Para falarmos das almas ciganas é preciso que adentremos a história dos ciganos e para começarmos apresento uma frase de efeito muito usada pelos ciganos do passado: “A terra é a minha pátria, o céu o meu teto e a liberdade é a minha religião!”

Embora haja grande imprecisão sobre suas origens, a mais provável é que tenham saído da Índia, por não concordarem com a organização social das castas, indo para o Líbano, onde constituíram a primeira nação cigana. Essa hipótese é reforçada pelas semelhanças da língua(ou dialeto) romani, falada pelos ciganos, com o sânscrito, antiga língua clássica da Índia.

Místicos por natureza os ciganos sempre exploraram bem os dons mediúnicos como vidências espirituais, intuições apuradas e desenvolveram inúmeras técnicas oraculares como leitura de mãos e jogo de cartas com objetivos divinatórios entre outras mais.

Os ciganos também são muito devotados à música e à dança e a promover suas festas, sempre ao redor de suas tradicionais fogueiras e iluminados pelo luar, ao som característico de violinos e pandeiros.
Esse povo milenar, com todas as características e cultura próprias, passadas de geração a geração, assim como a grande massa de almas humanas, reencarnam na terra em busca de suas evoluções, reajustando-se e, neste processo evolutivo, muitas almas ciganas se reencontram, sempre para evolução de ambos e dos que os cercam.

Quando essas almas se cruzam na Terra, por possuírem muitas características em comum de suas origens, conseguem intuitivamente perceber suas ligações transcendentes. Isso acontece com muitas almas que viveram várias encarnações ciganas, muitas vezes seguidas.
A ligação com a música, a dança, a cultura, a liberdade e os dons mediúnicos desenvolvidos no passado não se perde, mesmo após várias encarnações e esse é um dispositivo interno que permite que essas almas ciganas se reconheçam, não é um reconhecimento racional, mental, lógico, como pessoas que se conheceram na terra na mesma encarnação, porém em épocas diferentes, neste caso a lembrança está gravada na memória espiritual.O sistema mediúnico ativado em sonhos também é muito comum para essas almas.

Como estes espíritos se reconhecem?  O sistema de memória espiritual é ativado por fatores mediúnicos, pela individualidade dos espíritos, por efeito da missão que ambos tenham em comum a cumprir na Terra e com permissão divina.

Além das características pessoais que variam de uma encarnação para outra, afinal já possuímos vários corpos, o sinal mais forte e decisivo é o brilho do olhar, esta é uma característica forte que define a identificação entre essas almas.

É por isso que se diz poeticamente que os “olhos são janelas ou espelhos da alma”.
O olhar revela a natureza do espírito, suas intenções, a qualidade de sua energia reinante.
Com certeza para muitas almas não será uma característica marcante, mas o conjunto de várias que fará com que se reconheçam mutuamente, o sorriso, ou mesmo uma palavra ou frase pronunciada como uma senha em determinado momento ou lugar, resultado de uma jura transcendental.

É certo que estas almas mesmo inconscientes já estão em busca de seu povo, porém pelo mecanismo da reencarnação que bloqueia a memória transcendental automaticamente ao renascermos, mesmo para nossa proteção e da missão que viemos cumprir, como disse anteriormente a memória está lá, arquivada.
Como cada indivíduo é um universo particular, cada alma cigana será diferenciada em sua busca, seus reencontros e seus aprendizados.

Existe também, com certeza, muita ajuda do povo espiritual dos ciganos que se encontram nas mais altas esferas de luz, de amor e muito se esforçam para ajudar na evolução destas almas, sendo esses reencontros uma dessas ferramentas evolutivas muito usadas por eles.
Sejam felizes, acendam as fogueiras em seus corações, cantem e dancem festejando como fizeram muitas vezes ao luar, sigam em paz porque suas caravanas passarão rumo à evolução.
Uma Alma cigana.

FONTE

Designer de Moda, reikiana, praticante e apaixonada por Yoga, Manoela desenvolveu um grande interesse na conexão espiritual entre o passado, presente e o futuro da humanidade, seus caminhos e mudanças ao longo dos séculos. Suas pesquisas para o Verdade Mundial vem sendo amplamente visualizadas nas áreas da sociedade e espiritualidade.