A internet foi inundada de informações conflitantes sobre Júpiter ter sido atingido por algo muito grande. Mas o que é verdade, e o que é mentira?

No dia 25 de setembro de 2018, vários canais no YouTube passaram a compartilhar uma informação bombástica: Júpiter explodiu! A internet ficou em polvorosa, e muita gente entrou em contato conosco para saber sobre isso – afinal, o que aconteceu?

Tudo começou no dia 23 de setembro, quando um canal norte-americano publicou um vídeo no YouTube dizendo que Júpiter havia sido atingido por uma nave espacial alienígena. As imagens seriam dos satélites Secchi, da Marinha dos Estados Unidos. Na verdade, 5 instrumentos pertencem ao Secchi, que por sua vez fazem parte do STEREO – observatório que monitora a atividade solar e o clima espacial. Planetas e outros objetos maiores também podem ser vistos nas imagens do observatório STEREO como também em imagens de outros satélites de monitoramento solar.

O vídeo publicado pelo canal norte-americano mostra claramente o planeta Júpiter “sendo atingido”. De fato, é possível ver um objeto gigantesco encostando em Júpiter, e em seguida acontece uma explosão muitas vezes maior do que o próprio planeta. Mas será mesmo que isso tudo é verdade?!!

Júpiter não explodiu
Suposta explosão de Júpiter (quadro a quadro).
Créditos: STEREO / Naval Research Laboratory

Não demorou muito para a internet ser bombardeada com essa informação. Centenas de portais, canais no YouTube, sites, blogs, etc… começaram a divulgar a mesma informação, com o mesmo vídeo, afirmando o mesmo ocorrido: Júpiter foi atingido por um objeto gigante e explodiu em seguida.

O que se espera de alguém que recebe uma notícia como essa? Em primeiro lugar, essa pessoa vai olhar para o céu noturno, e poderá constatar: Júpiter não explodiu, pois ele ainda está visível no céu. Mas e se foi uma explosão “controlada”?

Bem. O fato é que vários planetas já “explodiram” nas imagens do instrumento Secchi. Isso acontece porque o observatório STEREO possui um braço, e quando qualquer objeto se aproxima visualmente desse braço, um efeito de luz faz com que seu brilho fique borrado, o que de fato dá a impressão de uma explosão.

Secchi satélite Marinha dos EUA
Imagem do satélite Secchi.
Créditos: STEREO / Naval Research Laboratory

Outro reflexo de luz pode ser visto abaixo do planeta que teria “explodido”. Alguns disseram que aquilo também seria uma nave espacial alienígena, mas trata-se de um artefato, também criado por reflexos. Isso é comum e pode ser visto rotineiramente nas imagens do observatório STEREO.

Júpiter já foi atingido por asteroides e cometas. Na verdade, isso é uma rotina comum para o maior objeto do Sistema Solar depois do Sol, sendo que diversas vezes esses impactos foram registrados. O mais famoso foi a sequência de impactos do cometa Shoemaker-Levy 9 em 1994, quando o poder gravitacional de Júpiter quebrou o cometa em 12 partes, e 5 grandes explosões foram observadas. No vídeo abaixo, veja o primeiro impacto da sequência:

Conclusão: nada aconteceu com Júpiter. O maior planeta do Sistema Solar ainda está lá, são e salvo. Podemos ficar tranquilos…

E já que estamos falando de Júpiter, aproveitem para observá-lo nos céus. Assim que o Sol se põe, à oeste, vemos um brilho muito intenso: o planeta Vênus. Um pouco acima de Vênus vemos Júpiter, que tem um brilho um pouco mais tênue.

No próximo mês, Júpiter já não poderá ser visto nos céus noturnos (o que poderá dar munição para mais teorias escusas), então essa é sua última chance de observá-lo nesse ano. E pode ter certeza: ele não desapareceu…

FONTE

Criador do Site Verdade Mundial, fotógrafo por amor e profissão. Um inquieto da sociedade! Acredito que podemos mudar o pensamento das massas com a informação. Temos as ferramentas e a vontade de ver um Mundo melhor e livre. Estamos nessa luta há dez anos e em frente!