacidade e velocidade de processar informação. Seria como ver o cérebro como um computador. Quanto mais processamento, melhor. O foco do QI é mente.Mas não somos robôs. Ser uma enciclopédia ambulante ou gênio de computação é muito bom, mas pouco adianta se a pessoa não consegue lidar com suas emoções, nem lidar com as emoções dos outros. A pessoa ficará infeliz e até mesmo pouco produtiva. Vendo a importância disso, surgiu em 1990 o conceito de QE, quociente de Inteligência Emocional. O mundo entendeu e valorizou o conceito de sabermos lidar bem com nossa personalidade. Assim, o foco do QE é o coração.

Agora surge no mundo acadêmico a compreensão de uma terceira inteligência, que coloca nossos atos e experiências num contexto mais amplo de sentido e valor, tornando-os mais efetivos. Trata-se do QS, quociente de Inteligência Espiritual. O foco do QS é a alma.

A pesquisadora Dana Zohar identificou dez qualidades comuns às pessoas espiritualmente inteligentes.

Segunda Zohar, as pessoas que têm inteligência espiritual apresentam essas características:
  1. Praticam e estimulam o autoconhecimento profundo
  2. São levadas por valores. São idealistas;
  3. Têm capacidade de encarar e utilizar a adversidade;
  4. São holísticas;
  5. Celebram a diversidade;
  6. Têm independência;
  7. Perguntam sempre “Por quê? ”;
  8. Enxergam fora da caixa:
  9. Têm espontaneidade;
  10. Têm compaixão.

Uma excelente lista de características.

Note que a visão espiritual nos leva para o bem-estar último, com a compreensão que nossa felicidade está atrelada ao bem de todos. Com inteligência espiritual podemos ver aquilo que nos une e entender que o bem que faço, gera o bem para mim. A visão espiritual nos permite ver que tudo que nos acontece, inclusive os ditos “problemas”, são oportunidades para crescimento. Conseguimos entender que estamos no comando da vida e que não dependemos de ninguém. Buscando sempre significado em tudo que fazemos, entendemos que tudo precisa ser visto de forma completa: mente, coração e alma.

Ken O’Donnell; Howard Gardner, Stephen Covey, Robert Emmons e Cindy Wigglesworth, além da já comentada Dana Zohar, são alguns dos cientistas comportamentais que têm debruçado suas mentes sobre o tema. Considero louvável o trabalho da Dra. Dana Zohar e vejo com entusiasmo o despertar do campo de estudo da inteligência espiritual.
Todos que encontramos e conhecemos, intimamente ou pouco, estão travando algum tipo de batalha interna para se reequilibrar e voltar a sentir-se bem na própria pele. Lutas das quais pouco sabemos. Então, sejamos sempre gentis uns com os outros. Sempre.

E cultivando o seguinte mantra: O Bem que eu faço gera o Bem para mim também!

Enviado por HARLLEYALVEZCOMMUNICATIONS
Crédito das fotos: https://pixabay.com/

About Author

Criador do Site Verdade Mundial, fotógrafo por amor e profissão. Um inquieto da sociedade! Acredito que podemos mudar o pensamento das massas com a informação. Temos as ferramentas e a vontade de ver um Mundo melhor e livre. Estamos nessa luta há dez anos e em frente!