Após ir ao ar nosso vídeo sobre as vacinas, um contato chamou nossa atenção para, desta vez, provas sem patrocínio. Daquelas que chegam da fonte e merecem ser compartilhadas, afinal, todos nós ainda temos o livre arbítrio para escolher o que achamos melhor para nós mesmos, correto?

Recebemos por e-mail.
Do aluno e pesquisador das iniciais A.M.M do curso de Farmácia (Londrina/PR)

Segue o e-mail na íntegra:

Venho lhe informar sobre um composto chamado timerosal usado em larga escala em vacinas como conservante, para a não proliferação de bactérias e fungos nas vacinas, mas temos um problema nisso, o timerosal é um composto a base de Hg(Mercúrio), S(enxofre) e N(nitrogênio) mais precisamente, contém quase 50% de mercúrio na forma de etilmercurio e aí que está o problema! O etilmercurio é um composto que atinge os órgãos e se acumula mais nos rins, do que em outros órgãos! Ele tbm ultrapassa a barreira hematoencefálica e a placenta! Portanto se a mãe tomar vacinas com o feto em seu útero, o mesmo já começa a acumular mercúrio no sangue e nos órgãos antes mesmo do nascimento, e para terminar e mostrar que essa ideia de as vacinas fazerem mal não são ilusórias ou mesmo conspiração, vou lhe passar sites que lhe mostrarão sobre isso!

Detalhe: ele tem as seguintes precauções químicas chamadas de GHS, globally harmonized system of classification and Labelling of chemicals, (sistema globalmente harmonizado de classificação e rotulagem de produtos químicos), que tem pictogramas (desenhos), e os seguintes códigos, H300 + H310 + H330: Mortal por ingestão, contacto com a pele ou inalação.

H373: Pode afetar os órgãos após exposição prolongada ou repetida.

H410: Muito tóxico para os organismos aquáticos com efeitos duradouros, e para fechar no site da UnB mostra que estão sendo feitos pesquisas sobre o etilmercurio causar autismo já que ele ultrapassa as barreiras.


NOSSO VÍDEO SOBRE O ASSUNTO: