Mais calor que no deserto! Sensação chega a 80ºC no litoral do Paraná

Sensação térmica em Antonina chega à casa dos 80ºC na tarde desta terça-feira. Condição da cidade favorece as altas temperaturas aparentes

temperatura e a sensação térmica em Antonina, no litoral do Paraná, batem recorde atrás de recorde. Se dias atrás fez 43,9ºC e a sensação passou dos 60ºC, por volta das 16h desta terça-feira (18) na cidade a sensação térmica bateu na casa dos 80ºC. Os termômetros marcavam 40,2ºC no momento, segundo o Simepar, mas a máxima chegou aos 41,8ºC.

Para se ter uma ideia, a maior temperatura já registrada na América do Sul foi 48,9ºC em Rivadavia, cidade argentina que fica às margens do deserto do Atacama. Porém, com a umidade relativa do ar – característica de uma cidade à beira mar -, a impressão é de que está mais calor em Antonina que no deserto. Isso porque a sensação térmica, ou temperatura aparente, é afetada por fatores como a umidade e o vento, por exemplo.

O meteorologista Fernando Mendonça Mendes, do Simepar, explica que o mais correto é chamar essa sensação térmica de índice de calor, que leva em conta os elementos meteorológicos já citados. “A sensação térmica é subjetiva. Às vezes, se eu tenho vento, pode ocasionar uma sensação de estar mais quente do que o normal, por que está circulando mais ar quente”, explica.

Segundo ele, esses elementos meteorológicos influenciam de modo variado na sensação térmica, que varia de pessoa para pessoa. Se o termômetro está marcando 40°C, um indivíduo pode estar morrendo de calor e o outro não.

Para medir a temperatura do ambiente, o Simepar utiliza um medidor que fica à sombra e a dois metros do chão. “Por isso, dizer que fez 44°C em Antonina é porque realmente fez muito calor”, afirma Mendes.

FONTE