A infância é um dos momentos mais incríveis de nossas vidas. Tudo era motivo de alegria, tudo virava um brinquedo novo, bastava usar nossa imaginação. Para a maioria das pessoas, é a única fase em que se consegue viver plenamente. Como adultos, parece que precisamos estar sempre correndo, sempre ocupados, sempre estressados para que as pessoas nos levem a sério. Se permita, mesmo que seja de vez em quando, esquecer o julgamento dos outros e simplesmente aproveitar as coisas divertidas da vida. Precisamos resgatar esse estado de espírito para vivermos de forma mais plena e feliz.

E se nós tirássemos alguns minutos para enxergar o mundo sob a perspectiva de uma criança, o que mudaria? Ou melhor, será que ainda conseguimos? Nós envelhecemos, assumimos responsabilidades, ficamos céticos e acabamos trancando nossa criança interior a sete chaves. Os anos passam e esquecemos que um dia tivemos infância. Devemos buscar recuperar parte da nossa pureza, da alegria de viver, do contentamento com a simplicidade. Só assim seremos capazes de alcançar a plenitude da vida. 

Quando foi a última vez que você sorriu por ter dado importância a coisas realmente simples? Normalmente é nosso dever ensinar as crianças a viver, mas isso não significa que não podemos aprender com elas. A alegria que há nas crianças é a mais pura que existe. Isso porque elas conseguem enxergar a beleza na simplicidade e é exatamente isso que nos falta. O simples passa despercebido e não recebe de nós a atenção que merece. Na maioria das vezes, a felicidade que buscamos está ao nosso alcance, só não estamos procurando no lugar certo. Comente aqui em baixo, quais as coisas simples que te fazem feliz?

Quando somos crianças, as cores nos atraem, o mundo é muito mais colorido e bonito. As cores que gostamos dizem muito sobre nós, sobre nossas prioridades e sobre nossa vida. Elas são de grande importância para nossa criatividade, humor e até para nossa saúde mental. Experimente dar mais atenção às flores, aos prédios coloridos, aos belos contrastes das cidades. Na hora de se vestir, busque roupas com cores mais alegres. Acima de tudo isso, sempre coloque cores vivas nas suas relações com as pessoas, imprima emoções verdadeiras em tudo o que você faz, seja em casa, na faculdade, no trabalho ou em qualquer lugar. Experimente dar um “Bom dia!” realmente desejando que a pessoa tenha um dia excelente. Essa atitude, com certeza, deixa a vida de todos mais colorida.

Será que ficamos mesmo mais maduros com a idade? Então por que depois que ficamos adultos, geralmente guardamos mais rancor e mágoa das pessoas, perdoamos menos e ficamos mais mesquinhos? Crianças são muito mais abertas ao perdão e têm menores chances de guardar mágoa, elas têm muito mais fé no próximo. Para sermos realmente maduros, precisamos, de certa forma, resgatar a nossa infância e estar dispostos a perdoar, acreditar nos outros e ter um comportamento mais positivo em relação ao mundo. E você, o que acha? Até onde ter um comportamento “infantil” é algo ruim?

Muitos de nós, quando chegamos à fase adulta, não temos a coragem de ir atrás da felicidade. Não levamos nossos sonhos adiante, não somos quem realmente queremos ser, não fazemos o que queremos fazer, muitas vezes por “medo” do que os outros pensarão. Quantos de nós escolhemos cursar uma faculdade diferente da que sonhávamos por causa da opinião alheia, ou então estamos presos a um trabalho que não nos completa pelo mesmo motivo? De tudo o que vimos nesta semana, há uma última lição que devemos aprender com as crianças, e talvez seja a mais importante delas: Não ter a vergonha de ser feliz. Não deixe que nada tire o sorriso do seu rosto. Seremos muito mais felizes quando aprendermos a viver mais como as crianças. O que achou dessa reflexão? Conte aqui qual é o sonho antigo que você havia abandonado, mas que vai levar adiante a partir de hoje?

FONTE

FOTO:  Adrian McDonald