Central de Operações do Corpo de Bombeiros Militar recebeu várias ligações de moradores de praias distintas reportando o mesmo fenômeno

Equipes do Corpo de Bombeiros Militar e da Capitania dos Portos foram mobilizadas no início da noite deste domingo (24) para verificar a suposta queda de uma aeronave nas imediações da Ilha do Campeche.

Relatos de moradores das praias do Sul da Ilha de Santa Catarina circulam pelas redes sociais dando conta de que um clarão misterioso teria sido visto no céu neste domingo. Alguns falam em “bola de fogo” e outros em “explosão”.

A Central de Operações do Corpo de Bombeiros Militar recebeu várias ligações de moradores de praias distintas reportando o mesmo fenômeno no céu que correspondia a um clarão com explosão em alto mar.

O Batalhão de Operações Aéreas fez sobrevoos na região, mas não encontrou vestígios. A Base Aérea e a Capitania dos Portos também foram comunicadas sobre o caso. Até as 23h deste domingo, não havia informação de embarcação ou aeronave desaparecida ou que tenha colidido.

Em fevereiro de 2016, a praia do Campeche já foi palco de uma queda de aeronave. Na ocasião, um avião monomotor caiu ao sul da Ilha do Campeche.

Victor Gaspodini, 20 anos, disse que pretendia entrar no mar por volta de 18h30 quando olhou para o céu e viu uma bola de fogo. A imagem sumiu após supostamente cair no mar.

Ele não viu nenhuma explosão, mas ouviu um barulho semelhante ao de uma aeronave. O jovem também afirmou que não estava chovendo naquele momento.

“Fiquei impressionado com o que vi. Olhei na minha volta para ver se mais alguém tinha presenciado aquilo. Um casal que estava próximo confirmou”, contou o jovem.

A meteorologista do Grupo RIC pesquisou imagens de satélite, radar e raios para verificar se houve algum fenômeno atmosférico. Até as 22h deste domingo, nada de anormal foi verificado.

Fonte

NOTA DO AUTOR: Abaixo temos dois registros em vídeo aonde mostram, ao que tudo indica ser um meteoro ou mesmo lixo espacial, pela densidade e características tudo indica que, um fragmento de rocha espacial. O que mais espanta é a quantidade de relatos e registros de fenômenos frequentes assim. O que estaria trazendo tantas rochas pelo espaço a fora diretamente em nossa direção?

 

Agradecimentos: Raquel Dóris, Vanessa da Luz e Christini