Stephen Bassett, diretor do Paradigm Research Group – PRG, expõe o SETI (Procura por Inteligência Extraterrestre), que recentemente informou não ter encontrado nenhum sinal de rádio vindo de ETs.

O conceito SETI (Search for Extraterrestrial Inteligence, ou, em português, Busca pela Inteligência Extraterrestre) surgiu pela primeira vez em simultâneo com o lançamento da NASA, através da Lei Nacional Aeronáutica e Espacial de 1958 (EUA). Durante as próximas seis décadas, os programas SETI seriam financiados com milhões de dólares de fundos dos contribuintes. Quando o Congresso se cansou disso, foi obtido financiamento privado. Mais tarde, o dinheiro do governo voltaria a aparecer.

O lendário Stanton Friedman acabou criando um acrônimo substituto para o SETI – Silly Effort TInvestigate (Maneira Tola de Investigar). Stanton estava sendo muito gentil. Os programas SETI, com base no montante de financiamento e duração do mandato, são a maior fraude científica na história da humanidade.

Em 1958, o governo dos EUA teve que criar um programa espacial civil. Os russos lideravam a exploração espacial e os EUA precisavam responder. Um programa espacial militar secreto não conseguiria as somas de dinheiro necessárias. O público estava animado em explorar o espaço e ciente do conceito extraterrestre. Eles apoiariam um programa espacial civil, mas o governo dos EUA tinha um grande problema.

Quando a NASA foi estabelecida, as pessoas que importavam já estavam bastante conscientes desde os anos 40 que havia uma presença extraterrestre envolvendo o planeta. Esta verdade, juntamente com todas as pesquisas e investigações, foi embargada sob o mais alto status de classificação dentro do complexo militar/inteligência (sigla em inglês, MIC).

A NASA iria gerar mais interesse público na hipótese extraterrestre (sigla em inglês, ETH) e no fenômeno OVNI/UFO relatados em todo o mundo. O governo não podia parecer ignorar a ETH, pois isso levantaria suspeitas. Um programa para procurar sinais de rádio extraterrestres que quase certamente nunca seriam encontrados era a solução para o problema deles. SETI seria o amortecedor para manter a pressão sobre a NASA, evitar perguntas difíceis e continuar a mentir ao mínimo.

Nas décadas seguintes, o SETI construiu radiotelescópios que têm valor de uso e talvez elevaram a ciência da radiotelescopia. Diversos cientistas conseguiram viver confortavelmente. Valeu a pena as centenas de milhões (em 2019) de dólares em dinheiro dos contribuintes e financiamento privado, considerando que o programa inteiro foi um jogo em serviço ao embargo da verdade imposto pelo governo? Não.

Dito isto, o PRG considera a criação dos programas SETI em 1958 como uma questão de segurança nacional, como uma política legal, ainda que desagradável. A ameaça de uma guerra nuclear era real. No entanto, com o passar dos anos, os cientistas do SETI, faturando por volta de US$ 100.000 por ano (em 2019 dólares), apareceriam em paralelo com os fenômenos extraterrestres que os pesquisadores, geralmente não fazendo nada para desmerecer seu trabalho e diminuir sua credibilidade. Não é legal.

O PRG sempre disse: “De um jeito ou de outro, a verdade faz de todos tolos”. Isso inclui cientistas cujas carreiras foram desperdiçadas e legados destruídos. Inclui também bilionários russos. De alguma forma, Yuri Milner conseguiu ignorar sessenta anos de evidências acumuladas, confirmando a presença extraterrestre e dando US$ 100 milhões para continuar procurando os indescritíveis sinais dos ETs. Pode-se apenas imaginar o que o humor de Milner será quando ele descobrir que o programa SETI foi uma fraude desde o dia em que foi criado e permanece até os dias de hoje.

Stephen Bassett
FONTE