A mídia internacional publicou extensamente sobre o recente forte terremoto de magnitude 7.0 no Alasca, mas deixaram de lado um terremoto de mesma intensidade que ocorreu na África.

Neste ínterim uma outra notícia impactante também foi publicada por um veículo de notícias da Índia, a qual informou sobre um alerta dado por cientistas a respeito de um terremoto devastador que poderá ocorrer na região dos Himalaias.

Terremoto na África
Pela segunda vez hoje (sexta-feira, 30/11), a Terra foi atingida por um outro terremoto de magnitude 7,0, desta vez na África, desde o primeiro terremoto que destruiu Anchorage, no Alasca, apenas algumas horas atrás…

Não há muito em termos de infra-estrutura na área da África atingida pelo segundo terremoto.

Pode haver algumas cabanas de barro, estradas de terra, etc., mas a probabilidade de danos graves é quase nula. E mesmo que haja dano, morte ou destruição, pouco está sendo falado da TV, do rádio… o que é muito estranho, já que somos constantemente informados de que ‘somos todos iguais’…

…O que é digno de nota é que toda a energia deste segundo terremoto agora está voltando para o outro lado da Terra. Já que este segundo terremoto de 7.0 não atingiu o exato antípoda do primeiro, essa energia está voltando para um ponto diferente na Terra.

Para o registro, o antípoda do segundo terremoto de 7.0 na África, está fora da costa leste da Austrália, perto de Vanuatu, no sul do Oceano Pacífico. Alguns cientistas acreditam que a energia do terremoto pode ser ‘prevista’ e usam o antípoda de um grande terremoto como guia para tentar descobrir onde o próximo grande terremoto pode ocorrer. ESTA NÃO É UMA CIÊNCIA EXATA.

Gigantesco terremoto (8.5) provavelmente ocorrerá nos Himalaias
Um terremoto de magnitude 8.5 ou mais em um dos segmentos sobrepostos dos Himalaias centrais é esperado a qualquer momento no futuro, de acordo com um novo estudo liderado pelo sismólogo CP Rajendran do Centro Jawaharlal Nehru de Pesquisa Científica Avançada em Bengaluru. O estudo, publicado no ‘Geological Journal‘, disse que a pressão frontal no Himalaia central (cobrindo partes da Índia e do leste do Nepal) permaneceu sísmica por 600 a 700 anos, implicando uma enorme acumulação de tensão na região, informou a agência de notícias IANS.

Antes da nova pesquisa, os cientistas estudaram cuidadosamente o banco de dados existente. O novo estudo explorou os locais – Mohana Khola no extremo oeste do Nepal e Chorgalia, que fica dentro da fronteira com a Índia, para determinar o momento do último evento de falha no impulso frontal do Himalaia central.

Para a pesquisa, os cientistas estudaram a geologia local e o mapa estrutural publicados pela Geological Survey of India e usaram o Google Earth e imagens da agência espacial indiana ISRO’s Cartosat-1 satellite.

Os pesquisadores informaram o seguinte sobre as análises:

[Elas] nos levam a concluir que um grande terremoto de magnitude 8,5 ou mais que ocorreu entre 1315 e 1440 descompactou um trecho de cerca de 600 km (o comprimento da abertura sísmica central de Bhatpur para além de Mohana Khola) no Himalaia central, com um deslizamento (ou deslocamento) médio de 15 metros.

Um terremoto de magnitude 8.5 ou mais está atrasado nesta parte do Himalaia, dado o longo tempo decorrido.

Considerando este risco sísmico potencialmente alto, isto será particularmente catastrófico para uma região marcada por uma população crescente e a expansão desimpedida do ambiente construído, a ser contrastada com a falta de preparo para atender a essa contingência.

Designer de Moda, reikiana, praticante e apaixonada por Yoga, Manoela desenvolveu um grande interesse na conexão espiritual entre o passado, presente e o futuro da humanidade, seus caminhos e mudanças ao longo dos séculos. Suas pesquisas para o Verdade Mundial vem sendo amplamente visualizadas nas áreas da sociedade e espiritualidade.