Akasha é uma palavra da língua sânscrita, ancestral do Nepal e da Índia. Esse idioma tem o poder de dizer uma frase com um mínimo de palavras, mais do que qualquer outro. Os EUA possuem setores de universidades dedicadas a essa língua.

A NASA possui departamentos de pesquisas para manuscritos em sânscrito e consideram o sânscrito muito adequado para a compreensão da linguagem dos computadores avançados. Akasha significa céu, espaço, éter e é considerada a substância energética da qual a própria alma é formada. De acordo com H. P. Blavatski, é a Alma Universal, a Matriz do Universo, a causa da existência e o espaço infinito. Akáshico é um plano de consciência cósmico, como um grande arquivo, que contém tudo que ocorreu e vai ocorrer no Universo.

É mencionado na bíblia como o Livro da Vida, e nos textos budistas como as Memórias da Natureza. Já os Registros Akáshicos são como uma grande biblioteca energética que contém todas esses acontecimentos à medida em que vão acontecendo e todas as possibilidades futuras. Cada um de nós tem seu livro e seus registros de suas ações, emoções, aprendizados e sabedoria acumulada em várias vidas passadas. Já sabemos que o tempo é uma ilusão e estamos vivendo eternamente no agora, mas este agora é uma ilusão causada pelas limitações de nossa mente. Podemos acessar o passado através de nossas lembranças e também podemos em raros momentos, ter acesso a lampejos de um possível futuro, por meio de precognições, sincronicidades ou coincidências significativas, pois o futuro é baseado em nossas tendências e nossas probabilidades de executarmos diversas ações.

Nesse momento, entramos no campo das teorias dos universos paralelos, onde cada evento pode dar origem a outros e isso é uma possibilidade científica. Nesse contexto, os Registros Akáshicos são as matrizes de nossas vidas passadas, presente e futuras. Seria uma existência multidimensional, onde tempo e espaço não existem e todas as partes de nós estão migrando para o que somos agora.

Também existe a possibilidade de fazermos uma leitura desses registros, quando entramos em um plano vibracional sutil e atingimos uma conexão com esses registros.  O objetivo dessa leitura não é de prever alternativas para o futuro e sim, uma oportunidade de crescimento pessoal, de expansão da consciência e recebimento de instruções e conhecimento, para termos uma vida mais harmoniosa. É um processo de autoconhecimento para ajudar na evolução interior. Isso pode acontecer durante uma meditação ou uma canalização mediúnica.

Célio Pezza é escritor e colunista de diversos jornais e revistas no Brasil. Seus romances misturam ficção com realidade e trazem fortes mensagens por trás de cada história. Seu livro As Sete Portas foi traduzido para o inglês e editado no Canadá, EUA e Inglaterra. Sua mais recente obra, A Tumba do Apóstolo, foi lançada em 2014.