Você estava precisando de um argumento mais forte para convencer a esposa (ou o esposo) de que andar de moto te faz um bem danado? Agora você tem um científico. A Harley-Davidson, em parceria com o Instituto Semel de Neurociência e Comportamento Humano da Universidade da Califórnia em Los Angeles realizou um estudo que prova cientificamente: andar sob duas rodas aumenta a concentração e diminui o stress.

A equipe de pesquisa monitorou a atividade cerebral e a frequência cardíaca dos participantes do estudo, bem como os níveis de adrenalina, noradrenalina e cortisol. Eles foram submetidos a passeios de carro e de moto. A atividade cerebral e os níveis hormonais dos participantes foi observada antes, durante e depois de pilotar uma moto, dirigir um carro e descansar. Ao andar de moto, os participantes experimentaram maior foco sensorial e resistência à distração.

Segundo o doutor Don Vaughn, neurocientista que liderou a pesquisa, atualmente “os níveis de estresse, especialmente entre os jovens adultos, continuam aumentando e as pessoas estão procurando formas de melhorar sua saúde mental e física. Até recentemente, a tecnologia para medir rigorosamente o impacto no cérebro de atividades como o motociclismo não existia”, que completou ainda que “o cérebro é um órgão incrivelmente complexo e é fascinante investigar rigorosamente os efeitos físicos e mentais que os motociclistas relatam”.

Portanto o estudo concluiu que o motociclismo aumentou as métricas de foco e atenção e diminuiu os níveis relativos de cortisol, um marcador hormonal de estresse. O pesquisador e professor da UCLA, dr. Mark Cohen ressalta ainda a importância do que foi descoberto: “enquanto os cientistas estudam há muito tempo a relação entre respostas cerebrais e hormonais à atenção e ao estresse, fazê-lo em condições da vida real como essas é raro”. “Nenhuma experiência de laboratório pode duplicar os sentimentos que um motociclista teria na estrada.”

“As diferenças nas respostas neurológicas e fisiológicas dos participantes entre a pilotagem de uma moto e outras atividades medidas foram bastante pronunciadas”, continuou Vaughn, líder do grupo de pesquisa. “O que pode ser significativo para reduzir o estresse do dia a dia.”

Os dados são de fato impressionantes, o estudo concluiu que o nível de estresse nos participantes que andaram de moto baixou até 28% e fez os níveis de adrenalina aumentarem 27%, o equivalente à prática de exercício leve. Além disso, o foco sensorial e a atividade cerebral de quem pilotou melhorou significativamente.

Nós comprovamos! Confiram um pequeno vídeo de um passeio meu e da Manu: 

FONTE