A visita do Presidente (sic) do Brasil aos Estados Unidos liga dois fatos políticos de gravidade inusitada. Um presidente da República (sic) visita o centro mundial da preparação dos golpes de Estado, a CIA. É a usina americana para derrubar presidentes de Esquerda e botar títeres no lugar! Bolsonaro foi lá abrir a porta aos agentes da CIA no Brasil: sejam bem vindos! Ao mesmo tempo, ele foi entregar a Base de Alcântara a Trump.

É o melhor ponto da Terra para lançar foguetes – e não mísseis, como disse o Jornal (sic) Hoje da Globo.

Bolsonaro deu de graça. E Trump vai usar e abusar de Alcântara, com o apoio, em terra, de seus mais numerosos agentes da CIA. De lá, de Alcântara, Trump pode perfeitamente lançar um artefato na direção Oeste e destruir Caracas e Maduro, numa explosão só. Porque o Trump só pensa numa coisa, quando se trata da América Latina (que ele deve chamar de Latrina…): o petróleo da Venezuela. O resto que o Bolsonaro levou no farnel é a linguicinha frita do churrasco. Como é que é? Linguicinha frita?