O dia 19 de fevereiro será perfeito para contemplar mais um eclipse do satélite natural da Terra, desta vez a Superlua de Neve.

Este é o nome dado no hemisfério norte à primeira Lua cheia de fevereiro, época das tempestades de neve nessa região.

O fenômeno será visível na terça-feira (19), e a Lua estará em sua plenitude enquanto estiver a uma distância de cerca de 340 mil quilômetros da Terra — 27,4 mil quilômetros mais próxima que a distância média, de acordo com o USA Today.

A superlua ocorre quando a Lua cheia coincide com o perigeu lunar, isso faz a Lua parecer 14% maior e 30% mais brilhante que o normal.

“Quando a Lua cheia aparece no perigeu [seu ponto mais próximo da Terra]ela é ligeiramente mais brilhante e maior do que uma Lua cheia normal — e é aí que obtemos uma ‘superlua'”, explica a NASA.

Conhecida já há milhares de anos, a Lua de Neve também é chamada de Lua de Tempestade e Lua de Fome. Entre as tribos indígenas norte-americanas, a superlua de fevereiro era usada para acompanhar as mudanças das estações.
Uma famosa edição americana, chamada “O Almanaque do Velho Fazendeiro”, indica que os povos indígenas do sudeste da América do Norte se referiam ao satélite natural de fevereiro como “Lua de Osso”.

“A Lua de Osso significava que havia tão pouca comida que as pessoas roíam ossos e comiam sopa de medula óssea”, explica o almanaque.

Além disso, esse novo eclipse lunar acontecerá um mês após a Superlua de Sangue, ocorrida no dia 21 de janeiro e que foi visível no mundo inteiro, dando origem a uma variedade de profecias baseadas em previsões bíblicas.

FONTE