Após 67 anos, o que sabemos sobre o que caiu no canal Miguel da Cunha entre Rio Grande e São José do Norte.

Em 1952, um Objeto Voador Não Identificado caiu sobre o canal ficando com uma parte fora d’água sendo retirado por uma cábrea flutuante (cábrea flutuante é um equipamento instalado sobre uma estrutura flutuante, utilizado em portos com o objetivo de manobrar, transportar, embarcar ou desembarcar cargas pesadas sem a necessidade de atracar o navio no cais). O objeto foi retirado com a presença de autoridades e embarcado em um navio norte americano que se encontrava no porto de Rio Grande. Segundo as autoridades foi levado para os Estados Unidos para realização de pericia.

O Caso foi abafado, fotos foram confiscadas, segundo testemunhas um jornal da cidade publicou matéria, mas pela manhã autoridades invadiram a sede do jornal confiscaram todos os exemplares. Nunca se teve noticia sobre o que realmente caiu no canal e nem da pericia. A foto que existe foi encontrada anos após o ocorrido por um catador, dentro de um álbum de família em um contêiner de lixo e entregue para um morador de São José do Norte que não quer ser identificado, que guardou a foto.
Segundo testemunhas o objeto tinha um formato circular, com vários refletores em seu contorno e teria feito um barulho muito grande ao chocar-se com a água do canal . O Objeto tinha varias janelas em seu diâmetro como se pode ver na foto, onde saiam fachos de luz.

Foto: Objeto Voador Não Identificado sendo retirado do cais do Porto Velho do Rio Grande em 1952.