A NASA revelou o nome para o seu programa lunar: Artemis

Planos estão sendo feitos para a colonização da Lua e devem estar prontos antes de 2029.

Países como os EUA, a Rússia, a China e grandes empresas privadas como a SpaceX e a Blue Origin estão envolvidas em uma espécie de corrida à Lua. E não é apenas uma corrida, mas mais um plano total, no qual colônias humanas serão lá construídas.

A NASA revelou um novo nome para o seu programa lunar: Artemis. Ela é uma deusa grega da Lua e irmã gêmea de Apolo. Os astronautas da NASA vão pousar na superfície da Lua até 2024, incluindo a primeira mulher e o próximo homem.

Na semana passada, Jeff Bezos, fundador da Blue Origin, revelou um módulo lunar em um misterioso evento apenas para convidados em Washington DC, e sugere que sua empresa atingirá o prazo de 2024 dado pelo Vice Presidente dos EUA, Pence, para colocar os humanos de volta à Lua em 2024. O plano poderia finalmente servir como um trampolim para a colonização da Lua e alvos espaciais mais profundos, sugeriu Bezos.

Desde 2009, o Lunar Reconnaissance Orbiter (LRO) da NASA detectou centenas de buracos na Lua. Esses ‘poços’ com paredes íngremes podem levar a ambientes subterrâneos protegidos da radiação, impactos de meteoritos e temperaturas extremas, tornando-os locais valiosos para exploração futura.

Buracos possivelmente apropriados para a construção de habitats humanos na Lua. Crédito: NASA

Enquanto as agências espaciais se preparam para devolver os seres humanos à Lua, os engenheiros de ponta estão correndo para projetar uma máquina de perfuração de túneis capaz de cavar colônias subterrâneas para os primeiros habitantes lunares. Análises de imagens da superfície lunar mostram tubos de lava capazes de abrigar grandes cidades no subsolo.

Rostami, diretor do Instituto de Mecânica da Terra da Escola de Minas do Estado do Colorado, nos EUA, disse que a ideia é realmente começar no subsolo, usando um mecanismo que já usamos na terra, uma máquina de perfuração de túneis, para fazer uma abertura contínua para criar habitats ou conectar as colônias.

Então, em 22 de fevereiro, Israel lançou uma sonda em direção à Lua. A pequena sonda lunar levou um arquivo de 30 milhões de páginas de conhecimento humano gravado em um disco de metal do tamanho de um DVD. (Veja a imagem abaixo). A Biblioteca Lunar, como o arquivo é conhecido, constitui um ‘apoio de civilização’ para ajudar a garantir que nossos descendentes distantes nunca percam a sabedoria coletiva da humanidade.

Podemos nos perguntar por que todas essas organizações estão com tanta pressa de ir à Lua. É apenas uma corrida espacial entre os EUA, a Rússia e a China ou isso tudo é sobre a sobrevivência da humanidade e o tempo está se esgotando?

(Fonte) via Ovni Hoje