Brett Tingley, autor do artigo abaixo, finalizou o mesmo com uma excelente observação sobre a conclusão dos cientistas a respeito destes misteriosos sinais.

Vale a pena ler até o fim.

Sinais de rádio misteriosos há muito tempo são um dos pilares dos contos de ficção científica, mas ultimamente eles também têm sido objeto de um sério escrutínio científico. Explosões de rádio originadas do espaço profundo se tornaram um tema quente no mundo da astronomia, e embora a maioria delas pareça ocorrer naturalmente, você nunca sabe quando uma delas acabe sendo algo muito mais estranho. Pelo menos, podemos esperar que um delas seja. Aqui no chato planeta Terra, misteriosos sinais de rádio geralmente aparecem na forma de transmissões pirateadas que transmitem mensagens estranhas e enigmáticas. Enquanto a maioria destes são meramente farsas ou brincadeiras, muitos deles também permanecem inexplicáveis

Só nesta semana, físicos que estudam raios cósmicos na Antártida descobriram um estranho sinal de rádio que parece ter uma origem misteriosa. Os físicos fazem parte do programa Antarctic Impulsive Transient Antenna (ANITA), um projeto que usa balões para localizar e identificar sinais produzidos por estranhas partículas que viajam do espaço profundo ao colidirem com a Terra. No entanto, este último sinal parece ter origem nas profundezas da própria Terra. Estaria este sinal vindo de uma civilização perdida tentando comunicação com os moradores da superfície?

Infelizmente, não parece. Ou talvez felizmente, pois essas coisas parecem que podem comer um cérebro humano ou dois.

De acordo com um comunicado de imprensa emitido pela Physics World, o estranho sinal de rádio é provavelmente o produto de neutrinos em conluio com núcleos atômicos no fundo das camadas de gelo da Antártida. Essas colisões produzem explosões de partículas carregadas que emitem ondas de rádio que, em seguida, saltam através de 7.000 km de gelo e da crosta terrestre para o ar, onde os balões ANITA os detectam. Neutrinos são os primos pouco compreendidos das outras partículas subatômicas, que não parecem interagir com outras partículas e campos tanto quanto outras partículas elementares. Os cientistas acreditam que os neutrinos podem ser utilizados nas comunicações do espaço profundo, pois são capazes de viajar através da matéria e atravessar longas distâncias ilesos.

Peter Gorham, da Universidade do Havaí, é um dos pesquisadores do projeto ANITA por trás dessa descoberta. Gorham observa que, embora seja possível que a atividade humana tenha criado esses sinais de rádio anômalos, é mais provável que os dados apontem para essa interação extremamente rara entre os neutrinos do espaço profundo e os lençóis de gelo da Antártica.

Ele diz:

Ainda é possível que os eventos sejam causados ​​por duas pessoas isoladas, cada uma transmitindo um único pulso de rádio muito longe da base antártica mais próxima. Mas isso parece muito improvável nesta fase.

O Observatório Sudbury de neutrinos, localizado a 2100m de profundidade em uma mina no Canadá.

É incrível pensar em partículas estranhas e exóticas voando através de inimaginavelmente vastas extensões de espaço, apenas para penetrar nas profundezas da Terra e explodir em uma chuva de ondas de rádio que são então detectadas por um balão meteorológico. Considero-me proponente da ciência e da explicação científica, mas a história da ciência e do conhecimento científico prova que cada explicação não é necessariamente a resposta definitiva, mas apenas a melhor resposta que temos na época, dados os métodos, instrumentos e dados atuais.

Poderia haver uma explicação ainda mais exótica para esses sinais de rádio anômalos originários das profundezas da Terra que ainda não consideramos?  (Meu grifo – n3m3)

(Fonte) vi no OVNI HOJE

Criador do Site Verdade Mundial, fotógrafo por amor e profissão. Um inquieto da sociedade! Acredito que podemos mudar o pensamento das massas com a informação. Temos as ferramentas e a vontade de ver um Mundo melhor e livre. Estamos nessa luta há dez anos e em frente!