Apesar da acusação, Oswald negou qualquer responsabilidade pelo crime e, dois dias depois da morte de Kennedy, o próprio suposto assassino foi morto a tiros (com várias testemunhas) por Jack Ruby. Teria sido queima de arquivo antes que ele abrisse o bico para falar realmente por qual razão matou o presidente dos Estados Unidos ou a mando de quem ele fez aquilo?

De fato, todas as evidências apontaram para a existência de um complô, com a participação da CIA e da Máfia e de cubanos asilados. Segundo o gangster Sam Giancana, Lee Harvey Oswald trabalhava para a CIA, participara de uma série de sessões de intensivo treinamento em inteligência, quando servira como marine, servira como espião na União Soviética, onde se casara, em Minsk, com Marina Prusakova, e tinha ligações com a Máfia desde a juventude. Quando voltara aos Estados Unidos, em 1962, proclamava-se abertamente a favor de Fidel Castro e não só distribuíra material de propaganda do Fair Play for Cuba Committe como tentara obter, no México, visto para Cuba, que lhe foi várias vezes negado….