A Marinha russa liberou arquivos de encontros com OSNIs (Objetos Submarinos Não Identificados)

que ultrapassam a tecnologia humana, informa o jornal online Svobodnaya Press.

Os registros liberados pelos militares russos remontam ao período em que um grupo especial da Marinha recolheu relatos de incidentes inexplicáveis, entregues por submarinos e navios de guerra.  O grupo foi liderado pelo vice-capitão da Marinha, almirante Nikolay Smirnov, e muitos documentos revelam casos de possíveis encontros com OVNIS, afirma o site.

Vladimir Azhazha, um ex-oficial da Marinha e famoso ufólogo afirma que o material divulgado é de grande valor. “Cerca de 50% dos encontros com OVNIS estão relacionados com os oceanos. Quinze por cento com os lagos. Então, os OVNIS preferem a água. “Ele relatou.

Em uma ocasião um submarino nuclear, que estava em missão de combate no Pacífico, avistou mais de seis objetos desconhecidos submersos. Depois que a tripulação não pode se livrar de seus perseguidores com manobras, o comandante ordenou que emergissem. Os objetos seguiram o exemplo, elevaram-se no ar, e voaram longe.

Muitos eventos misteriosos ocorreram no Triângulo das Bermudas, recorda o comandante de submarinos reformado, Almirante Yury Beketov. Avaria de instrumentos, sem qualquer razão aparente, ou detecção de forte interferência.

Imagem ilustrativa: um OSNI estacionado no fundo do mar.

O oficial da Marinha russa alega que poderia ter sido uma interrupção deliberada causada por OVNIs. “Em diversas ocasiões, os instrumentos revelaram objetos se movendo a incrível velocidade. Eu calculo uma velocidade de cerca de 230 nós, 400 km / h. Acelerar desta forma, é um desafio, mesmo na superfície”.

Mas a resistência na água é muito superior. É “como se os objetos desafiassem as leis da física. Existe apenas uma explicação: esses objetos são construídos com materiais, muito superiores aos nossos, construídos por uma antiga civilização, alienígena ou de outros mundos, escondidos de nossos olhos em águas profundas”.

O veterano da inteligência da Marinha russa, Primeiro Capitão, Igor Barklay afirma que: “Os OVNIs oceânicos aparecem onde existem concentrações de frotas da OTAN.Próximo das Bahamas, Bermudas, Porto Rico. São mais freqüentemente vistos na parte mais profunda do Oceano Atlântico, na parte sul do Triângulo das Bermudas e no mar do Caribe. De acordo com alguns especialistas na área de Porto Rico, há uma base OVNI subaquática“.

Outro local onde muitas pessoas vêem OVNIs, é perto do Lago Baikal, na Rússia, o mais profundo lago de água doce no mundo. Marinheiros tem constantemente visto nas profundezas, luzes como holofotes, piscando como um ‘flash’ de solda elétrica. Foram vistos cilindros ou discos prata e luminosos, que emanam raios de luz na água.Em um caso, de 1982, um grupo de mergulhadores militares, viram na profundidade do lago Baikal um grupo de criaturas humanóides, vestidas com trajes prateados“, assegura Barklay.

O encontro ocorreu em uma profundidade de cerca de 50 metros e os mergulhadores tentaram capturar os estranhos. “Três dos sete homens morreram, enquanto quatro outros ficaram gravemente feridos“, afirmou.

Informações e imagens do Russia Today/Svobodnaya Pressa.

* Extraído do blog Arquivos do Insólito.

OSNIs sul-americanos

 Suposta base submarina na Venezuela*

 No ano de 1973 a imprensa venezuelana reportou diversos casos de OSNIs

(Objetos Subaquáticos Não Identificados) relatados pela população da região costeira.

Tradução de Vitório Peret & Célio Carvalhal

O litoral da região Norte do sub-continente sul-americano registra diversos casos de objetos subaquáticos não identificados.

A notícia apareceu na imprensa venezuelana no final de março de 1973, através do Sr. Victor Gesua representante da FSR [N.E.: desconhecemos esta sigla]. Segundo ele tudo pode indicar que como muitos venezuelanos já acreditam, exista uma base submarina de OVNIs ao largo da costa do país. A área das atividades observadas é conhecida como “El Litoral Central”.

Na noite de 23 para 24 de março de 1973,  muitas pessoas nas ruas de La Guaira viram um Ovni ziguezaguiar de norte para sul, emitindo clarões de luz azul. Estacionou durante vários minutos sobre o clube Playa Azul e embora de início as testemunhas pensassem que fosse um cometa, quinze minutos mais tarde, quando ele estava sobre o mar, a cerca de 15 milhas da costa, puderam ver claramente – conforme afirmaram -, apesar da névoa existente, que o Ovni estava originando grandes ondas na superfície da água.

Naquela mesma noite houve registros de OVNIs viajando a vertiginosas velocidades sobre as cidades de Todasana, La Sabana, Naiguáta e Caruao. O Sr. Thelmo Lozano de 50 anos, afirmou que os OVNIs estavam causando perturbações na recepção das ondas de rádio e TV.

Segundo ele, enquanto os objetos luminosos estavam por cima de sua casa o rádio emitiu um assobio intermitente e depois, como o de um disco arranhado, acabando como o barulho de um relâmpago e a seguir um trovão. Outras testemunhas observaram que os objetos mudavam de cor e neste mesmo momento tornavam-se ovais alterando também sua aerodinâmica.

Ao discutirem a crença largamente espalhada, sobre as “bases submarinas”, a imprensa entrevistou o Sr. Julian Hidalgo Montezuma, observador noturno, que disse ter visto recentemente OVNIs sobre Macuto e Naiguáta. Ele disse que tinha visto várias “luzes alaranjadas” de forma tubular, “como nossos foguetes” saírem da água a grande distância da costa e desaparecerem no céu.

Em outras ocasiões, disse ter visto-as emergir várias vezes na mesma noite. Ele acreditava que poderia haver uma enorme nave-mãe submersa.

OVNIs Submarinos no Mar das Caraíbas?

Carmelo Pantri Salazar, empregado dos serviços de sangue municipais, também disse ter visto um Ovni sobre o mar, disse ainda que qualquer pessoa o poderia ver todos os dias entre as 18 e 19h emergindo-se do mar do lado oposto ao terminal de passageiros da marinha de “La Guaira” e dirigir-se a incrível velocidade para o sul em direção de “El Avila Range”. Salazar concorda com Pedro Pena sobre a mudança de cor e na seqüência, como também na mudança para a forma oval, conforme também observou Montezuma.

No dia 28 de março de 1973, surgiu a notícia de que o aeroporto de Maiquetia há  dez dias consecutivos acusava a presença de OVNIs. A imprensa [N.E.: não faz referência ao veículo] informou que a teoria da base submarina se espalhou e fortaleceu com rapidez. Especula-se que os OVNIs aterrissem freqüentemente em locais de praias isoladas e de difícil acesso, especialmente na parte oriental da costa venezuelana, onde tem sido encontradas pedras e areias chamuscadas.

Os repórteres do jornal “Últimas Notícias”, da capital Carácas, visitaram um destes locais, numa praia bastante pedregosa. O que os impressionou imediatamente foi que o hipotético local de aterragem estava totalmente livre das pedras, como se estas tivessem sido atiradas para fora, na direção periférica. O solo neste local parecia que havia sido varrido por um “maçarico”. Num outro local da praia foi encontrado um enorme buraco, descrito como o “ninho dos OVNIs ” com grande número de caranguejos mortos – parecendo terem morrido por algum efeito radioativo.

No entanto, uma enorme maré algumas noites mais tarde, apagou os traços de alguns desses sítios, quando os repórteres lá chegaram já não se podiam ver as estranhas marcas. Em ambos os locais, tinham sido vistos por testemunhas, OVNIs parados a uma altura de 200 metros durante 10 minutos.

* Fonte: Flying Saucer Review – Ovnis Submarinos na Mar das Caraíbas – Insólito nºs 10 e 11.

– Fotomontagem: Pepe Chaves.

About Author

Criador do Site Verdade Mundial, fotógrafo por amor e profissão. Um inquieto da sociedade! Acredito que podemos mudar o pensamento das massas com a informação. Temos as ferramentas e a vontade de ver um Mundo melhor e livre. Estamos nessa luta há dez anos e em frente!