3/04 de janeiro – Chuva de meteoros Quadrantids: Essa é uma chuva diferente, pois pode ocorrer com até 40 meteoros por hora em seu momento de maior intensidade. A data dessa chuva é a partir do dia primeiro até o quinto. Porém, ganha sua maior força nos dias 3 e 4.

31 de janeiro – Eclipse lunar total: O eclipse lunar total ocorre quando a Lua se localiza totalmente na sombra da Terra que é feita pelo Sol. Assim, dá impressão de que o astro some por alguns instantes, já que sua iluminação é afetada. Os melhores lugares para ver esse evento será no norte da América e da Ásia, Austrália e no Oceano Pacífico.

15 de fevereiro – Eclipse solar parcial: Este eclipse acontece quando apenas uma parte do sol é encoberta pela Lua. Só que a iluminação do dia quase não sofre nenhuma alteração. Esse evento será melhor visto principalmente da América do Sul pelos países Chile e Argentina.

20 de março – Equinócio: O equinócio é a troca de estação, é neste dia que ocorre o equilíbrio entre o dia e noite. No hemisfério norte ocorre o equinócio de primavera e marca os dias que terão mais luz. Já no hemisfério sul, temos o equinócio de outono, significa que a noite terá mais espaço nos dias a seguir.

21 de abril – Chuva de meteoro Lyrids: Segundo calendário lunar 2018, essa chuva de meteoros é um evento que produz uma trilha de poeira brilhante que dura vários segundos. No ápice da chuva, ele é capaz de ter cerca de 20 meteoros por hora. A data em que ele aparece mais forte é 21 de abril, porém pode ser vista a partir do dia 16 até 25 do mesmo mês.

05 de maio – Chuva de meteoro Aquarids Eta: A Aquarids Eta é um banho de luz que ocorre com 10 meteoros por hora no seu momento mais intenso. O melhor lugar para a visualização desse evento é para o leste, e a sua data oficial é no dia 5 e 6 de maio, pois o seu pico ocorre a partida da meia-noite entre os dois.

09 de maio – Júpiter em oposição: O planeta Júpiter terá a sua maior aproximação da Terra nesse dia. Por isso, terá toda a sua face iluminada pelo Sol e será bastante visível do nosso planeta. Aproveite esse momento para fotografar um dos melhores acontecimentos do ano.

21 de junho – Solstício: Esse evento ocorre quando um dos hemisférios (Norte ou Sul) está mais perto do Sol. Assim, o que estiver mais perto da estrela maior terá o dia mais longo que a noite, e o outro hemisfério que estará distante terá a noite mais longa que o dia. Em junho, o hemisfério Norte se encontra mais próximo do Sol, e por isso tem o início do solstício de verão nesse local. Já no hemisfério sul, esse dia representa o início do solstício de inverno.

27 de junho – Saturno em oposição: Essa é a fase do ano em que Saturno estará mais próximo da Terra. Assim, temos a maior chance de visualizar esse planeta. Use esse dia para capturar esse momento.

Calendário lunar 2018 online: julho até dezembro
13 de julho – Eclipse solar parcial: Quando uma parte do Sol for encoberto pela Lua ocorre esse eclipse. A iluminação do dia quase não sofre nenhuma alteração, mas se você estiver em determinados pontos do mundo consegue ver melhor. Neste dia, o melhor local para a visualização é o extremo sul da Austrália e Antártida.

27 de julho – Eclipse total lunar: No momento em que a Lua se localizar completamente na parte sombria da Terra, causada pela ausência de luz do Sol, é quando surge o eclipse. A impressão que se tem é de que por alguns instantes o astro some. Os melhores lugares para presenciar esse evento será na Europa, África ocidental, central da Ásia e Austrália ocidental.

28 de julho – Southern Delta chuva de meteoro Aquarids Eta: Essa chuva de meteoro acontece em média com 20 meteoros por hora no seu pico. Esse banho de luz recebe esse nome, porque a chuva de meteoros ocorre na constelação de aquário. Para ver melhor esse acontecimento, o local ideal é no leste após meia-noite.

11 de agosto – Eclipse solar parcial: Como já explicado no calendário lunar 2018, o eclipse solar parcial é quando um pedaço do Sol é coberto pela Lua, sem ter uma alteração muito grande em sua iluminação. Nessa data, o melhor local para visualizar esse evento será no Canadá, Groenlândia e o extremo norte da Europa.

12 de agosto – Chuva de meteoro Perseidas: De todas as chuvas de meteoro que ocorrem durante o ano, a Perseidas é uma das melhores para se observar. Isso devido ao fato de que no seu momento mais intenso ela chega a ter 60 meteoros por hora. O melhor lugar para visualização é na região nordeste, em um lugar sem muitas luzes da cidade e após a meia-noite.

07 de setembro – Netuno em oposição: O planeta conhecido por sua cor azul terá uma maior aproximação do planeta Terra. Todavia, apesar do seu tamanho e proximidade, Netuno ainda é muito distante dificultando a visualização a olho nu. Mas com equipamentos como o telescópio, poderá ajudar a visualizar.

23 de setembro – Equinócio: Como já citado acima, o equinócio é o equilíbrio entre o dia e noite. Porém, em outubro o hemisfério Norte terá o equinócio de inverno, marcando para eles o começo das noites mais longas que o dia. Já no hemisfério Sul, temos o equinócio de primavera, ou seja, o Sol terá maior duração durante esses dias.

23 de outubro – Urano em oposição: O planeta Urano estará mais próximo da Terra dando a oportunidade de visualização. No entanto, ele ainda está muito distante do nosso planeta, por tanto a olho nu só poderá enxergar um ponto bem pequeno azul-verde.

17 de novembro – Chuva de meteoro Leônidas: O banho de luz que ocorre no momento mais intenso dessa chuva pode produzir 40 meteoros por hora. Existem relatos de que a partir do dia 13 já é possível ver alguns meteoros, entretanto o seu auge é do dia 17 ao 18, a partir da meia-noite, olhando para a constelação de leão.

13 de dezembro – Chuva de meteoro Geminids: Essa chuva é a melhor para assistir a céu aberto. Sua intensidade é capaz de produzir até 60 meteoros multicoloridos por hora. A partir do dia 6 já é possível encontrar alguns vestígios desse fenômeno, contudo seu auge é do dia 13 para 14, a meia-noite assistindo do leste do mundo.

21 de dezembro – Solstício: O segundo solstício do ano ocorre pelos mesmos motivos do primeiro. No entanto, por conta da rotação do planeta, as posições dos hemisférios trocam. Agora em dezembro, o hemisfério Norte se encontra longe do Sol, e por esse motivo temos o início do solstício de inverno. Já o hemisfério Sul se aproxima da estrela maior e tem esse dia como o início do solstício de verão.

Designer de Moda, reikiana, praticante e apaixonada por Yoga, Manoela desenvolveu um grande interesse na conexão espiritual entre o passado, presente e o futuro da humanidade, seus caminhos e mudanças ao longo dos séculos. Suas pesquisas para o Verdade Mundial vem sendo amplamente visualizadas nas áreas da sociedade e espiritualidade.