Seja de forma consciente ou inconsciente, algumas pessoas acreditam que viver bem, com conforto, abundância, rodeado de amigos e relacionamentos com pessoas importantes é por si só um objetivo de vida, e passam a perseguir isto dia após dia, trabalhando muito, buscando ascender profissionalmente, se conectando com pessoas que podem lhe apresentar outras pessoas que elas julgam serem referência de sucesso. Assim, imaginam elas, terão condições de obter ainda mais coisas que vão lhes proporcionar a admiração das pessoas. No entanto, essas pessoas esquecem que ser feliz não é uma questão de ter. Como o próprio termo diz, ser feliz é SER.

Não é questão de ter amigos, mas de SER amigo das pessoas, independente de quem elas sejam. Não é uma questão de ter grana para comprar coisas, porque as coisas não preenchem em nada o nosso SER. As coisas ficam velhas, quebram, desbotam, estragam, e perdem a graça muito rapidamente. [FONTE]

É preciso ter consciência da impermanência de tudo, especialmente das coisas que pensamos que temos ou da pessoa que pensamos que somos.

Este episódio me fez questionar o quanto nós estamos conscientes do propósito de nossas existências. Afinal, nós vivemos para que? O que justifica minha estada neste planeta mesmo que por um breve momento?

Criador do Site Verdade Mundial, fotógrafo por amor e profissão. Um inquieto da sociedade! Acredito que podemos mudar o pensamento das massas com a informação. Temos as ferramentas e a vontade de ver um Mundo melhor e livre. Estamos nessa luta há dez anos e em frente!